TC Mover
Mover

Mercados mostram cautela com China e estímulos; LDO, Reforma Tributária no radar: Espresso

Postado por: TC Mover em 15/07/2021 às 9:59
Mercados com cautela

São Paulo, 15 de julho – Os mercados futuros de Nova Iorque iniciam a manhã mistos, com vantagem do índice de papéis de tecnologia, o Nasdaq, de olho em China e estímulos. Bateria de dados divulgados à noite manteve no radar temores de desaceleração da segunda maior economia do mundo. Contudo, alguns números favoráveis puxaram mercados asiáticos e minério de ferro.

A expansão anual do Produto Interno Bruto  chinês no segundo semestre, de 7,9%, desacelerou ante a base forte de 2020 e ligeiramente abaixo do consenso. Mas o desempenho foi bom em vendas no varejo, produção industrial de junho e em investimento em ativos fixos no primeiro semestre. O banco central chinês reduziu o compulsório de bancos, volume de fundos que as instituições devem manter em reserva, liberando-os para a economia.

Mercados ficam de olho na nova audiência de Jerome Powell no Senado americano

O presidente do banco central americano, Jerome Powell, repetiu ontem no Congresso que a aceleração da inflação é temporária e que o nível de recuperação da economia americana, especialmente no mercado de trabalho, ainda está longe de justificar aperto da política monetária pelo Federal Reserve.

Os mercados ficam atentos à nova audiência de Jerome Powell com os senadores às 10h30. A expectativa fica com suas respostas para as perguntas dos parlamentares, especialmente sobre riscos inflacionários.

Banco da Inglaterra deixa mensagem assertiva sobre retirada de estímulos

Mas o temor de superaquecimento não se limita aos EUA. O banco central da Nova Zelândia decidiu antecipar o fim do programa de compras de ativos desenhado emergencialmente na pandemia. Depois que a inflação anual no Reino Unido chegou a 2,5% em junho, com perspectiva de ir a 4%, dirigentes do Banco da Inglaterra ficaram mais assertivos quanto à retirada de estímulos. Falas pesam nos mercados europeus, com petróleo em queda.

Apesar da fraqueza do índice dólar DXY, a commodity recua após acordo para elevação da produção dos Emirados Árabes Unidos. Entre balanços, saem Morgan Stanley, UnitedHealth, US Bancorp, BNY Mellon e Alcoa.

Depois de dois dias de índices de inflação, ao produtor e ao consumidor, acelerando mais que o esperado em junho, a agenda americana se volta para o mercado de trabalho, com 360 mil pedidos de seguro-desemprego na semana. Produção industrial de junho sai às 10h15.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: TC Mover
Edição: Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Calendário Econômico: Opep, seguro-desemprego, Jerome Powell

Smart Fit dispara quase 35% em estreia na B3

Livro Bege vê economia mais forte, mas inflação em alta

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais