TC Mover
Mover

XP eleva preços-alvo de mineração e siderurgia e recomenda compra de Vale (VALE3) e Gerdau (GGBR4)

Postado por: TC Mover em 19/10/2020 às 14:48
A XP Investimentos elevou os preços-alvo das ações da Vale (VALE3), Bradespar (BRAP4), Gerdau (GGBR4), Metalúrgica Gerdau (GOAU4) e Usiminas (USIM5) considerando os preços mais altos das commodities, em especial do minério de ferro, conforme relatório assinado pelo analista Yuri Pereira.

São Paulo, 19 de outubro – A XP Investimentos elevou os preços-alvo das ações da Vale (VALE3), Bradespar (BRAP4), Gerdau (GGBR4), Metalúrgica Gerdau (GOAU4) e Usiminas (USIM5) considerando os preços mais altos das commodities, em especial do minério de ferro, conforme relatório assinado pelo analista Yuri Pereira. 

A corretora mantém a preferência pelas ações da Vale devido à forte demanda pelo minério de ferro da China após incentivos do governo chinês e recomposição de estoques da mineradora. Manteve também a recomendação de compra para Gerdau, Metalúrgica Gerdau e Bradespar, holding não financeira do Bradesco cujo principal ativo são ações da Vale. Já Usiminas segue com recomendação neutra. 

O que diz a corretora sobre Vale (VALE3), Bradespar (BRAP4), Gerdau (GGBR4) e Usiminas (USIM5)

Para as ações ON da Vale, a XP elevou o preço-alvo de R$85,00 para R$86,00, contando com preços mais altos de minério de ferro e menores custos com base em volumes mais altos no segundo semestre. 

A corretora aumentou a previsão para o minério de ferro de US$95,00 a tonelada para US$110,00, estimando um volume produzido de 305 mil toneladas este ano para 300 mil toneladas, no piso das estimativas da empresa. Já Bradespar deve manter o desconto de 20% sobre os papéis da mineradora e seu preço-alvo foi elevado de R$55,00 para 57,00. 

No caso de Gerdau, o preço-alvo da ação PN da empresa passou de R$22,50 para R$25,00, diante da alta dos preços do aço e das vendas mais fortes de aços longos pelo aquecimento da construção civil, que deve levar a uma queda menor das vendas no Brasil, de 10%, ante 12% previstos anteriormente. 

Para a XP, o setor siderúrgico brasileiro tem espaço para mais aumentos de preços por conta da alta do dólar e dos preços internacionais saudáveis. Já Metalúrgica Gerdau deve manter o desconto de holding de 20%, e seu preço-alvo subiu de R$10,50 para R$11,70. 

Usiminas PNB teve seu preço-alvo elevado de R$8,50 para R$12,50, por conta dos preços das commodities e uma recuperação mais rápida do setor automotivo, diz a XP, que manteve, porém, a recomendação neutra para o papel. 

Para a corretora, os preços mais altos do minério de ferro, que a empresa também produz, e do aço devem melhorar os ganhos da Usiminas e levar a um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, o Ebitda, de R$3,2 bilhões em 2021, com margem de 20%. 

A XP vê uma recuperação gradual nos volumes de aços planos no segundo semestre, mas o ano deve fechar ainda em queda de 12% sobre 2019. 

Texto: Angelo Pavini

Edição: Ana Carolina Amaral

Imagem: divulgação

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais