Mover

Risco fiscal derruba Ibovespa; no radar, emprego nos EUA, serviços, balanços: Espresso

Postado por: TC Mover em 10/02/2021 às 19:55
Ibovespa

São Paulo, 10 de fevereiro – O Ibovespa fechou em baixa hoje pelo terceiro pregão seguido e voltou para os 118 mil pontos em meio ao receio com as contas públicas brasileiras após a proposta de recriação do auxílio emergencial ganhar força no Congresso.

O resultado das vendas no varejo em dezembro muito abaixo do esperado também pesou na bolsa brasileira, especialmente nos papéis ligados ao consumo e nos bancos, diante da expectativa de menor atividade e de juros baixos por mais tempo. A possível volta da CPMF, mesmo que temporariamente, para financiar o novo auxílio, também pesou sobre os bancos. O cenário externo, por sua vez, não ajudou o mercado brasileiro, mas também não atrapalhou.

Em Nova Iorque, as bolsas oscilaram entre ganhos e perdas ao longo do dia, com os índices Dow Jones Industrials, S&P500 e Nasdaq registrando novos recordes intradiários de pontos logo pela manhã. No fim do dia, porém, apenas o Dow manteve os ganhos e chancelou uma nova máxima histórica de fechamento, enquanto o S&P500 e o Nasdaq terminaram com pequenas baixas.

Amanhã, os dados de pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos serão um novo teste para os mercados, assim como o início do feriado do Ano Novo Lunar na China. No Brasil, os mercados vão reagir às conversas sobre o auxílio emergencial e à aprovação hoje da autonomia do Banco Central. O comportamento dos estrangeiros também estará no radar. Eles voltaram a tirar recursos da bolsa R$870 milhões no dia 8, e o acumulado em fevereiro caiu para R$848 milhões.

Expectativa de crescimento de serviços em dezembro é de 0,30%

Na agenda de quinta-feira, o destaque será o volume de serviços de dezembro do IBGE, que fecha o conjunto de dados do mês. Depois dos números ruins do varejo divulgados hoje, a expectativa não é muito animadora, já que serviços foi o setor mais atingido pela pandemia.

A estimativa é que o setor registre crescimento no mês de 0,30%, já com ajuste sazonal, depois de subir 2,6% em novembro. Na variação anual, a expectativa é de queda de 2,6%, menor que a de 4,8% do mês anterior. Além disso, o Tesouro fará seu leilão semanal.

AstraZeneca, BB e Cyrela divulgam balanço trimestral

Na agenda de balanços, no exterior, destaque para Pepsico, AstraZeneca, Duke Energy, Brookfield, Kraft Heinz, Tyson Foods e Kellogg antes da abertura dos negócios. Depois do fechamento, saem Disney e VeriSign.

No Brasil, destaque para Banco do Brasil, Rumo, Engie Brasil, Cosan, Lojas Renner, Cesp, Biosev e Cyrela Commercial Properties depois do fechamento do pregão, além de Sanepar. Amanhã também Cruzeiro do Sul Educacional e Westwing estreiam na bolsa.

Texto: TC Mover
Edição: Letícia Matsuura
Arte: TC Mover

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.


Leia também

Bradesco BBI retoma cobertura de imobiliárias com preferência por baixa renda

Mansano: A autonomia do Banco Central

Corleta: Fluxo do dólar sinaliza desconfiança com ajuste fiscal e BC, dizem traders

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais