Mover

Pregão repercute fala de Maia; no radar, vencimento, Vale, China e estímulo: Espresso

Postado por: TC Mover em 19/10/2020 às 8:19
Rumores de que a prorrogação do estado de calamidade no Brasil por mais três meses é quase certa foi o estopim para mais um desempenho ruim dos mercados locais na sexta-feira.

São Paulo, 19 de outubro – Rumores de que a prorrogação do estado de calamidade no Brasil por mais três meses é quase certa foi o estopim para mais um desempenho ruim dos mercados locais na sexta-feira. 

Seria lógico, portanto, que começássemos a semana com câmbio, bolsa e juros futuro pressionados, com o Senado abrindo espaço para mais gastos fiscais e ajuda emergencial, alimentando os sonhos populistas do presidente Jair Bolsonaro e enfraquecendo o esforço fiscal da equipe do ministro da Economia Paulo Guedes

O investidor deve repercutir hoje as palavras do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que tanto na sexta como no sábado disse que não há chance de uma prorrogação e que, mesmo que o governo edite uma medida provisória nesse sentido, sofrerá resistência do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal de Contas da União. Fique atento. 

Outros destaques do dia por aqui incluem o vencimento de opções sobre ações e a divulgação da prévia operacional da Vale, que deve ter produzido 87 milhões de toneladas de minério de ferro no terceiro trimestre. 

Enquanto isso, os ativos de risco avançam na Europa e no pré-mercado em Nova Iorque, refletindo progresso nas negociações para a prorrogação do programa de estímulo nos Estados Unidos. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, deve decidir o que fazer com o programa amanhã. O presidente americano Donald Trump renovou a oferta de ir além dos valores propostos por ela. 

Os Treasuries, o dólar americano e o petróleo recuam, enquanto os futuros dos índices-referência em Wall Street sobem. Bancos e seguradoras lideram os ganhos em Londres e Frankfurt com notícias de que o Reino Unido e a União Europeia estão perto de um acerto amistoso quanto ao Brexit

A libra se fortalece com a notícia. O iuan desacelerou a alta e as bolsas caíram depois que os dados do PIB da China frustraram o consenso – apesar dos dados saudáveis de atividade em setembro. Fique de olho nos discursos desta manhã por parte dos presidentes do Federal Reserve, Jerome Powell, e do Banco Central Europeu, Christine Lagarde.

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais