IBOV

100.920,00 pts

-0,97%

SP500

4.582,84 pts

+0,35%

DJIA

34.513,01 pts

+0,08%

NASDAQ

16.149,94 pts

+0,09%

IFIX

2.582,85 pts

+0,17%

BRENT

US$ 69,16

-0,10%

IO62

¥ 623,00

-0,88%

TRAD3

R$ 7,52

-4,68%

ABEV3

R$ 15,66

-2,49%

AMER3

R$ 28,47

-6,10%

ASAI3

R$ 12,48

-2,11%

AZUL4

R$ 21,96

-6,07%

B3SA3

R$ 11,05

-0,54%

BIDI11

R$ 34,00

-6,15%

BBSE3

R$ 20,44

-2,10%

BRML3

R$ 7,70

-2,53%

BBDC3

R$ 16,95

-0,41%

BBDC4

R$ 19,88

-0,15%

BRAP4

R$ 50,17

+0,84%

BBAS3

R$ 31,58

-0,81%

BRKM5

R$ 52,45

+4,75%

BRFS3

R$ 18,99

-3,84%

BPAC11

R$ 20,72

-1,05%

CRFB3

R$ 14,96

-2,41%

CCRO3

R$ 11,71

-4,28%

CMIG4

R$ 12,96

-1,37%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,03

-1,93%

COGN3

R$ 2,37

-4,43%

CPLE6

R$ 6,13

-0,16%

CSAN3

R$ 21,08

-0,80%

CPFE3

R$ 26,80

+1,51%

CVCB3

R$ 13,32

-2,20%

CYRE3

R$ 13,30

-2,20%

ECOR3

R$ 8,07

-2,77%

ELET3

R$ 32,40

-0,70%

ELET6

R$ 31,72

-1,03%

EMBR3

R$ 18,33

-4,23%

ENBR3

R$ 21,25

-0,70%

ENGI11

R$ 45,06

-0,94%

ENEV3

R$ 13,75

-1,43%

EGIE3

R$ 38,24

-0,75%

EQTL3

R$ 22,42

-0,66%

EZTC3

R$ 17,89

-1,37%

FLRY3

R$ 16,89

-3,32%

GGBR4

R$ 26,39

+2,28%

GOAU4

R$ 10,82

+1,59%

GOLL4

R$ 14,94

-6,62%

NTCO3

R$ 25,90

-2,96%

HAPV3

R$ 10,31

-5,50%

HYPE3

R$ 26,91

-0,77%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 58,35

-5,05%

IRBR3

R$ 4,21

-2,31%

ITSA4

R$ 9,67

+0,20%

ITUB4

R$ 22,30

-0,29%

JBSS3

R$ 34,01

-4,59%

JHSF3

R$ 4,66

-0,85%

KLBN11

R$ 24,02

+0,62%

RENT3

R$ 50,58

-1,03%

LCAM3

R$ 22,57

-2,59%

LWSA3

R$ 12,07

-8,49%

LAME4

R$ 5,10

-6,76%

LREN3

R$ 28,06

-1,37%

MGLU3

R$ 7,01

-10,12%

MRFG3

R$ 22,22

-5,72%

BEEF3

R$ 8,46

-1,39%

MRVE3

R$ 10,92

-1,53%

MULT3

R$ 19,22

-1,93%

PCAR3

R$ 21,90

-2,23%

PETR3

R$ 30,45

+1,02%

PETR4

R$ 29,64

+0,71%

VBBR3

21,03

-3,35%

PRIO3

R$ 20,42

+0,64%

QUAL3

R$ 15,13

-3,81%

RADL3

R$ 21,83

-2,45%

RAIL3

R$ 17,47

-0,56%

SBSP3

R$ 33,62

-0,17%

SANB11

R$ 32,60

-1,09%

CSNA3

R$ 21,69

-0,32%

SULA11

R$ 24,75

-0,84%

SUZB3

R$ 57,75

+2,83%

TAEE11

R$ 35,82

-0,58%

VIVT3

R$ 49,96

-0,65%

TIMS3

R$ 13,73

-0,50%

TOTS3

R$ 29,81

-5,93%

UGPA3

R$ 13,97

-3,18%

USIM5

R$ 13,47

-0,88%

VALE3

R$ 70,44

+0,70%

VIIA3

R$ 5,30

-6,52%

WEGE3

R$ 32,82

+1,83%

YDUQ3

R$ 22,08

+1,14%

IBOV

100.920,00 pts

-0,97%

SP500

4.582,84 pts

+0,35%

DJIA

34.513,01 pts

+0,08%

NASDAQ

16.149,94 pts

+0,09%

IFIX

2.582,85 pts

+0,17%

BRENT

US$ 69,16

-0,10%

IO62

¥ 623,00

-0,88%

TRAD3

R$ 7,52

-4,68%

ABEV3

R$ 15,66

-2,49%

AMER3

R$ 28,47

-6,10%

ASAI3

R$ 12,48

-2,11%

AZUL4

R$ 21,96

-6,07%

B3SA3

R$ 11,05

-0,54%

BIDI11

R$ 34,00

-6,15%

BBSE3

R$ 20,44

-2,10%

BRML3

R$ 7,70

-2,53%

BBDC3

R$ 16,95

-0,41%

BBDC4

R$ 19,88

-0,15%

BRAP4

R$ 50,17

+0,84%

BBAS3

R$ 31,58

-0,81%

BRKM5

R$ 52,45

+4,75%

BRFS3

R$ 18,99

-3,84%

BPAC11

R$ 20,72

-1,05%

CRFB3

R$ 14,96

-2,41%

CCRO3

R$ 11,71

-4,28%

CMIG4

R$ 12,96

-1,37%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,03

-1,93%

COGN3

R$ 2,37

-4,43%

CPLE6

R$ 6,13

-0,16%

CSAN3

R$ 21,08

-0,80%

CPFE3

R$ 26,80

+1,51%

CVCB3

R$ 13,32

-2,20%

CYRE3

R$ 13,30

-2,20%

ECOR3

R$ 8,07

-2,77%

ELET3

R$ 32,40

-0,70%

ELET6

R$ 31,72

-1,03%

EMBR3

R$ 18,33

-4,23%

ENBR3

R$ 21,25

-0,70%

ENGI11

R$ 45,06

-0,94%

ENEV3

R$ 13,75

-1,43%

EGIE3

R$ 38,24

-0,75%

EQTL3

R$ 22,42

-0,66%

EZTC3

R$ 17,89

-1,37%

FLRY3

R$ 16,89

-3,32%

GGBR4

R$ 26,39

+2,28%

GOAU4

R$ 10,82

+1,59%

GOLL4

R$ 14,94

-6,62%

NTCO3

R$ 25,90

-2,96%

HAPV3

R$ 10,31

-5,50%

HYPE3

R$ 26,91

-0,77%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 58,35

-5,05%

IRBR3

R$ 4,21

-2,31%

ITSA4

R$ 9,67

+0,20%

ITUB4

R$ 22,30

-0,29%

JBSS3

R$ 34,01

-4,59%

JHSF3

R$ 4,66

-0,85%

KLBN11

R$ 24,02

+0,62%

RENT3

R$ 50,58

-1,03%

LCAM3

R$ 22,57

-2,59%

LWSA3

R$ 12,07

-8,49%

LAME4

R$ 5,10

-6,76%

LREN3

R$ 28,06

-1,37%

MGLU3

R$ 7,01

-10,12%

MRFG3

R$ 22,22

-5,72%

BEEF3

R$ 8,46

-1,39%

MRVE3

R$ 10,92

-1,53%

MULT3

R$ 19,22

-1,93%

PCAR3

R$ 21,90

-2,23%

PETR3

R$ 30,45

+1,02%

PETR4

R$ 29,64

+0,71%

VBBR3

21,03

-3,35%

PRIO3

R$ 20,42

+0,64%

QUAL3

R$ 15,13

-3,81%

RADL3

R$ 21,83

-2,45%

RAIL3

R$ 17,47

-0,56%

SBSP3

R$ 33,62

-0,17%

SANB11

R$ 32,60

-1,09%

CSNA3

R$ 21,69

-0,32%

SULA11

R$ 24,75

-0,84%

SUZB3

R$ 57,75

+2,83%

TAEE11

R$ 35,82

-0,58%

VIVT3

R$ 49,96

-0,65%

TIMS3

R$ 13,73

-0,50%

TOTS3

R$ 29,81

-5,93%

UGPA3

R$ 13,97

-3,18%

USIM5

R$ 13,47

-0,88%

VALE3

R$ 70,44

+0,70%

VIIA3

R$ 5,30

-6,52%

WEGE3

R$ 32,82

+1,83%

YDUQ3

R$ 22,08

+1,14%

Atualizado há cerca de 2 meses

Ícone de compartilhamento
São Paulo, 14 de outubro – A Marcopolo, uma das maiores fabricantes globais de carrocerias e chassis para ônibus, deve fazer parcerias com empresas chinesas para entrar no mercado de transporte urbano elétrico, de olho nos incentivos do governo à busca por fontes alternativas de energia.

Além de usar a estrutura atual que já tem na China, a Marcopolo analisa “aquisições e parcerias com fabricantes locais de chassis”, disse à Mover o diretor de estratégia e negócios internacionais da companhia, André Vidal Armaganijan.

Hoje basicamente só fabricantes chinesas disputam o mercado interno, mas existem rumores de que vários fabricantes de chassis e carrocerias que saíram da China podem voltar, estimulados pela aposta governamental no segmento, disse ele. “A Marcopolo vai entrar neste mercado já alinhada às regulamentações”, apontou.

A China produz e vende cerca de 100 mil ônibus elétricos por ano, respondendo por aproximadamente um terço das vendas mundiais. Estimativas da Agência Internacional de Energia indicam que a frota de ônibus, vans e caminhões elétricos ultrapassa 1 milhão de unidades.

O plano da Marcopolo vem num momento no qual a China, que é responsável por pouco mais de um quarto dos gases de efeito estufa presentes na atmosfera, anuncia elevar a exploração de carvão mineral para evitar um desabastecimento de energia.

Apesar da medida que contém um toque emergencial, a China quer reduzir seus altos índices de poluição para honrar compromissos internacionais de combate às emissões de poluentes. Nessa esteira, vem o incentivo à eletricidade veicular.

Riscos da Marcopolo em lançar ônibus elétrico na China

A Marcopolo tem duas unidades de produção no país asiático, ambas voltadas a exportações de componentes e ônibus movidos a combustível para o mercado asiático, australiano e africano.

A crise da Covid-19 levou a Marcopolo a sair de mercados como a Rússia e a Índia. A companhia, porém, segue apostando no mercado chinês, observa Armaganijan, apesar de hoje a operação ter se tornado a menor da Marcopolo, respondendo por menos de dois dígitos das suas receitas operacionais.

O plano também contempla ampliar as exportações das fábricas chinesas para outros mercados, bem como tornar o conjunto das unidades da Marcopolo mais competitivas no cenário internacional.

Para Armaganijan, a crise imobiliária que culminou na crise de liquidez do conglomerado Evergrande Group é preocupante. Uma das subsidiárias da Evergrande opera no segmento de veículos elétricos e tem dívida bilionária – e ainda não decidiu se deve cumprir suas obrigações.

“A Marcopolo considera que o maior impacto foi e tem sido a pandemia. Entretanto, se a economia chinesa der sinais de piora, poderemos frear esses esforços e levá-los para outras unidades. Como empresa global, tem sempre meios para mitigar problemas locais”, diz Armaganijan.

Impactos da pandemia

A Marcopolo produziu 34 unidades na China em 2020, queda de 82,1% comparativamente a 2019, quando fabricou 190, mas também já havia recuado 10,8% em relação ao ano anterior. No primeiro semestre deste ano, foram duas unidades produzidas na China, todas no segundo trimestre, queda de 92,3% na base anual.

A receita líquida operacional total da Marcopolo, que havia crescido 2,8% em 2019, caiu quase 18% no ano passado, para R$3,58 bilhões. Já o lucro líquido despencou 57,2%, para R$90,7 milhões.

Na B3, a ação preferencial da companhia (POMO4) negocia praticamente de lado no ano, caindo 0,81% desde janeiro. Nesta quinta-feira, 14, o papel recuava 0,71% perto das 14h30, a R$2,80. ação da Marcopolo - POMO4

Para acompanhar o desempenho das ações da Marcopolo e de outras empresas na bolsa brasileira, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Iolanda Nascimento

Edição: Gustavo Boldrini, Guillermo Parra-Bernal e Letícia Matsuura

Arte: Vinicius Martins / Mover


Leia também

Crise global de energia apoia investimento em urânio, diz analista Serviços no Brasil crescem pelo quinto mês e atingem maior nível desde 2015 Hypera lança anticoagulante após o fim de patente da Bayer: Panorama Corporativo
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.