0
0

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento
São Paulo, 28 de outubro -  A Ambev bateu consensos e registrou o maior volume consolidado para um terceiro trimestre, puxado pelas estratégias de portfólio premium, inovação e gestão de receitas. Com isso, a companhia conseguiu superar o aumento de custos de matérias-primas com a escalada das commodities.

O lucro líquido da fabricante de bebidas acelerou 57,4% frente ao trimestre de julho e setembro do ano passado, atingindo R$3,7 bilhões. O volume ficou acima do consenso TC de R$2,35 bilhões.

A receita líquida avançou 7,7% em base anual, para R$18,49 bilhões, enquanto o EBITDA - lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização - foi de R$5,46 bilhões no trimestre, alta anual de 7,8%. Ambos superaram as respectivas estimativas do mercado, de R$16,58 bilhões e R$4,89 bilhões.

O que impactou no resultado

A Ambev atribui o resultado ao volume histórico de 46,65 bilhões de hectolitros vendidos e ao sucesso das marcas de cerveja premium, como a Spaten. No quesito inovação, a plataforma B2B BEES já alcançou 85% da base de clientes ativos e o Zé Delivery atendeu mais de 15 milhões de pedidos no terceiro trimestre, segundo a companhia.

Houve perda de 290 pontos-base na margem EBITDA na comparação anual em valor ajustado, registrada em 29,6%, em razão do aumento de preço das commodities e da depreciação cambial. O custo dos produtos vendidos por hectolitro, CPV/hl, avançou 18,5% frente ao ano passado.

Os recibos de ações, ADRs, da Ambev negociados em Nova York disparavam 4,85% no pré-mercado perto das 9h00. A diretoria deve comentar os resultados em teleconferência às 12h30.

Texto: Artur Horta

Edição: Gustavo Boldrini e Stéfanie Rigamonti

Arte: Vinícius Martins/ Mover

image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.