TC Mover
Mover

Preços ao produtor puxam alta de 3,28% no IGP-M de novembro

Postado por: TC Mover em 27/11/2020 às 13:51

São Paulo, 27 de novembro – O Índice Geral de Preços do Mercado, IGP-M, de novembro, divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas, FGV, subiu 3,28% na comparação mensal. Os preços ao produtor impulsionaram a inflação, especialmente em relação às commodities agropecuárias, como milho, trigo e bovinos.

O índice apresentou aceleração aos 3,23% do mês anterior e agora acumula alta de 21,97% no ano e 24,52% nos últimos 12 meses. Este dado é geralmente usado para corrigir contratos de aluguel, prestação de serviços, tarifas públicas, entre outros. Diante do aumento, porém, é provável que alguns reajustes sejam renegociados ou parcelados. 

Alta dos componentes do IGP-M

O IGP-M é a média ponderada de três outros índices: Índice de Preços ao Produtor Amplo, IPA, Índice de Preços ao Consumidor, IPC, e Índice Nacional de Custo da Construção, INCC. Segundo o relatório da FGV, o IPA impulsionou a alta do índice em novembro. Tanto o IPC quanto o INCC desaceleraram em novembro, mas seguem em níveis elevados.

Tabela - IGP-M - Novembro
Fonte: FGV

O IPA subiu 4,26% em novembro, acima dos 4,15% de outubro, acumulando 30,46% no ano e 34,16% em 12 meses. A maior pressão veio dos preços agropecuários, que subiram 8,96% no mês e acumulam 52,20% no ano e 61,91% em 12 meses. Os preços industriais subiram menos, 2,31% no mês, acumulando 22,73% no ano e 24,74% em 12 meses. 

Dentro do IPA, o grupo de matérias-primas brutas ajudou a elevar o índice em novembro. As commodities agropecuárias lideraram a alta, com o milho em grão subindo 21,85% ante 10,95% em outubro, o trigo acelerando de 2,32% para 19,20% e os bovinos com alta de 7,40% ante 6,92% no mês anterior. Na outra ponta do grupo está o minério de ferro, que acentuou a queda de 0,71% para 2,39%

O IPC aumentou 0,72% em novembro, enquanto no mês anterior teve alta de 0,77%. No ano, o IPC sobe 3,56% e, em 12 meses, 4,42%. Os transportes, saúde e cuidados pessoais e comunicação elevaram o índice. Entretanto, a educação, a alimentação e a habitação recuaram as taxas. As despesas diversas apresentaram queda de 0,04% em novembro, enquanto o vestuário manteve a alta de 0,29%. 

O INCC subiu 1,29% em novembro, ante 1,69% no mês anterior. No ano, o índice, usado na correção dos contratos de compra de imóveis na planta, acumula 7,71% e, em 12 meses, 7,86%. Os materiais e equipamentos puxaram a desaceleração do índice, recuando de 4,12% para 2,85%. Os serviços e a mão de obra, por outro lado, tiveram maior alta que em outubro.

Diferença entre os IGPs

O cálculo do IGP-10 também se aplica aos outros índices gerais de preços da FGV, o IGP-M e o IGP-DI. A diferença entre os IGPs é a data de coleta de informações. O IGP-10 mede a variação de preços entre o dia 11 do mês anterior e o dia 10 do mês de referência. Já o IGP-DI, leva em consideração os dados do primeiro ao último dia do mês de referência. O IGP-M é medido por informações coletadas entre os dias 20 do mês anterior e dia 21 do mês de referência.

Como calcular a correção de contratos com IGP-M?

O cálculo para correção de contratos, como o aluguel, utilizando o IGP-M é feito de forma simples. Geralmente, considera-se o acumulado de 12 meses no cálculo do reajuste. No caso de reajuste em dezembro, o dado utilizado seria 24,52%.

Assim, os 24,52% do IGP-M equivalem a 0,2452. O cálculo consiste em 1 + IGP-M e, depois da soma, basta multiplicar pelo valor do aluguel. Ou seja, 1,2452 x valor do aluguel.

Texto: Letícia Matsuura
Edição: Angelo Pavini
Imagem: Divulgação

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais