IBOV

111.406,22 pts

-2,64%

SP500

4.513,82 pts

+0,62%

DJIA

35.428,71 pts

+0,48%

NASDAQ

15.384,14 pts

+0,54%

IFIX

2.745,15 pts

-0,08%

BRENT

US$ 84,72

+0,46%

IO62

¥ 709,50

+0,42%

TRAD3

R$ 8,20

-3,52%

ABEV3

R$ 15,28

-2,17%

AMER3

R$ 38,43

-1,63%

ASAI3

R$ 16,66

-1,76%

AZUL4

R$ 32,37

-5,79%

B3SA3

R$ 12,75

-1,31%

BIDI11

R$ 45,85

-5,07%

BBSE3

R$ 21,20

-2,21%

BRML3

R$ 8,28

-3,49%

BBDC3

R$ 17,94

-2,92%

BBDC4

R$ 21,07

-2,67%

BRAP4

R$ 53,42

-1,45%

BBAS3

R$ 31,23

-3,04%

BRKM5

R$ 57,89

-2,14%

BRFS3

R$ 24,38

-2,83%

BPAC11

R$ 24,42

-4,60%

CRFB3

R$ 18,14

-3,15%

CCRO3

R$ 12,30

-3,30%

CMIG4

R$ 14,81

-1,98%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,46

-5,74%

COGN3

R$ 2,98

-4,18%

CPLE6

R$ 6,73

-0,44%

CSAN3

R$ 22,91

-1,50%

CPFE3

R$ 26,21

-1,50%

CVCB3

R$ 19,26

-3,55%

CYRE3

R$ 17,22

-5,43%

ECOR3

R$ 9,56

-4,68%

ELET3

R$ 39,79

-2,01%

ELET6

R$ 39,74

-1,99%

EMBR3

R$ 25,04

-2,41%

ENBR3

R$ 19,08

-1,19%

ENGI11

R$ 44,61

-3,12%

ENEV3

R$ 14,98

-2,09%

EGIE3

R$ 38,75

+0,28%

EQTL3

R$ 24,32

-1,81%

EZTC3

R$ 22,55

-4,28%

FLRY3

R$ 20,75

-3,80%

GGBR4

R$ 27,87

-1,10%

GOAU4

R$ 12,62

-1,56%

GOLL4

R$ 19,35

-4,68%

NTCO3

R$ 41,11

-4,63%

HAPV3

R$ 12,27

-2,61%

HYPE3

R$ 29,51

-3,18%

IGTA3

R$ 32,66

-3,60%

GNDI3

R$ 68,70

-3,72%

IRBR3

R$ 5,20

-0,38%

ITSA4

R$ 10,98

-3,08%

ITUB4

R$ 24,42

-2,04%

JBSS3

R$ 37,86

-1,68%

JHSF3

R$ 5,86

-4,09%

KLBN11

R$ 22,55

-1,95%

RENT3

R$ 54,55

-3,02%

LCAM3

R$ 24,26

-3,46%

LWSA3

R$ 21,89

-4,78%

LAME4

R$ 6,10

-4,83%

LREN3

R$ 34,16

-5,08%

MGLU3

R$ 13,86

-2,94%

MRFG3

R$ 26,02

-1,77%

BEEF3

R$ 10,09

-2,70%

MRVE3

R$ 11,84

-5,12%

MULT3

R$ 19,71

-3,66%

PCAR3

R$ 28,41

-1,89%

PETR3

R$ 28,95

-4,13%

PETR4

R$ 28,17

-4,34%

BRDT3

R$ 23,84

-3,59%

PRIO3

R$ 26,71

-1,65%

QUAL3

R$ 18,53

-3,94%

RADL3

R$ 22,18

-2,33%

RAIL3

R$ 17,55

-3,62%

SBSP3

R$ 38,46

-1,02%

SANB11

R$ 35,54

-2,63%

CSNA3

R$ 25,91

-2,04%

SULA11

R$ 25,72

-2,35%

SUZB3

R$ 49,01

-1,58%

TAEE11

R$ 37,85

-0,31%

VIVT3

R$ 45,78

-1,44%

TIMS3

R$ 12,26

-1,76%

TOTS3

R$ 34,36

-4,02%

UGPA3

R$ 14,91

-3,30%

USIM5

R$ 15,71

-2,30%

VALE3

R$ 78,93

-1,23%

VIIA3

R$ 7,77

-5,01%

WEGE3

R$ 39,54

-2,03%

YDUQ3

R$ 25,49

-5,62%

IBOV

111.406,22 pts

-2,64%

SP500

4.513,82 pts

+0,62%

DJIA

35.428,71 pts

+0,48%

NASDAQ

15.384,14 pts

+0,54%

IFIX

2.745,15 pts

-0,08%

BRENT

US$ 84,72

+0,46%

IO62

¥ 709,50

+0,42%

TRAD3

R$ 8,20

-3,52%

ABEV3

R$ 15,28

-2,17%

AMER3

R$ 38,43

-1,63%

ASAI3

R$ 16,66

-1,76%

AZUL4

R$ 32,37

-5,79%

B3SA3

R$ 12,75

-1,31%

BIDI11

R$ 45,85

-5,07%

BBSE3

R$ 21,20

-2,21%

BRML3

R$ 8,28

-3,49%

BBDC3

R$ 17,94

-2,92%

BBDC4

R$ 21,07

-2,67%

BRAP4

R$ 53,42

-1,45%

BBAS3

R$ 31,23

-3,04%

BRKM5

R$ 57,89

-2,14%

BRFS3

R$ 24,38

-2,83%

BPAC11

R$ 24,42

-4,60%

CRFB3

R$ 18,14

-3,15%

CCRO3

R$ 12,30

-3,30%

CMIG4

R$ 14,81

-1,98%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,46

-5,74%

COGN3

R$ 2,98

-4,18%

CPLE6

R$ 6,73

-0,44%

CSAN3

R$ 22,91

-1,50%

CPFE3

R$ 26,21

-1,50%

CVCB3

R$ 19,26

-3,55%

CYRE3

R$ 17,22

-5,43%

ECOR3

R$ 9,56

-4,68%

ELET3

R$ 39,79

-2,01%

ELET6

R$ 39,74

-1,99%

EMBR3

R$ 25,04

-2,41%

ENBR3

R$ 19,08

-1,19%

ENGI11

R$ 44,61

-3,12%

ENEV3

R$ 14,98

-2,09%

EGIE3

R$ 38,75

+0,28%

EQTL3

R$ 24,32

-1,81%

EZTC3

R$ 22,55

-4,28%

FLRY3

R$ 20,75

-3,80%

GGBR4

R$ 27,87

-1,10%

GOAU4

R$ 12,62

-1,56%

GOLL4

R$ 19,35

-4,68%

NTCO3

R$ 41,11

-4,63%

HAPV3

R$ 12,27

-2,61%

HYPE3

R$ 29,51

-3,18%

IGTA3

R$ 32,66

-3,60%

GNDI3

R$ 68,70

-3,72%

IRBR3

R$ 5,20

-0,38%

ITSA4

R$ 10,98

-3,08%

ITUB4

R$ 24,42

-2,04%

JBSS3

R$ 37,86

-1,68%

JHSF3

R$ 5,86

-4,09%

KLBN11

R$ 22,55

-1,95%

RENT3

R$ 54,55

-3,02%

LCAM3

R$ 24,26

-3,46%

LWSA3

R$ 21,89

-4,78%

LAME4

R$ 6,10

-4,83%

LREN3

R$ 34,16

-5,08%

MGLU3

R$ 13,86

-2,94%

MRFG3

R$ 26,02

-1,77%

BEEF3

R$ 10,09

-2,70%

MRVE3

R$ 11,84

-5,12%

MULT3

R$ 19,71

-3,66%

PCAR3

R$ 28,41

-1,89%

PETR3

R$ 28,95

-4,13%

PETR4

R$ 28,17

-4,34%

BRDT3

R$ 23,84

-3,59%

PRIO3

R$ 26,71

-1,65%

QUAL3

R$ 18,53

-3,94%

RADL3

R$ 22,18

-2,33%

RAIL3

R$ 17,55

-3,62%

SBSP3

R$ 38,46

-1,02%

SANB11

R$ 35,54

-2,63%

CSNA3

R$ 25,91

-2,04%

SULA11

R$ 25,72

-2,35%

SUZB3

R$ 49,01

-1,58%

TAEE11

R$ 37,85

-0,31%

VIVT3

R$ 45,78

-1,44%

TIMS3

R$ 12,26

-1,76%

TOTS3

R$ 34,36

-4,02%

UGPA3

R$ 14,91

-3,30%

USIM5

R$ 15,71

-2,30%

VALE3

R$ 78,93

-1,23%

VIIA3

R$ 7,77

-5,01%

WEGE3

R$ 39,54

-2,03%

YDUQ3

R$ 25,49

-5,62%

Atualizado há 8 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 19 de fevereiro – Após divulgação do salto do prejuízo líquido de R$229,8 milhões no terceiro trimestre para R$620,2 milhões no quarto trimestre, a ação ordinária da IRB Brasil, código IRBR3, fechou o dia em queda de 4,21%. Em teleconferência de resultados, o diretor-presidente, Antonio Cassio dos Santos, ressaltou que a companhia contratou uma consultoria para ajudar na atuação entre 2021 e 2023. Segundo ele, o trabalho será auxiliar com informações estratégicas e haverá divulgação de projeções após assembleia de acionistas em março.


Reestabelecimento de credibilidade é objetivo de curto prazo

Além de Santos, o vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores, Werner Süffert, participou da coletiva, afirmando que o objetivo da IRB Brasil no curto prazo será recuperar a credibilidade com o setor bancário doméstico e internacional. Assim, a resseguradora deve reestabelecer as linhas de crédito, após o enquadramento regulatório. A IRB estará a pleno vapor em 2022 e 2023, projeta Santos.

O desafio da IRB é não fazer um ajuste maior ou menor do que é necessário para a empresa voltar à normalidade, conforme Santos. O executivo ressaltou ainda que o processo de limpeza é contínuo. Por isso, ele pediu que os acionistas acreditem na IRB Brasil e em sua franca expansão.


IRB Brasil (IRBR3) em crise

A IRB Brasil é a maior resseguradora da América Latina, considerada referência por sua experiência de quase oito décadas. Inicialmente estatal, a IRB manteve o monopólio do setor no país por 69 anos, terminando em 2007. A privatização ocorreu quatro anos depois. A IRB Brasil emplacou a oferta pública inicial, IPO na sigla em inglês, em 2017, movimentando R$2 bilhões.

Contudo, a IRB Brasil vem enfrentando uma crise desde fevereiro de 2020, após denúncias enviadas à Comissão de Valores Mobiliários, CVM, pela gestora de recursos Squadra referente a irregularidades contábeis nas suas demonstrações financeiras, que aumentavam artificialmente o lucro. A IRB foi reestruturada, a antiga diretoria demitida e Santos passou a fazer parte da gestão da empresa.

Em conversa em uma edição do Café com Ferri veiculada em setembro de 2020, Santos, afirmou que a IRB Brasil não precisaria de mais capital novo, ou seja, emitir mais ações, para o chamado “enquadramento técnico”. Esse processo foi uma solicitação da agência regulatória do setor para mitigar potenciais perdas com sinistros.


Reenquadramento técnico da resseguradora

O desenquadramento é uma insuficiência na composição dos ativos garantidores de provisões técnicas, ou seja, uma falta de ativos líquidos mínimos exigidos pelos reguladores para cobrir sinistros. A IRB Brasil havia informado que entrou em situação de desenquadramento em maio do ano passado, após o escândalo envolvendo as fraudes contábeis.

A distorção apareceu na empresa depois que os balanços financeiros da IRB Brasil tiveram de ser reapresentados por conta de irregularidades cometidas pela gestão anterior a da de Santos, que supostamente lançava de forma inadequada os sinistros da empresa no balanço.

Cássio dos Santos disse que a IRB Brasil deve oferecer a ele a permanência no conselho ou na presidência, mas que já conseguiu cumprir um dever importante: o enquadramento regulatório. O executivo afirmou que a decisão deve sair nos próximos dias. De acordo com ele, a resseguradora enfrentou um dos anos mais turvos da história.

No Café com Ferri de dezembro de 2020, Santos afirmou que 2020 tenha sido o ano para “limpar a casa”, 2021 para “arrumar a casa” e 2022 para voltar ao crescimento e ao patamar de 2018.


Desempenho das ações da IRB (IRBR3)


IRB Brasil ação - IRBR3


O papel ordinário da IRB Brasil, código IRBR3, caiu 3,91%, cotado a R$6,39. No mês, a resseguradora acumula perda de 11,25%. No mesmo horário, o Ibovespa fechou em queda de 0,64%, aos 118,4 mil pontos.

Para acompanhar o desempenho das ações da IRB Brasil e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Leandro Tavares
Edição: Maria Luiza Dourado e Letícia Matsuura
Arte: TC Mover


Leia também

Mansano: Economia americana, a inflação e o desemprego

Sanita: Grupo Klabin (KLBN11)

Petrobras (PETR3 e PETR4) tem pior queda desde outubro, após Bolsonaro reiterar ataques

image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.