TC Mover
Mover

Mercados cautelosos antes da ata do FOMC; Eletrobras, inflação, CPI da Covid no radar: Espresso

Postado por: TC Mover em 19/05/2021 às 9:44
Mercados cautelosos antes da ata

São Paulo, 19 de maio – Dos mercados cautelosos da Ásia aos EUA, a preocupação com a inflação volta a pesar no sentimento dos investidores. Eles vão para a defensiva antes da ata da mais recente decisão do FOMC, o comitê decisório de juros do banco central americano.


Mesmo um pouco defasada, ata do FOMC está no radar dos mercados cautelosos

O texto sai às 15h00 e virá um pouco defasado, depois do salto da inflação ao consumidor e da decepção com geração de empregos em abril. Ainda assim, a ata pode ajudar os mercados cautelosos a entenderem o grau de tolerância do Federal Reserve com a alta de preços, que aceleram depressa com a retomada, e qual o risco de antecipação do aperto monetário.

As commodities caem. O minério de ferro perdeu mais de 3% na bolsa chinesa de Dalian, e o petróleo também devolve ganhos recentes. No caso do petróleo, pesam sinais de avanço na negociação de acordo nuclear entre o Irã e Ocidente. Na hipótese de retirada de sanções, o Irã vai aumentar suas exportações de óleo. No fim da manhã sai a leitura oficiais dos estoques semanais dos Estados Unidos.


CPI da Covid deve dividir as atenções com MP da Eletrobras

No Brasil, onde a bolsa se sustentou muito perto dos 123 mil pontos apesar da aceleração de perdas no fim da sessão de Wall Street, está prevista para hoje a votação da medida provisória de capitalização da Eletrobras, conhecida como MP da Eletrobras. Após manifestação de descontentamento de empresas, o relator Elmar Nascimento eliminou da proposta previsão de intervenção nos preços pela Aneel e manteve na companhia desestatizada recebíveis que planejava passar para uma nova estatal. Inflação também está no foco, com a segunda prévia do IGP-M de maio estourando consensos.

Ontem, a forte demanda pelos títulos do Tesouro atrelados à inflação puxou altas nos juros futuros. Na CPI da Covid, hoje fala o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que tem direito a ficar calado para não se autoincriminar, mas terá de responder sob juramento sobre ações de terceiros.

Será a primeira sessão em que um depoente tem o direito de se calar, o que promete tensão extra. Enquanto isso, o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, é alvo de ação da Polícia Federal contra crimes de corrupção na pasta e no Ibama. O presidente Jair Bolsonaro participa da quarta reunião do comitê de enfrentamento à pandemia. O ministro Paulo Guedes tem agendas fechadas com secretários.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: TC Mover
Edição: Letícia Matsuura
Imagem: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Calendário Econômico: Ata do FOMC, CPI da Covid, Modalmais

Na boleia ou na garupa; Jair Bolsonaro afaga caminhoneiros e motociclistas

MP da Eletrobras será votada amanhã após acordo de recebíveis

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais