0

Bandeiras tarifárias da conta de luz podem ficar 57% mais caras

mercados

Bandeiras tarifárias da conta de luz podem ficar 57% mais caras

Mas mesmo com o aumento das bandeiras tarifárias amarela e vermelha 1, a conta de luz deve ter tarifa verde até fim deste ano

Bandeiras tarifárias da conta de luz podem ficar 57% mais caras
patricia-vilasboas

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 12 de abril – A Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel, abriu nesta terça-feira uma consulta pública em que propõe reajustes nos valores das bandeiras tarifárias, segundo comunicado no site da agência.

As bandeiras amarela e vermelha 1 da conta de luz podem subir até 57%. Os novos valores devem entrar em vigor a partir de junho, de acordo com a Aneel.

A proposta sugere a cobrança de R$2,927 a cada 100 quilowatts-hora consumidos no mês para a bandeira amarela, um aumento de 56,19% em comparação com os R$1,874/kWh cobrados atualmente. Para a vermelha 1, o valor corresponde a R$6,237, alta de 57,06% em relação à tarifa vigente de R$3,971.

Fontes com conhecimento sobre o assunto afirmaram ao Scoop by Mover ontem que o governo avalia alternativas para conter o avanço das tarifas de energia.

Na última quarta-feira, o Ministério de Minas e Energia confirmou a volta da bandeira verde na conta de luz a partir de 16 de abril. Atualmente, está em vigor a tarifa de escassez hídrica, criada para contornar a elevação de custos na pior seca de quase um século no Brasil.

As bandeiras tarifárias são indicadores do custo real da energia gerada pelos consumidores e servem para orientar o valor a ser cobrado na conta de luz de acordo com fatores externos.

A Aneel justificou a proposta de reajuste por fatores como a escassez hídrica do ano passado, a alta do custo dos combustíveis e a correção monetária pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, que encerrou 2021 em alta de mais de 10%.

Em nota no site da agência, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, no entanto, disse que as possibilidades de mudança da bandeira verde para amarela ou vermelha ainda neste ano são baixas. “Durante o atual período úmido, estamos tendo muitas chuvas e os reservatórios estão sendo abastecidos.”

Pepitone acrescentou que, segundo um estudo realizado pelo Operador Nacional do Sistema, ONS, a previsão de que a bandeira verde fique vigente até dezembro é superior a 97%.

A consulta pública permanece disponível até 4 de maio e a proposta ainda pode ser ajustada.

Texto: Patrícia Vilas Boas
Edição: Letícia Matsuura e Gabriela Guedes
Imagem: Vinícius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.