Mover

Onde investir em outubro? Veja as ações recomendadas por 17 corretoras

Postado por: TC Mover em 05/10/2020 às 10:39
Quer investir na B3, a Bolsa de Valores brasileira, neste mês de outubro, mas não sabe que ações escolher? Confira as carteiras recomendadas de 17 corretoras brasileiras para outubro de 2020

Quer investir na B3, a Bolsa de Valores brasileira, neste mês de outubro, mas não sabe que ações escolher? Confira as carteiras recomendadas de 17 corretoras brasileiras para outubro de 2020. 

No geral, os analistas buscaram escolher mais papéis que se beneficiam da valorização do dólar, como os atrelados a commodities, enquanto deram espaço maior para a construção civil. O setor de logística também ganhou importância, na contramão do setor bancário, que segue no rol das sugeridas, mas perdeu espaço.

A exposição às operadoras de planos de saúde, que foi estreia em setembro, permanece como estratégia neste mês. Novamente, o setor de educação, que tem dois papéis entre os 77 que compõem o Ibovespa, é ausência notada, já que apenas uma das 17 corretoras inclui um papel do segmento entre as suas dez eleitas para o mês.

Ações eleitas como recomendação em outubro

A Vale (VALE3) segue nadando de braçada e segura o seu posto de preferida dos analistas, com 11 citações. A vice-liderança das preferências volta a ser ocupada pela B3 (B3SA3), com nove indicações.

A gestora da bolsa brasileira é vista como a “principal beneficiária da queda nas taxas de juros”, segundo a Safra Corretora.

A Via Varejo completa o top 3, com oito sugestões. Destaque para a outra grande varejista, a Magazine Luiza, que voltou a figurar entre as eleitas, com quatro recomendações.

A siderúrgica Gerdau, que capta benefícios da desvalorização do real, retomada das obras de infraestrutura e de construção, mostrou que veio para ficar, integrando sete das 17 carteiras.

As duas surpresas do mês, o frigorífico Marfrig, com cinco indicações, e a construtora EzTec, com três, são resultado dessa mesma estratégia: de maior exposição à construção e ao mercado internacional. Também despontando como estreia está a Randon, do setor de logística.

A Hapvida voltou a ter cinco recomendações e representa o interesse maior dos analistas pelo setor de administração de planos de saúde.

A blue chip Petrobras PN vem perdendo espaço e foi citada, por mais um mês, por somente quatro corretoras.

Veja as ações mais indicadas para outubro:

Ação

Ticker

Número de indicações

Vale ON

VALE3

11

B3 ON

B3SA3

9

Via Varejo

VVAR3

8

Gerdau PN

GGBR4

7

Bradesco PN

BBDC4

6

Hapvida ON

HAPV3

5

Marfrig

MRFG3

5

Banco do Brasil

BBAS3

4

JBS

JBSS3

4

Magazine Luiza

MGLU3

4

Petrobras PN

PETR4

4

Rumo

RAIL3

4

EzTec

EZTC3

3

Randon

RAPT4

3

Fonte: BB-BI, Mirae Asset, Necton, Bradesco BBI, Terra, Guide, Genial, BTG Pactual,  Planner,  Socopa, Toro, Safra Corretora, XP, Elite, Itaú, Modalmais, Santander

Vale (VALE 3)

A escolha da mineradora reflete seu desconto ante os pares australianos, seu forte resultado no segundo trimestre, a resiliência da cotação do minério de ferro com a forte demanda chinesa em infraestrutura, aliado ao anúncio animador de retomada da política de pagamento de dividendos.

“O segundo semestre está progredindo de acordo com o planejado e as perspectivas para 2021 são promissoras, com um aumento relevante nos volumes”, avalia a Terra Investimentos.

Já a Necton observa que mantém “boas perspectivas para as ações da Vale, pelo forte resultado no segundo trimestre e a resiliência do minério de ferro em US$124 a tonelada com a forte demanda chinesa em infraestrutura”.

