0

Analistas veem CSN (CSNA3) no 'caminho certo', resultados mais fortes com reajustes

empresas

Analistas veem CSN (CSNA3) no 'caminho certo', resultados mais fortes com reajustes

Os analistas ficaram impressionados com o balanço da CSN no terceiro trimestre, avaliando que a siderúrgica está no "caminho certo" e que...

Analistas veem CSN (CSNA3) no 'caminho certo', resultados mais fortes com reajustes
tcuser

Atualizado há mais de 1 ano

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 16 de outubro – Os analistas ficaram impressionados com o balanço da CSN no terceiro trimestre, avaliando que a siderúrgica está no “caminho certo” e que pode continuar reportando resultados positivos à frente, com perspectivas de novos reajustes de preços, segundo relatórios.

Diante do novo cenário, a Safra Corretora elevou o preço-alvo para a CSN ON de R$17,60, em 2020, para R$23,00, em 2021, que tem implícito um potencial de 18,25%, reiterando sua recomendação de compra.

O que dizem os analistas sobre a CSN (CSNA3)

Para os analistas do Safra, Conrado Vegner e Victor Chen, a companhia divulgou resultados sólidos em todos os segmentos, sinalizando que o ambiente doméstico para o aço tem se recuperado de forma consistente. A CSN registrou reverteu prejuízo de R$871 milhões para um lucro de R$1,262 bilhão e EBITDA ajustado de R$3,506 bilhões, avanço de 124% ante o mesmo período do ano passado, acima do esperado.

“Além disso, a CSN pode continuar a se beneficiar dos preços resilientes do minério de ferro”, dizem. Para o Credit Suisse, o trimestre foi forte, principalmente devido aos embarques de minério de ferro, juntamente com um cenário melhor de preços. “Mas a CSN também se beneficiou de uma melhor situação da demanda doméstica de aço e uma paridade de importação descontada para aumentar seus embarques domésticos e para implantar aumentos de preços”, avaliam Caio Ribeiro e Gabriel Galvão, analistas do Credit Suisse.

Ribeiro e Galvão também destacam que a companhia aumentará em 10% o preço dos aços planos em novembro, informação confirmada nesta manhã pelo Fernando Martinez, diretor de relações com investidores da CSN. Isso, junto com a sólida demanda, pode levar a resultados ainda mais fortes no futuro, observam eles, que mantiveram sua recomendação de outperform, equivalente a compra, para a ação e preço-alvo de R$19,00. O Itaú BBA também destacou que os resultados foram sólidos e também reiterou o papel em outperform e preço-alvo de R$18,00.

Já o Citigroup ressaltou que “este é o trimestre mais forte em nosso modelo, que remonta a 2006”, destacando que os números refletem uma recuperação mais forte do que o esperado nos embarques de aço e custos mais baixos do que o esperado em minério de ferro, além da geração de fluxo de caixa livre, o FCF, na sigla em inglês, de R$2,8 bilhões, que levou a dívida líquida a cair de R$33,1 bilhões para R$30,6 bilhões.

“Nossa maior preocupação com a CSN tem sido a falta de FCF e a desalavancagem, apesar do aumento do EBITDA, mas este trimestre sugere que a empresa está no caminho certo. Em geral, vemos esses resultados de forma muito positiva”, afirmam os analistas, que, ainda assim, permaneceram com o papel em recomendação neutra, diante da expectativa de queda nos preços do minério de ferro. Perto das 12h45, as ações da CSN eram negociadas em R$19,84, alta de 2,06%. Na semana, o ganho chega a 11,77%, e no ano, a 40,76%.

Texto: Bárbara Leite

Edição: Angelo Pavini e Ana Carolina Amaral

Imagem: divulgação

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.