0

Bolsas derretem após ata dura do FOMC; no radar, atividade, inflação, emprego: Espresso

mercados

Bolsas derretem após ata dura do FOMC; no radar, atividade, inflação, emprego: Espresso

As bolsas americanas e o Ibovespa acentuaram as perdas após a ata do banco central americano sinalizar aceleração de aperto monetário

Bolsas derretem após ata dura do FOMC; no radar, atividade, inflação, emprego: Espresso
tcuser

Atualizado há 4 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 5 de janeiro– As bolsas acentuaram as perdas após a ata da última reunião do Federal Reserve, banco central americano, mostrar que a autarquia deve acelerar a normalização de sua política monetária, elevando os juros mais cedo e ainda reduzindo a liquidez dos mercados revendendo os títulos de sua carteira.

A indicação de resposta mais dura contra a alta da inflação puxou os juros americanos e derrubou os ativos reais, como ouro e o Bitcoin.O Ibovespa acompanhou o movimento e quase perdeu os 101 mil pontos, enquanto juros e dólar subiram.

Reação das bolsas americanas

As bolsas americanas fecharam em queda após a ata do Fed indicar um aperto das condições de liquidez inesperado, com discussões sobre aceleração da alta dos juros e redução do balanço do banco central americano.

O Dow Jones, que estava em alta antes da ata, caiu 1,07%, o S&P500, 1,94% e o Nasdaq 100, 3,12%, enquanto o petróleo Brent fechou em alta de 1,0% e o WTI, de 1,11%, com queda de estoques nos EUA prevalecendo sobre o juro em alta. O rendimento do Treasury de dez anos subiu 3 pontos-base, para 1,70% ao ano.

Segundo a ata do Comitê de Mercado Aberto, os dirigentes do Fed demonstraram maior preocupação com a persistência da alta da inflação, passando a apoiar uma aceleração no fim do programa de recompras de títulos e o início do aumento dos juros já em março.

Além disso, discutiram o processo de redução do balanço, ou seja, da carteira de títulos adquiridos pelo Fed do mercado nos últimos anos, o que significaria que ele passaria a vender esses papéis, enxugando a liquidez do sistema e ajudando a combater a inflação.

Luta pelos 101 mil pontos

O Ibovespa segue sem conseguir emplacar uma sessão positiva no ano e quase perdeu o patamar dos 101 mil pontos nesta quarta-feira, com aumento da aversão ao risco após a divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve e receios fiscais no cenário doméstico.

O índice recuou 2,42% a 101.005, enquanto a curva de juros subiu em até 12,5 pontos-base e o dólar futuro avançou 0,39% a R$5,735 depois de passar a maior parte do dia em queda.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: Mover
Edição: Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins/ Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.