B3 (B3SA3)

A Safra Corretora diz que o forte volume de novas ofertas públicas (IPO e Follow-Ons) na bolsa de valores deve continuar a beneficiar a empresa. 

“Recentemente, a B3 aumentou seus investimentos para o ano de 2020. Além disso, seus fundamentos também são muito interessantes. A B3 tem forte geração de caixa e é boa pagadora de dividendos. Estamos estimando um rendimento de dividendos de em torno de 4,3% para 2020, o que é bastante atrativo”, avalia.

Para o Santander, nos próximos trimestres, é esperado o contínuo ingresso de recursos na bolsa diante do cenário onde as taxas de juros continuam baixas.

Via Varejo (VVAR3)

A Planner Corretora, que manteve a Via Varejo entre as suas dez ações preferidas para outubro, acredita em uma “melhora dos resultados da empresa nos próximos meses, com o online a todo vapor e também lojas físicas abertas”.

“Acreditamos que exista espaço para alta, considerando que as ações da Via Varejo ainda estão descontadas, se comparadas às dos seus concorrentes”, avaliam.

Gerdau (GGBR4)

O BTG Pactual incluiu a Gerdau na sua carteira 10SIM para outubro pela intenção de aumentar a exposição à construção e infraestrutura. “Demanda alta por obras no Brasil e real mais fraco preparou o caminho para aumentos de preços no setor”, disseram os analistas para justificar a escolha.

Segundo o Santander, a divisão da América do Norte da Gerdau continua apresentando resultados consolidados resilientes, já que apesar de uma possível queda nas margens nos Estados Unidos vem se beneficiando do real mais fraco. “A nosso ver, a Gerdau tem um forte balanço patrimonial e acreditamos que a empresa possa promover elevações no preço do aço, indo de encontro com as outras siderúrgicas que já anunciaram elevações”, acrescentam.

Bradesco (BBDC4)

O Bradesco BBI disse que escolheu o Bradesco PN para compor sua carteira nesse mês, tendo em vista que a queda de sua cotação provocada pela crise do Covid-19, tornou os papéis da companhia mais atrativos”.

“De maneira geral, apesar do cenário mais incerto para o curto/médio prazo que podem acarretar em quedas nas lucro, com aumento da inadimplência e respectivo aumento da PDD, acreditamos na resiliência do banco para enfrentamento da crise em meio ao seu bom histórico de governança e gestão de risco, atrelados ao seu maior engajamento no segmento digital através do banco Next, fortalecendo o arsenal do banco para a travessia dessa crise”, observam.

Magazine Luiza (MGLU3)

Para o analista Pedro Galdi, da Mirae Asset, a Magazine Luiza “terá um cenário favorável nos próximos meses, com melhora de margens e de resultado”. “Estimamos que também deverá continuar estudando novas aquisições e inaugurando novas lojas ao longo dos próximos meses. No último dia 26/agosto anunciou uma recompra de ações”, destaca.

“Estamos aumentando nossa exposição ao e-commerce ao substituir Lojas Americanas por Magazine Luiza. Embora a avaliação da Magalu não seja uma pechincha, ela está se aproveitando da mudança no comportamento do consumidor causada pela pandemia e de fortes e sólidos resultados”, explica o BTG Pactual, que adicionou a varejista às recomendadas do mês.

Marfrig (MRFG3)

A Necton lembra que a Marfrig é a segunda maior produtora de carne bovina do mundo, com operações na América do Sul, América do Norte e Ásia. Entre os motivos que a levaram a incluir o frigorífico neste mês em sua carteira recomendada de ações está o fato da “companhia ter passado por diversas transformações em 2019, sendo as principais a melhora na estrutura de capital, com a compra antecipada das notas sênior 2023, no valor de US$ 446,1 milhões, oferta primária de R$ 900 milhões e a saída no BNDES que detinha 33% da companhia”.

Além disso, diz, a companhia apresentou melhora substancial das suas operações, com EBITDA recorde no segundo trimestre, principalmente pela boa performance no mercado norte americano. “A Marfrig também pretende zerar o prejuízo acumulado no balanço de R$ 1,5 bilhões e iniciar o pagamento de dividendos em 2021”, contou.

EzTec (EZTC3)

A EzTec, para a Mirae Asset, é uma das melhores construtoras residenciais no Brasil e nesse momento as ações operam com preços atrativos.

“A construtora segue muito bem posicionada para se beneficiar da retomada da economia brasileira, esse otimismo é reforçado pelas informações da empresa que irá intensificar lançamentos no segundo semestre de 2020 após julho ser o melhor mês de vendas de 2020, acreditamos que esse fator melhorará a percepção dos investidores sobre as ações”, revela a corretora.

Confira abaixo as carteiras de cada uma das 17 corretoras do levantamento da TC Mover.

O que esperar para outubro?

Os analistas esperam mais volatilidade para outubro, mas a projeção é de melhora do Ibovespa neste mês após o índice acionários brasileiro registrar queda de 4,80% em setembro, a maior perda desde março.

Para a Genial Investimentos, “com exceção dos eventos não precificados pelo mercado (Cisne Negro, Eventos de Cauda), os eventos que devem causar maior volatilidade no mercado são as eleições americanas, previstas para novembro, e a pauta de reformas necessárias para o avanço fiscal no Brasil”.

A Planner indica que a expectativa de mudança no rumo das bolsas concentra no início da safra de resultados corporativos do terceiro trimestre, que deverão mostrar números em franca recuperação.

O BB Investimentos entende que a tendência em outubro é que a volatilidade continuará a permear não apenas o Ibovespa, mas as bolsas pelo mundo. “Isto acentua a dificuldade de identificar uma tendência mais clara para o Ibovespa, mas, mesmo assim, se sobressai um viés de baixa no curto prazo”, conta.

A Necton iniciou o mês com uma visão de moderado pessimismo, “por uma questão de preço julgamos que, na média, os ativos se encontram atrativos, porém, não identificamos a presença de drivers de curto prazo que possam reverter a dinâmica negativa de forma drástica”.

Já o Santander, a XP, a Mirae e o Bradesco BBI se mostram otimistas para o índice brasileiro. “Apesar de nosso indicador técnico sugerir um mercado mais precificado no curto prazo, mantemos o viés positivo, uma vez que os níveis atuais das taxas de juros devem continuar a impulsionar a realocação de ativos em andamento. Seguimos com a nossa projeção 110.000 pontos para o Ibovespa ao final deste ano”, diz a nota do Santander.

“Diante disso, para o mês de outubro, continuamos enxergando atratividade em determinados setores, especialmente para aqueles mais “atrasados” em relação ao Ibovespa e com bons fundamentos. Entendemos, também, ser adequado não elevarmos demasiadamente o coeficiente de risco (Beta) das carteiras neste momento, em linha com a nossa visão de médio e longo prazo”, acrescenta.

O Bradesco BBI reiterou sua visão favorável no longo prazo. “Projetamos que o Ibovespa possa encerrar o próximo ano na casa dos 130 mil pontos. Em nossa visão, as ações brasileiras estão precificando altos riscos políticos e fiscais e uma pergunta é fundamental. O Congresso apoiará a equipe econômica para cumprir o limite de gastos em 2021? Pensamos que sim, mas reconhecemos que precisamos de alguns meses para termos maior clareza”, observam.

A XP segue otimista com o índice e “mantém sua estimativa em 115 mil pontos dentro dos próximos 3-6 meses. Essa estimativa se baseia na projeção de lucros das empresas que compõem o índice e um múltiplo de preço sobrev lucro estimado de 14 vezes”. O principal risco por trás dessa estimativa, afirma, é o “aumento do prêmio de risco no Brasil gerado pela preocupação da trajetória fiscal pode continuar pressionado os múltiplos da Bolsa brasileira, levando mais tempo para que o índice volte a negociar em um patamar de 14 vezes seu lucro estimado”.

Confira as carteiras recomendadas por cada corretora para outubro:

1. Bradesco/Ágora Investimentos

Ação

Peso, em %

Cesp (CESP6)

10

Eletrobras (ELET6)

10

Itaú (ITUB4)

10

Suzano (SUZB3)

10

Lojas Americanas (LAME4)

10

B3 (B3SA3)

10

Iguatemi (IGTA3)

10

Petrobras (PETR4)

10

Rumo (RAIL3)

10

Vale (VALE3)

10

Fonte: Ágora Investimentos.

2. BB Investimentos

Ação

Peso, em %

Bradesco (BBDC4)

10

Cyrela (CYRE3) *

10

Unidas (LCAM3)

10

Marfrig (MRFG3)

10

Randon (RAPT4) *

10

Santander (SANB11)

10

Taesa (TAEE11)

10

Vale (VALE3)

10

Via Varejo (VVAR3)

10

Yduqs (YDUQ3) *

10

Fonte: BB Investimentos *entraram na carteira.

3. BTG Pactual

Ação

Peso, em %

Vale ON (VALE3)

10

Petrobras (PETR4)

10

Magazine Luiza (MGLU3)

10

B3 (B3SA3)

15

Gerdau (GGBR4) *

10

TIM Brasil (TIMP3)

10

CCR (CCRO3)

10

Duratex (DTEX3)

5

Oi (OIBR3) *

10

Cyrela (CYRE3) *

10

Fonte: BTG Pactual *entraram na carteira.

4. Elite

Ação

Peso, em %

B3 (B3SA3)

10

Banco do Brasil (BBAS3)

10

EzTec (EZTC3)

10

Itaúsa (ITSA4) *

10

Lojas Renner (LREN3)

10

Magazine Luiza (MGLU3)

10

Natura (NTCO3) *

10

Unidas (LCAM)

10

Vale (VALE3)

10

WEG (WEGE3)

10

Fonte: Elite Investimentos *entraram na carteira.

5. Genial Investimentos

Ação

Peso, em %

Totvs (TOTS3 )*

10

Aliance Sonae (ALSO3)

10

Banco BMG (BMGB4)

10

Bradespar (BRAP4)

10

Hapvida (HAPV3)

10

Dimed Panvel (PNVL3)

10

Sinqia (SQIA3)

10

Vulcabras (VULC3)

10

Locaweb (LWSA3)

10

Log Commercial (LOGG3)

10

Fonte: Genial Investimentos *entraram na carteira.

6. Guide Investimentos

Ação

Peso, em %

Vale (VALE3)

10

Locaweb (LWSA3)

10

JBS (JBSS3)*

10

Hapvida (HAPV3)

10

B3 (B3SA3 )

10

Equatorial (EQTL3)

10

BTG Pactual (BPAC11)

10

Natura (NTCO3)*

10

WEG (WEGE3)*

10

Rumo (RAIL3)

10

dapibus leo.

Fonte: Guide Investimentos *entraram na carteira.

7. Itaú Corretora

Ação

B3 (B3SA3)

Eztec (EZTC3)

JBS (JBSS3)

Lojas Renner (LREN3)

Sabesp (SBSP3)

Fonte: Itaú Corretora.

8. Modalmais

Ação

Alpargatas (ALPA4)*

Bradespar (BRAP4)*

Gerdau (GGBR4)*

WEG (WEGE3)*

Randon (RAPT4)*

 

Fonte: Modalmais *entraram na carteira

9. Mirae Asset

Ação

Peso, em %

Cosan (CSAN3) *

10

Gerdau (GGBR4)

10

Ind. Romi (ROMI3)

10

Iochpe-Maxion (MYPK3) *

10

Klabin (KLBN11) *

10

Magazine Luiza (MGLU3)

10

Marfrig (MRFG3) *

10

Randon (RAPT4 )

10

Vale (VALE3)

10

Via Varejo (VVAR3)

10

Fonte: Mirae Asset *entraram na carteira.

