TC Mover
Mover

Número de investidores pessoas físicas na bolsa sobe quase 90% em 2020

Postado por: TC Mover em 05/11/2020 às 16:34

São Paulo, 05 de novembro – Antes mesmo de terminar o ano, o número de investidores pessoas físicas saltou 87,2% em relação ao ano passado. O número de contas ativas na B3 passou de 1.681.033 no encerramento de 2019 para 3.147.040 em outubro deste ano, um reflexo da maior procura por diversificação dos investidores após a queda das taxas de juros para os menores níveis da história, o que reduziu os ganhos da renda fixa. O juro básico Selic hoje está em 2% ao ano, percentual inferior à inflação esperada para o próximo ano, de 3%. 

Arte: Vinícius Martins / TC

Comparado a setembro, o décimo mês do ano teve 2,7% a mais de investidores pessoas físicas na B3. Somando as pessoas jurídicas, são 3.178.780 investidores em outubro.

Não foi apenas o número de investidores que cresceu. A participação das pessoas físicas no volume financeiro negociado no mercado de ações este ano subiu para 21,4%, superando os 18,2% de 2019 e 17,9% de 2018. Isso quer dizer que de cada R$100,00 negociados em ações na Bovespa, R$21,40 eram de pessoas físicas. Em 2015, essa fatia era de apenas 13,7%. A maior fatia dos negócios, porém, é de estrangeiros, que respondem por 46,6% do volume na bolsa. 

Sudeste e Sul lideram a lista de investidores pessoas físicas

A maioria dos investidores pessoas físicas estão nas regiões Sudeste e Sul. O estado de São Paulo sozinho é responsável por 38,4% das contas ativas. São 1.126.162 de contas paulistas em outubro, um aumento de 2,73% em relação a setembro. O número de contas ativas não corresponde necessariamente ao número de investidores, pois um investidor pode ter mais de uma corretora.

Em seguida, vem o Rio de Janeiro, com 335.935 contas, e Minas Gerais com 308.939 contas. Os estados sulistas estão logo após. O Distrito Federal é a primeira unidade federativa fora das regiões Sudeste e Sul a aparecer no ranking, com 107.568 contas. 

Maior presença de pequenos investidores

Apesar do maior número de investidores pessoas físicas na bolsa, o saldo por pessoa segue uma tendência de queda desde 2017, segundo estudo feito pela XP Investimentos. O saldo de outubro deste ano é de R$121 mil por pessoa, enquanto no final de 2017 era de R$267,9 mil, redução de 54,8%.

O saldo médio por pessoa de dezembro de 2019 para outubro de 2020 diminuiu 40.8%, correspondendo à diferença de R$83 mil. De setembro para outubro, o saldo caiu R$1 mil. Essa queda de saldo indica presença mais forte de iniciantes na bolsa e pequenos investidores, o que é um bom sinal, de acordo com a XP. 

O perfil desses investidores também mostra uma presença maior de jovens, 1,061 milhão de 26 a 35 anos, e 828 mil de 36 a 45 anos. Eles respondem, porém, por 26% do volume financeiro negociado de pessoas físicas. Os maiores valores, 33%, estão nas mãos dos investidores mais velhos, com mais de 66 anos, mas que somam 192 mil participantes.

Volatilidade de mercados no curto prazo

Os mercados devem manter a volatilidade no curto prazo, defende a XP. A corretora estima que o Ibovespa deva operar em 115 mil ponto apenas em meados de 2021. “Isso porque a elevação dos riscos no mundo deve continuar pressionando os múltiplos de negociação das empresas brasileiras”, aponta a XP.

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Angelo Pavini
Imagem: Nathália Reiter/TC

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais