0

Sanita: Aura Minerals (AURA33) tem risco x retorno interessante

colunas

Sanita: Aura Minerals (AURA33) tem risco x retorno interessante

Olhando o curto prazo, a Aura Minerals conseguiu romper o canal de baixa que durava meses e agora a expectativa é de virada de tendência

Sanita: Aura Minerals (AURA33) tem risco x retorno interessante
sergio_sanita

Atualizado há 4 meses

Ícone de compartilhamento

Esta semana falo sobre a Aura Minerals (AURA33), empresa de produção de ouro e cobre, focada no desenvolvimento e operação de projetos de tamanho intermediário nas Américas.

A Aura vem há várias semanas numa tendência de baixa, mesmo em detrimento da recuperação dos setores de siderurgia e mineração de seus pares (que tem mais foco em minério de ferro e aço, enquanto a Aura tem foco em ouro, prata e cobre).

A queda do topo de julho/2021 até a mínima de janeiro/2022 foi de mais de 40%, e a mínima histórica do ativo foi renovada:

Aura Minerals

Olhando o curto prazo, um sinal interessante foi dado na semana passada, quando conseguimos romper o canal de baixa que durava meses:

Aura Minerals

A partir daqui, temos a expectativa de virada de tendência de baixa para alta, especialmente se conseguirmos vencer a MM21 no decorrer das próximas semanas:

Aura Minerals

Nesse cenário, acredito num movimento que vem em direção à retração de 61,8% de Fibonacci de todo o movimento de queda, que estaria na região dos R$57,00, e que, dos preços atuais, representam uma potencial alta de 20%:

Até a máxima histórica, teríamos um potencial de quase 43%:

Aura Minerals

Os indicadores técnicos também nos mostram a virada de tendência, de baixa para alta.

O IFR14 mostra mais força que o preço no semanal:

Aura Minerals

O estocástico já mostra compra e tem bastante espaço até a região de topo:

Aura Minerals

O MACD também já virou pra compra, corroborando com os movimentos do preço:

Aura Minerals

Além disso, vemos que a Aura Minerals está bem defasada em relação às valorizações que ocorreram no cobre (+52%), prata (+26%) e ouro (+2%) desde o início de negociação do ativo na B3.

Aura Minerals

A assimetria neste momento mostra uma vantagem interessante para se avaliar entrada em AURA33.

Algum ponto de atenção? Sim! O que joga contra o papel é que ele tem pouca liquidez.

Se for para alocar um percentual pequeno do seu capital, visando algumas semanas/meses, vejo um risco x retorno interessante dados os argumentos técnicos e correlações apresentadas no texto.

Como sempre, deixo o alerta: além da análise da movimentação dos preços via AT, devemos considerar o cenário macro/micro atual, perspectivas de curto prazo para o setor e decisões políticas que afetam diretamente a economia (e no Brasil costumam fazer bastante preço) para avaliarmos se faz sentido investir nessa empresa.

A seguir, conheça os projetos da Aura Minerals.

Projetos em Produção

Projeto Ernesto/Pau-a-Pique: EPP está localizado em Mato Grosso, Brasil, a aproximadamente 450 km a oeste de Cuiabá, capital do estado, e a 12 km da cidade de Pontes e Lacerda. O complexo consiste em uma planta de processamento alimentada pelas minas a céu aberto de Lavrinha, Japones, Rio Alegre e Ernesto e o depósito subterrâneo de Pau-a-Pique. Outras minas importantes, como o depósito NOSDE, estão localizadas nas proximidades e encontram-se em estágio de desenvolvimento e exploração.

Mina de San Andres: De propriedade integral da Aura Minerals, está localizado a 360 km da capital Tegucigalpa, em Honduras, nas montanhas ocidentais do país. A exploração e a mineração artesanal foram realizadas na área desde a década de 1930, com a modernização iniciada em 1983. A Aura adquiriu a propriedade e as instalações em 2009 e atualmente opera o complexo de mina a céu aberto e lixiviação em pilha a uma taxa de 20.000 mil toneladas por dia.

