IBOV

107.557,67 pts

+0,65%

SP500

4.697,68 pts

+2,31%

DJIA

35.798,24 pts

+1,62%

NASDAQ

16.364,37 pts

+3,27%

IFIX

2.660,89 pts

+0,67%

BRENT

US$ 75,12

+2,79%

IO62

¥ 669,00

+3,08%

TRAD3

R$ 6,35

-0,15%

ABEV3

R$ 16,10

+0,12%

AMER3

R$ 29,80

-0,10%

ASAI3

R$ 14,05

+2,18%

AZUL4

R$ 24,73

-0,28%

B3SA3

R$ 12,05

+2,29%

BIDI11

R$ 37,41

+13,36%

BBSE3

R$ 21,22

-0,32%

BRML3

R$ 7,93

-1,97%

BBDC3

R$ 17,78

-1,33%

BBDC4

R$ 20,95

-1,17%

BRAP4

R$ 53,93

+0,74%

BBAS3

R$ 32,60

-1,42%

BRKM5

R$ 66,58

+0,27%

BRFS3

R$ 20,44

-0,77%

BPAC11

R$ 21,22

-0,15%

CRFB3

R$ 14,85

-1,59%

CCRO3

R$ 13,12

+1,31%

CMIG4

R$ 13,75

+0,58%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,25

-0,88%

COGN3

R$ 2,49

-2,73%

CPLE6

R$ 6,24

+1,62%

CSAN3

R$ 21,97

+0,36%

CPFE3

R$ 27,21

-1,16%

CVCB3

R$ 14,69

-1,93%

CYRE3

R$ 15,19

-1,36%

ECOR3

R$ 8,81

-2,11%

ELET3

R$ 35,14

-1,51%

ELET6

R$ 34,55

-0,94%

EMBR3

R$ 20,30

+0,34%

ENBR3

R$ 21,26

-0,79%

ENGI11

R$ 45,62

-1,36%

ENEV3

R$ 14,67

+0,61%

EGIE3

R$ 39,31

-1,08%

EQTL3

R$ 23,35

+0,12%

EZTC3

R$ 19,56

-4,35%

FLRY3

R$ 18,80

+1,84%

GGBR4

R$ 28,95

+1,57%

GOAU4

R$ 11,89

+1,53%

GOLL4

R$ 17,11

+1,30%

NTCO3

R$ 27,06

+1,12%

HAPV3

R$ 11,18

-0,44%

HYPE3

R$ 28,71

+1,23%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 63,40

-0,99%

IRBR3

R$ 4,23

-2,30%

ITSA4

R$ 9,88

-0,90%

ITUB4

R$ 22,96

-1,24%

JBSS3

R$ 34,41

+1,98%

JHSF3

R$ 5,31

-2,02%

KLBN11

R$ 25,05

-0,31%

RENT3

R$ 53,89

-1,60%

LCAM3

R$ 23,79

-1,65%

LWSA3

R$ 13,82

+6,96%

LAME4

R$ 5,42

-0,55%

LREN3

R$ 29,46

-1,10%

MGLU3

R$ 7,62

+4,38%

MRFG3

R$ 21,25

+1,91%

BEEF3

R$ 8,67

+0,57%

MRVE3

R$ 11,57

-3,08%

MULT3

R$ 20,07

-2,80%

PCAR3

R$ 22,53

+1,03%

PETR3

R$ 31,19

+2,76%

PETR4

R$ 29,36

+1,62%

VBBR3

22,20

+0,45%

PRIO3

R$ 21,93

+1,48%

QUAL3

R$ 16,59

+0,18%

RADL3

R$ 23,28

+2,15%

RAIL3

R$ 17,29

-1,76%

SBSP3

R$ 37,99

+0,47%

SANB11

R$ 33,21

-1,33%

CSNA3

R$ 24,41

+1,15%

SULA11

R$ 26,23

-0,91%

SUZB3

R$ 58,32

+0,77%

TAEE11

R$ 35,90

-1,96%

VIVT3

R$ 49,96

-0,27%

TIMS3

R$ 13,42

-1,32%

TOTS3

R$ 31,38

+2,48%

UGPA3

R$ 14,89

-0,53%

USIM5

R$ 14,92

+0,94%

VALE3

R$ 76,33

+0,73%

VIIA3

R$ 5,80

+3,38%

WEGE3

R$ 34,56

+4,69%

YDUQ3

R$ 23,69

-0,58%

IBOV

107.557,67 pts

+0,65%

SP500

4.697,68 pts

+2,31%

DJIA

35.798,24 pts

+1,62%

NASDAQ

16.364,37 pts

+3,27%

IFIX

2.660,89 pts

+0,67%

BRENT

US$ 75,12

+2,79%

IO62

¥ 669,00

+3,08%

TRAD3

R$ 6,35

-0,15%

ABEV3

R$ 16,10

+0,12%

AMER3

R$ 29,80

-0,10%

ASAI3

R$ 14,05

+2,18%

AZUL4

R$ 24,73

-0,28%

B3SA3

R$ 12,05

+2,29%

BIDI11

R$ 37,41

+13,36%

BBSE3

R$ 21,22

-0,32%

BRML3

R$ 7,93

-1,97%

BBDC3

R$ 17,78

-1,33%

BBDC4

R$ 20,95

-1,17%

BRAP4

R$ 53,93

+0,74%

BBAS3

R$ 32,60

-1,42%

BRKM5

R$ 66,58

+0,27%

BRFS3

R$ 20,44

-0,77%

BPAC11

R$ 21,22

-0,15%

CRFB3

R$ 14,85

-1,59%

CCRO3

R$ 13,12

+1,31%

CMIG4

R$ 13,75

+0,58%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,25

-0,88%

COGN3

R$ 2,49

-2,73%

CPLE6

R$ 6,24

+1,62%

CSAN3

R$ 21,97

+0,36%

CPFE3

R$ 27,21

-1,16%

CVCB3

R$ 14,69

-1,93%

CYRE3

R$ 15,19

-1,36%

ECOR3

R$ 8,81

-2,11%

ELET3

R$ 35,14

-1,51%

ELET6

R$ 34,55

-0,94%

EMBR3

R$ 20,30

+0,34%

ENBR3

R$ 21,26

-0,79%

ENGI11

R$ 45,62

-1,36%

ENEV3

R$ 14,67

+0,61%

EGIE3

R$ 39,31

-1,08%

EQTL3

R$ 23,35

+0,12%

EZTC3

R$ 19,56

-4,35%

FLRY3

R$ 18,80

+1,84%

GGBR4

R$ 28,95

+1,57%

GOAU4

R$ 11,89

+1,53%

GOLL4

R$ 17,11

+1,30%

NTCO3

R$ 27,06

+1,12%

HAPV3

R$ 11,18

-0,44%

HYPE3

R$ 28,71

+1,23%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 63,40

-0,99%

IRBR3

R$ 4,23

-2,30%

ITSA4

R$ 9,88

-0,90%

ITUB4

R$ 22,96

-1,24%

JBSS3

R$ 34,41

+1,98%

JHSF3

R$ 5,31

-2,02%

KLBN11

R$ 25,05

-0,31%

RENT3

R$ 53,89

-1,60%

LCAM3

R$ 23,79

-1,65%

LWSA3

R$ 13,82

+6,96%

LAME4

R$ 5,42

-0,55%

LREN3

R$ 29,46

-1,10%

MGLU3

R$ 7,62

+4,38%

MRFG3

R$ 21,25

+1,91%

BEEF3

R$ 8,67

+0,57%

MRVE3

R$ 11,57

-3,08%

MULT3

R$ 20,07

-2,80%

PCAR3

R$ 22,53

+1,03%

PETR3

R$ 31,19

+2,76%

PETR4

R$ 29,36

+1,62%

VBBR3

22,20

+0,45%

PRIO3

R$ 21,93

+1,48%

QUAL3

R$ 16,59

+0,18%

RADL3

R$ 23,28

+2,15%

RAIL3

R$ 17,29

-1,76%

SBSP3

R$ 37,99

+0,47%

SANB11

R$ 33,21

-1,33%

CSNA3

R$ 24,41

+1,15%

SULA11

R$ 26,23

-0,91%

SUZB3

R$ 58,32

+0,77%

TAEE11

R$ 35,90

-1,96%

VIVT3

R$ 49,96

-0,27%

TIMS3

R$ 13,42

-1,32%

TOTS3

R$ 31,38

+2,48%

UGPA3

R$ 14,89

-0,53%

USIM5

R$ 14,92

+0,94%

VALE3

R$ 76,33

+0,73%

VIIA3

R$ 5,80

+3,38%

WEGE3

R$ 34,56

+4,69%

YDUQ3

R$ 23,69

-0,58%

Atualizado há 9 meses

Ícone de compartilhamento
Ícone de compartilhamento

Essa semana falo de uma small cap que vem iniciando uma boa recuperação depois apresentar uma forte tendência de baixa nos últimos meses. Falamos hoje da Mills (MILS3).


Mills: Vamos conhecer um pouco da história da empresa

Fonte: Mills

A Mills tem 68 anos de história e é pioneira em soluções para trabalhos em altura, sendo a maior empresa de locação de plataformas áreas da América Latina e a maior empresa de soluções de engenharia atuando em construções de alta complexidade no Brasil.

Em 2017, a empresa foi reconhecida internacionalmente pelo compromisso em oferecer a melhor qualidade em treinamentos para operadores de plataformas aéreas no Brasil.

A Mills está presente em todo o território nacional, proporcionando uma relação mais próxima do cliente e rapidez no atendimento para prover a solução mais adequada para cada tipo de desafio. A qualidade diferenciada da formação do time, aliado à experiência diversificada e parcerias internacionais com empresas líderes de mercado, permite a entrega de soluções customizadas e com a mais avançada tecnologia.

Na unidade de negócio Rental, a empresa possui uma grande variedade de equipamentos tais como plataformas aéreas, manipuladores telescópicos, geradores, compressores de ar e torres de iluminação.
Atua no comércio, locação e distribuição dos equipamentos, bem como de suas peças e componentes, e na assistência técnica para diversos segmentos do mercado, como indústria, construção, serviços e entretenimento, sempre maximizando benefícios e reduzindo riscos.

A unidade de negócio Construção atua basicamente na locação e vendas de formas e escoramentos para construção civil, com fornecimento dos projetos de engenharia relacionados, supervisão e opção de montagem.

Mills (MILS3) enfrentou desvalorização de mais de 70,00%

Desde a máxima de 2020, estabelecida em janeiro de 2020 em R$11,10, a Mills enfrentou uma desvalorização de mais de 70,00%, chegando a ser negociada a R$3,28 em março de 2020:


Mills


De março de 2020 até julho de 2020, a empresa iniciou uma boa recuperação, chegando a se valorizar 151,00%, mas desde então voltou a negociar em tendência de baixa:


Mills


Mesmo com a tendência de baixa, os preços se sustentaram na MM200, média móvel aritmética de 200 períodos:


Mills


Vimos os preços testando a barreira da LTB, linha de tendência de baixa, nas últimas semanas e agora finalmente confirmamos o rompimento dessa forte resistência:


Mills


O rompimento dessa forte resistência traz a expectativa do início de uma tendência de alta no papel da Mills, o que poderia trazer os preços em direção inicialmente ao topo de julho de 2020 nos R$8,24, tendo um potencial de valorização de 23,00% dos preços atuais de R$6,68.


Mills


Caso o movimento se prolongue, vencendo a resistência dos R$8,24, a expectativa seria do teste da máxima de janeiro de 2020 em R$11,10, o que traria um potencial de valorização de mais de 66,00%.





Levando em consideração um prazo mais longo, o papel ainda está longe da sua máxima histórica de R$35,31, que foi atingido em 2013:





Do lado dos riscos, um stop viável ficaria abaixo da MM200, tendo um potencial de perda de 23,00%:





Os indicadores corroboram com a movimentação dos preços.

O OBV e IFR14 também já fizeram o rompimento da LTB:








MACD também volta a virar para compra:





A Mills obviamente sofreu bastante nos últimos meses com a desaceleração da economia e lockdowns.

Vejo bastante potencial de recuperação com a normalização das atividades nos próximos meses, e o price action do ativo corrobora com esse racional.

Contudo, sempre enfatizo que, além da análise da movimentação dos preços via AT, deve-se considerar o cenário macro e micro atual, perspectivas de curto prazo para o setor e decisões políticas que afetam diretamente a economia, e no Brasil costumam fazer bastante preço, para avaliarmos se faz sentido investir nessa empresa.

Arte: Vinícius Martins / TC Mover

DISCLAIMER: As informações disponibilizadas na coluna são meramente opiniões do COLUNISTA na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários, ou ainda, qualquer recomendação de investimento.


Leia também

PCE traz inflação comportada nos EUA

Vacinação e auxílio emergencial pressionarão governo e Congresso, diz pesquisa

Bolsas e petróleo sobem; Butantan e Orçamento no radar: Espresso

image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.