0

Após decisão do Fed, Ibovespa retoma patamar dos 113 mil pontos

mercados

Após decisão do Fed, Ibovespa retoma patamar dos 113 mil pontos

O Ibovespa dispara logo após o Federal Reserve, banco central americano, anunciar decisão para a política monetária dos Estados Unidos

Após decisão do Fed, Ibovespa retoma patamar dos 113 mil pontos
corleta

Atualizado há 8 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 22 de setembro –   O Ibovespa dispara na tarde desta quarta-feira, logo após o Federal Reserve, banco central americano, anunciar decisão para a política monetária dos Estados Unidos. Perto das 15h30, o índice saltava 2,67%, retomando o patamar dos 113 mil pontos.

O Comitê Federal de Mercado Aberto, FOMC, colegiado que determina o juro básico nos Estados Unidos, manteve a taxa-alvo Fed Funds em linha com as expectativas dos analistas, no intervalo de 0,00% a 0,25%, que ainda é o menor da história. Sobre o começo do ‘tapering’, o Fed sinalizou que, caso o progresso no emprego e o nível de inflação continuem como esperado, a retirada de estímulos da economia através da redução nas compras de ativos poderá se iniciar “em breve”.

Além disso, o banco central americano manteve o ritmo de recompras em US$120 bilhões por mês até a próxima reunião do FOMC, em novembro.

Projeção negativa para a economia

Nove dos 18 membros do comitê do Fed esperam que o ciclo de alta na taxa de juros seja antecipada para o próximo ano, com a mediana da expectativa para a taxa Fed Funds em 2022 saltando de 0,1% para 0,3%. Na reunião de junho, eram sete membros que esperavam pelo aumento da taxa básica juros já no próximo ano. O ‘Dot plot’ também mostrou piores projeções de crescimento econômico e inflação.

Alguns dos economistas e gestores entrevistados pela Mover já esperavam que o comitê conhecido como FOMC fizesse o anúncio do chamado ‘tapering’ em novembro, com início efetivo em dezembro, na esteira de dados de emprego formal abaixo do esperado.

A decisão do Fed ilustra o dilema que assombra os mercados globais: comunicar com firmeza se o crescimento é forte o suficiente para retirar parte do apoio monetário pandêmico ou se as pressões inflacionárias demandam um viés de maior severidade na política monetária. A decisão do banco central americano é considerada a mais importante entre as 13 sobre juros desta semana, que incluem Brasil hoje à noite, e Turquia, Japão e Reino Unido nas próximas horas.

Apetite por risco

Os índices acionários americanos e os ativos de risco aceleraram altas após a decisão do Federal Reserve. Em linha com o apetite por risco após uma nova postergação do ‘tapering’, o dólar perdeu força contra a maioria das moedas, com o Índice Dólar DXY revertendo alta e caindo 0,18%.

Os principais índices americanos tiveram seu pior desempenho em quatro meses na última segunda-feira, refletindo temores com a reunião do Fed, a piora da variante Delta da Covid-19, os sinais de turbulência econômica na China e o problema do teto da dívida nos EUA.

Texto: Felipe Corleta
Edição: Peter Frontini e Stéfanie Rigamonti
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Aumento da Selic não deve impactar os fundos imobiliários, diz diretor da Sequoia

Ibovespa tem alta firme, puxado pela Vale; mercado está de olho em Fomc e Copom

Ações da Méliuz devem manter movimento de alta, dizem especialistas

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.