Aranzazu: De propriedade integral da Aura Minerals, é uma mina subterrânea de ouro, prata e cobre, localizada em Zacatecas, México, a aproximadamente 800 km da Cidade do México. A evidência documentada de mineração na área remonta a quase 500 anos. A mina atual está em operação desde 1962, com a Aura assumindo a propriedade em 2008. Em 2014, a Aura fechou a mina para reengenharia e reconstrução das entradas e zonas de produção da mina. A mina reabriu em 2018 e atingiu a produção comercial em dezembro.

Mina Gold Road: Uma mina de ouro subterrânea, de veio estreito, localizada no histórico distrito de mineração de Oatman, no norte do Arizona, a nordeste da fronteira Califórnia-Nevada-Arizona e a 40 quilômetros a sudoeste de Kingman, Arizona. A Gold Road está em uma localização geográfica favorável, com excelente infraestrutura e logística das comunidades próximas. A produção histórica de ouro do distrito de Oatman foi superior a dois milhões de onças, com a mina Gold Road contribuindo com aproximadamente 746.000 onças.

Projetos de Crescimento

Projeto Almas: De propriedade integral da Aura Minerals, está localizada no município de Almas, estado do Tocantins, Brasil. O projeto consiste em três áreas separadas de mineração a céu aberto e uma instalação central de processamento. Os três principais depósitos de ouro do Projeto Almas, Paiol, Cata Funda e Vira Saia, estão ao longo de um corredor de 15 km de extensão do Almas Greenstone Belt, que abriga inúmeras ocorrências orogênicas de ouro.

Atualmente, a Aura está reavaliando o projeto, como originalmente concebido por Rio Novo, com o objetivo de melhorar seu desempenho econômico. Espera-se que isso seja alcançado por meio de uma combinação de custos operacionais mais baixos, com os parceiros operacionais existentes da Aura no Brasil, melhores teores de ouro por meio de mineração mais seletiva e uma filosofia de gasto de capital enxuto, porém racional.

A atividade de mineração no projeto foi inicialmente concebida para iniciar na lavra de Paiol e será seguida por Vira Saia e, posteriormente, Cata Funda. O projeto também conta com pilhas de rejeitos lixiviados de Paiol com teores razoáveis e minério suficiente para suportar vários meses de operação.

Projeto de Ouro Matupa: De propriedade integral da Aura Minerals, está localizado nas proximidades da cidade de Guaranta do Norte, Mato Grosso, Brasil. A propriedade foi adquirida por meio da fusão com a Rio Novo em 2018 e é composta por 18 licenças de mineração localizadas no município de Alta Floresta. O depósito principal é um depósito de ouro / prata em pórfiro e conta com um Relatório de Estimativa de Recursos completo, desenvolvido em 2011.

O projeto se beneficia de uma excelente infraestrutura na região, como boas estradas, energia, água e mão de obra qualificada. Atualmente, a Aura Minerals está explorando a região de Guarantã com o objetivo de desbloquear ainda mais o potencial do projeto e da região.

Projeto de Ouro Tolda Fria: De propriedade integral da Aura Minerals, foi adquirido através da fusão da Rio Novo em 2018. O projeto está localizado a aproximadamente 10 km a sudeste da cidade de Manizales, no departamento de Caldas, Colômbia. Essa propriedade contém significativa mineralização de alto teor e 14 km de desenvolvimento subterrâneo para acesso à exploração que foi usado para concluir uma estimativa de reserva em conformidade com 43-101.

Mina de ouro de São Francisco: De propriedade intergal da Aura, é uma mina de ouro a céu aberto com lixiviação em pilha, localizada nas proximidades do Complexo EPP da Aura, no sudoeste do estado de Mato Grosso, Brasil, aproximadamente 560 km a oeste de Cuiabá, capital do estado. A operação em São Francisco foi suspensa em outubro de 2016 devido à falta de reservas e altos custos.

A Companhia está conduzindo um programa de exploração em São Francisco para determinar se o reinício é viável. A propriedade contém relevante quantidade de recurso em ouro nas concessões de mineração e exploração ao longo do Cinturão de Ouro do Guaporé. Espera-se uma redução significativa de custos e sinergias com o Complexo EPP.

Para mais informações sobre a empresa, acesse o site do RI da companhia.

Coluna: Sérgio Sanita
Arte: Vinícius Martins / Mover


DISCLAIMER: As informações disponibilizadas na coluna são meramente opiniões do COLUNISTA na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários, ou ainda, qualquer recomendação de investimento.

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.