TC Mover
Mover

Projeções da taxa Selic para 2021 sobem após Copom

Postado por: TC Mover em 17/06/2021 às 18:47
Projeções da taxa Selic sobem após Copom

São Paulo, 17 de junho – As projeções da taxa Selic, a taxa básica de juros, feitas por casas de análise foram revisadas para cima após um comunicado mais severo do Comitê de Política Monetária, Copom, na última quarta-feira, 17. O texto mostrou que o Banco Central tentará conter a alta da inflação, o que abrirá as portas para ajustes mais duros da taxa básica de juros, caso necessário.


Sinalização do Copom gerou uma série de elevações de projeções da taxa Selic

Na última reunião, o Copom elevou a taxa básica de juros, a taxa Selic, em 75 pontos base, para 4,25% ao ano. Ele sinalizou um aumento semelhante para a próxima reunião de agosto.

Mas, tendo em vista o cenário de incerteza quanto à inflação, a sinalização para um ajuste mais profundo caso necessário desencadeou uma série de elevações das projeções da taxa Selic para 2021 por analistas.


Credit Suisse tem a maior das projeções da taxa Selic para 2021, chegando em 7,25%

Entre as projeções da taxa Selic, o Credit Suisse tem a maior aposta de alta. A previsão chega é que os juros cheguem em 7,25% até dezembro, ante a última estimativa de 6,50%. Segundo os analistas do banco, o Banco Central terá de subir a taxa básica para um nível acima do patamar neutro, tido entre 6,25% e 6,75%, para então conseguir ancorar a inflação no centro da meta em 2022, fixado em 3,50%.

Para o Credit Suisse, o Copom elevará a taxa Selic em 75 pontos-base por quatro vezes consecutivas. Entretanto, o banco não descarta três aumentos de 100 pontos-base, caso a situação inflacionária do país piore.


Analistas do BNP Paribas esperam cenário de aumento de inflação nos próximos meses

Já o BNP Paribas vê o mesmo cenário de aumento da inflação nos próximos meses, o que levará o Banco Central a elevar a taxa Selic para 7,50% no início de 2022, aumento de 1 ponto percentual da última perspectiva. Os analistas do banco francês agora veem a inflação em 6,50% em 2021, ante a última estimativa de 6,00%, e em 4,00% no ano que vem, portanto acima do centro da meta.

O economista e sócio da BRA, João Beck, comenta que o comunicado de ontem deixou claro que o Banco Central passou a levar a sério a inflação. “Por aqui, não há debate se choques são temporários ou não, o Copom vai agir de qualquer forma”, resumiu ele.


Bank of America também ampliou trajetória de altas para a taxa Selic

O Bank of America também vê uma trajetória semelhante às outras projeções da taxa Selic. Segundo a estimativa do banco americano, os juros aumentam para 6,50% no final do ano. Antes a previsão dos analistas do banco era de 6,00%. A mesma estimativa é feita por Flávio Aragão, sócio da 051 Capital, que estima a taxa Selic entre 6,25% e 6,75%, “deixando no radar aumentos de 1,00% nas próximas reuniões”.

Como resultado, todos os contratos de juros futuros, DIs, operaram em forte alta no pregão desta quinta-feira, 17. Os contratos para janeiro de 2022 e janeiro de 2023 subiram 16 e 14 pontos-base, atingindo 5,59% e 7,15%, respectivamente. Movimento semelhante para os contratos de médio prazo, para 2024 e 2025, que avançaram 11 e 15 pontos-base.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Cintia Thomaz e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

Senado aprova parecer da MP da Eletrobras em decisão apertada

Recuperação econômica fortalecerá exportadoras até 2022, diz Moody’s

Votação da MP da Eletrobras se arrasta e ações caem

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais