IBOV

108.941,68 pts

-0,14%

SP500

4.389,62 pts

-1,79%

DJIA

34.213,89 pts

-1,36%

NASDAQ

14.422,54 pts

-2,20%

IFIX

2.810,25 pts

+0,20%

BRENT

US$ 87,62

+0,85%

IO62

¥ 752,50

+0,13%

TRAD3

R$ 4,55

+2,24%

ABEV3

R$ 14,69

+1,38%

AMER3

R$ 34,97

+2,31%

ASAI3

R$ 12,02

+0,58%

AZUL4

R$ 27,61

+1,61%

B3SA3

R$ 13,64

+2,94%

BIDI11

R$ 25,29

-0,66%

BBSE3

R$ 20,62

+0,34%

BRML3

R$ 9,20

+2,22%

BBDC3

R$ 17,45

-0,51%

BBDC4

R$ 20,86

-1,04%

BRAP4

R$ 27,65

-2,36%

BBAS3

R$ 31,14

-0,19%

BRKM5

R$ 48,20

-2,01%

BRFS3

R$ 22,69

-2,86%

BPAC11

R$ 21,29

-0,23%

CRFB3

R$ 14,87

+1,50%

CCRO3

R$ 12,10

+1,42%

CMIG4

R$ 12,99

-0,15%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,07

-3,27%

COGN3

R$ 2,39

+1,70%

CPLE6

R$ 6,70

+0,60%

CSAN3

R$ 21,98

-1,87%

CPFE3

R$ 27,07

+0,78%

CVCB3

R$ 12,76

-0,07%

CYRE3

R$ 15,72

+3,21%

ECOR3

R$ 7,62

+0,26%

ELET3

R$ 33,99

+1,61%

ELET6

R$ 33,45

+2,38%

EMBR3

R$ 20,53

-2,33%

ENBR3

R$ 21,28

-0,56%

ENGI11

R$ 41,24

+0,04%

ENEV3

R$ 12,93

-0,07%

EGIE3

R$ 39,18

-0,55%

EQTL3

R$ 22,14

-0,53%

EZTC3

R$ 20,51

+3,16%

FLRY3

R$ 19,13

+3,46%

GGBR4

R$ 27,46

-4,08%

GOAU4

R$ 11,47

-3,61%

GOLL4

R$ 17,06

+0,29%

NTCO3

R$ 23,17

+4,27%

HAPV3

R$ 11,62

+3,75%

HYPE3

R$ 29,46

+1,51%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 67,53

+3,43%

IRBR3

R$ 3,34

-5,11%

ITSA4

R$ 9,55

-0,62%

ITUB4

R$ 23,30

+0,04%

JBSS3

R$ 36,31

-0,02%

JHSF3

R$ 5,47

+5,80%

KLBN11

R$ 24,75

-3,35%

RENT3

R$ 54,90

+1,42%

LCAM3

R$ 24,46

+0,57%

LWSA3

R$ 9,00

+4,16%

LAME4

R$ 6,55

+2,02%

LREN3

R$ 26,44

+1,14%

MGLU3

R$ 6,90

+3,75%

MRFG3

R$ 22,44

+0,40%

BEEF3

R$ 9,86

+1,02%

MRVE3

R$ 12,04

+2,03%

MULT3

R$ 19,94

+1,78%

PCAR3

R$ 19,50

-2,15%

PETR3

R$ 34,59

+0,34%

PETR4

R$ 31,77

+0,15%

VBBR3

21,40

+0,51%

PRIO3

R$ 23,60

-2,47%

QUAL3

R$ 17,01

+0,41%

RADL3

R$ 21,00

+2,68%

RAIL3

R$ 16,98

-2,86%

SBSP3

R$ 35,98

-0,05%

SANB11

R$ 31,43

+0,83%

CSNA3

R$ 25,75

-2,27%

SULA11

R$ 24,01

-1,47%

SUZB3

R$ 59,59

-1,19%

TAEE11

R$ 37,98

+0,87%

VIVT3

R$ 48,36

-0,08%

TIMS3

R$ 12,92

+0,38%

TOTS3

R$ 26,63

+0,98%

UGPA3

R$ 13,85

+1,46%

USIM5

R$ 15,86

-4,28%

VALE3

R$ 84,91

-2,07%

VIIA3

R$ 4,35

+3,32%

WEGE3

R$ 30,61

-0,42%

YDUQ3

R$ 20,42

+2,10%

IBOV

108.941,68 pts

-0,14%

SP500

4.389,62 pts

-1,79%

DJIA

34.213,89 pts

-1,36%

NASDAQ

14.422,54 pts

-2,20%

IFIX

2.810,25 pts

+0,20%

BRENT

US$ 87,62

+0,85%

IO62

¥ 752,50

+0,13%

TRAD3

R$ 4,55

+2,24%

ABEV3

R$ 14,69

+1,38%

AMER3

R$ 34,97

+2,31%

ASAI3

R$ 12,02

+0,58%

AZUL4

R$ 27,61

+1,61%

B3SA3

R$ 13,64

+2,94%

BIDI11

R$ 25,29

-0,66%

BBSE3

R$ 20,62

+0,34%

BRML3

R$ 9,20

+2,22%

BBDC3

R$ 17,45

-0,51%

BBDC4

R$ 20,86

-1,04%

BRAP4

R$ 27,65

-2,36%

BBAS3

R$ 31,14

-0,19%

BRKM5

R$ 48,20

-2,01%

BRFS3

R$ 22,69

-2,86%

BPAC11

R$ 21,29

-0,23%

CRFB3

R$ 14,87

+1,50%

CCRO3

R$ 12,10

+1,42%

CMIG4

R$ 12,99

-0,15%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,07

-3,27%

COGN3

R$ 2,39

+1,70%

CPLE6

R$ 6,70

+0,60%

CSAN3

R$ 21,98

-1,87%

CPFE3

R$ 27,07

+0,78%

CVCB3

R$ 12,76

-0,07%

CYRE3

R$ 15,72

+3,21%

ECOR3

R$ 7,62

+0,26%

ELET3

R$ 33,99

+1,61%

ELET6

R$ 33,45

+2,38%

EMBR3

R$ 20,53

-2,33%

ENBR3

R$ 21,28

-0,56%

ENGI11

R$ 41,24

+0,04%

ENEV3

R$ 12,93

-0,07%

EGIE3

R$ 39,18

-0,55%

EQTL3

R$ 22,14

-0,53%

EZTC3

R$ 20,51

+3,16%

FLRY3

R$ 19,13

+3,46%

GGBR4

R$ 27,46

-4,08%

GOAU4

R$ 11,47

-3,61%

GOLL4

R$ 17,06

+0,29%

NTCO3

R$ 23,17

+4,27%

HAPV3

R$ 11,62

+3,75%

HYPE3

R$ 29,46

+1,51%

IGTA3

R$ 33,24

+0,00%

GNDI3

R$ 67,53

+3,43%

IRBR3

R$ 3,34

-5,11%

ITSA4

R$ 9,55

-0,62%

ITUB4

R$ 23,30

+0,04%

JBSS3

R$ 36,31

-0,02%

JHSF3

R$ 5,47

+5,80%

KLBN11

R$ 24,75

-3,35%

RENT3

R$ 54,90

+1,42%

LCAM3

R$ 24,46

+0,57%

LWSA3

R$ 9,00

+4,16%

LAME4

R$ 6,55

+2,02%

LREN3

R$ 26,44

+1,14%

MGLU3

R$ 6,90

+3,75%

MRFG3

R$ 22,44

+0,40%

BEEF3

R$ 9,86

+1,02%

MRVE3

R$ 12,04

+2,03%

MULT3

R$ 19,94

+1,78%

PCAR3

R$ 19,50

-2,15%

PETR3

R$ 34,59

+0,34%

PETR4

R$ 31,77

+0,15%

VBBR3

21,40

+0,51%

PRIO3

R$ 23,60

-2,47%

QUAL3

R$ 17,01

+0,41%

RADL3

R$ 21,00

+2,68%

RAIL3

R$ 16,98

-2,86%

SBSP3

R$ 35,98

-0,05%

SANB11

R$ 31,43

+0,83%

CSNA3

R$ 25,75

-2,27%

SULA11

R$ 24,01

-1,47%

SUZB3

R$ 59,59

-1,19%

TAEE11

R$ 37,98

+0,87%

VIVT3

R$ 48,36

-0,08%

TIMS3

R$ 12,92

+0,38%

TOTS3

R$ 26,63

+0,98%

UGPA3

R$ 13,85

+1,46%

USIM5

R$ 15,86

-4,28%

VALE3

R$ 84,91

-2,07%

VIIA3

R$ 4,35

+3,32%

WEGE3

R$ 30,61

-0,42%

YDUQ3

R$ 20,42

+2,10%

maria-luiza

Atualizado há 27 dias

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 27 de dezembro – O público de maior renda deve conferir resistência a varejistas de moda em 2022, um ano cujas previsões macroeconômicas desafiam o varejo em geral, especialmente e-commerces de bens-duráveis, como eletroeletrônicos, que verão desaceleração em seu volume de vendas, pelo menos durante o primeiro semestre, apontaram especialistas ouvidos pela Mover.

As expectativas de manutenção de alta nos preços, ainda que em ritmo menos acelerado se comparado a 2021, e nas taxas de juros e a previsão de crescimento menor da economia do país são os grandes buracos na estrada a ser percorrida pelo setor varejista no novo ano.

Segundo a última publicação do Boletim Focus, espera-se um IPCA de 5,03% em 2022, uma taxa Selic avançando 11,5% e um crescimento de apenas 0,5% no Produto Interno Bruto.

“O varejo é muito ligado a dados macroeconômicos. Inflação aumenta custos e deteriora o poder de compra da população; taxas de juros mais altas dificultam o acesso ao crédito. Tudo isso aliado a um ano eleitoral, que é mais volátil naturalmente, cria um cenário ainda mais adverso, então nossa perspectiva é mais pessimista para o setor e seus papéis”, explica o analista do Inter Research, Breno de Paula.

Alta renda

Assim como no segundo semestre de 2021, a recuperação no ano que vem deve ser impulsionada principalmente por famílias de maior renda, de acordo com o BTG Pactual em relatório.

O foco nos públicos A e B, cujo poder de compra não é tão impactado pela inflação, favorecerá empresas como Grupo Soma, Arezzo, Vivara e até a Lojas Renner, de acordo com Breno de Paula.

“A perspectiva para varejo de joias e moda voltadas para o público de maior renda é positiva, ao contrário da expectativa para varejistas de moda focadas no público de menor renda, que é negativa. Essas pessoas sofrem mais com a pandemia e optam por gastar dinheiro com seus itens não-discricionários, como os alimentos”, explica o analista do Inter.

E-commerce

Por outro lado, Magazine Luiza, Via e Americanas enfrentarão os maiores desafios, ao menos no curto prazo, segundo De Paula.

“A pandemia estimulou muito a compra de eletroeletrônicos, um dos carros fortes do e-commerce, mas, como são bens duráveis, vimos uma desaceleração e acomodação no volume de vendas desses itens neste ano e a perspectiva para 2022 é a mesma, pelo menos para o primeiro semestre”, diz o analista.

O BTG Pactual pontua em relatório uma tendência de desaceleração em curso no desempenho dos e-commerces, a piora nos custos de envio e no CAC, custo de aquisição do cliente, que aponta o investimento médio em esforços diretos para conquistar um cliente, além de uma competição intensa.

Sobre o desempenho das lojas físicas, Breno de Paula explica que, devido à base comparativa fraca do primeiro trimestre de 2021, quando ocorreu o pico da segunda onda, o pior período da pandemia, o volume de vendas desse canal deve acelerar na base anual, mas ainda ficar abaixo dos níveis pré-Covid.

Alimentos

A resiliência dos segmentos que se beneficiaram com o auxílio emergencial também é uma tendência para o BTG Pactual, um bom prenúncio para o varejo alimentar.

“O setor foi capaz de repassar integralmente a inflação para o consumidor final a partir do fim de 2020 até metade de 2021. A partir do segundo semestre vimos uma migração maior do supermercado para o atacarejo, punindo bandeiras como Carrefour e GPA. A expectativa para 2022 é que a inflação alimentar ceda um pouco, o que pode ser positivo para essas empresas, à medida que elas conseguem aumentar sua margem”.

A preferência crescente pelo atacarejo, porém, será mantida, de acordo com o analista.

“Vemos não só as classes mais baixas, mas a classe média consumir no atacarejo, como o Assaí, optando por fazer compras maiores, mais espaçadas, aproveitando os preços mais competitivos – um grande diferencial em tempos de inflação”, diz de Paula.

O especialista chama atenção para o fator de sazonalidade que difere no primeiro e segundo semestres no varejo. O segundo reúne datas muito importantes para o volume de vendas do setor, como o Dia das Crianças, Black Friday, Natal, além de ser quando uma parcela da população recebe 13º salário ou bônus, o que não ocorre no primeiro semestre, cujas vendas são tradicionalmente mais fracas.

“Por isso, ainda que seja difícil prever um segundo semestre de 2022, ainda mais em ano de eleição, estamos mais otimistas em relação a ele do que ao primeiro semestre”, destaca o analista do Inter Research.

O ICON, índice de varejo da Bolsa, inicia a última semana de 2021 em queda de cerca de 27% – segundo pior desempenho entre os índices setoriais do mercado de ações brasileiro.

Texto: Maria Luiza Dourado
Edição: Gustavo Bonato e Gustavo Boldrini
Imagem: Mover

image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.