10. Necton

Ação

Peso, em %

Bradesco (BBDC4)

10

Banco do Brasil (BBAS3)

10

Gerdau (GGBR4)

10

Vale (VALE3)

10

B3 (B3SA3) *

10

Rumo (RAIL3)

10

Vivara (VIVA3)

10

Marfrig (MRFG3)*

10

Hapvida (HAPV3)

10

Fonte: Necton *entraram na carteira.

11. Planner

Ação

Peso, em %

BR Properties (BRPR3)

10

C&A Modas (CEAB3)

10

Engie do Brasil (EGIE3)

10

BR Distribuidora (BRDT3)

10

Itaú (ITUB4)

10

Via Varejo (VVAR3)

10

Ecorodovias (ECOR3)*

10

Copasa (CSMG3) *

10

Telefônica Brasil (VIVT4) *

10

Trisul (TRIS3) *

10

Fonte: Planner *entraram na carteira.

12. Safra Corretora

Ação

Bradesco (BBDC4)

Banco do Brasil (BBAS3)

B3 (B3SA3)

BB Seguridade (BBSE3) *

Via Varejo (VVAR3)

Petrobras (PETR4)

Bradespar (BRAP4)

Vale (VALE3)

Gerdau (GGBR4)

Iguatemi (IGTA3)

CESP (CESP6)

Engie Brasil (EGIE3)

Hapvida (HAPV3)

Hermes Pardini (PARD3)

Tegma (TGMA3)

 

CCR (CCRO3)

TIM Brasil (TIMP3)

 

Fonte: Safra Corretora *entrou na carteira.

13. Santander

Ação

Peso, em %

Bradesco (BBDC4)

10

BTG Pactual (BPAC11) *

10

B2W (BTOW3)

10

Carrefour (CRFB3)

10

Klabin (KLBN11)

10

Marfrig (MRFG3)

10

Petrobras (PETR3)

10

Totvs (TOTS3)

10

Vale (VALE3)

10

Via Varejo (VVAR3)

10

Fonte: Santander *entrou na carteira.

14. Socopa

Ação

Peso, em %

Bradesco (BBDC4)

20

CCR (CCRO3)

20

Energias Brasil (ENBR3)

20

Hapvida (HAPV3)

20

JBS (JBSS3)

20

Fonte: Socopa.

15. Terra Investimentos

Ação

Peso, em %

B3 (B3SA3)

10

Bradesco (BBDC4)

10

EzTec (EZTC3)

10

Gerdau (GGBR4)

10

JBS (JBSS3)

10

Petrobras (PETR4)

10

Rumo (RAIL3)

10

Telefônica Brasil (VIVT4)

10

Vale (VALE3)

10

Via Varejo (VVAR3)

10

Fonte: Terra Investimentos.

16. Toro Investimentos

Ação

Peso, em %

Ambev ( ABEV3)

10

Alpargatas (ALPA4)

10

CSN (CSNA3)

10

Duratex (DTEX3)

10

Fleury (FLRY3)

10

ETF IVVB11 (IVVB11)

10

Magazine Luiza (MGLU3)

10

PetroRio (PRIO3)

10

ISA CTEEP (TRPL4)

10

WEG (WEGE3)

10

Fonte: Toro Investimentos.

17. XP Investimentos

Ação

Peso, em %

B3 (B3SA3)

10

Banco do Brasil (BBAS3)

10

Gerdau (GGBR4)

10

Omega Energia (OMGE3)

10

Lojas Americanas (LAME4)

10

Locaweb (LWSA3)

10

Marfrig (MRFG3)

10

Vale (VALE3)

10

Vivara (VIVA3)

10

Via Varejo (VVAR3)

10

Fonte: XP Investimentos.

Texto: Bárbara Leite/TC Mover

Edição: Ana Carolina Amaral

Arte: Nathália Reiter/TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais