0

Brasil ocupa 4º lugar em crescimento em energia solar, aponta levantamento

mercados

Brasil ocupa 4º lugar em crescimento em energia solar, aponta levantamento

Levantamento mostrou Brasil à frente de países como Alemanha, Japão e Holanda no contexto de crescimento em projetos de energia solar

Brasil ocupa 4º lugar em crescimento em energia solar, aponta levantamento
patricia-vilasboas

Atualizado há 22 dias

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 26 de abril – O Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial de países com maior crescimento de instalações de usinas e equipamentos de energia solar em 2021, segundo apuração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, Absolar.

O mapeamento, feito com base em dados atualizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel, e da Agência Internacional de Energias Renováveis, Irena, mostrou que o Brasil adicionou 5,7 gigawatts à sua capacidade acumulada de energia solar em 2021, atingindo 13,6 GW, à frente de países como Alemanha e Japão.

China e Estados Unidos ocupam, respectivamente, primeira e segunda posição no ranking, seguidos pela Índia. Os três países registraram, por sua vez, adição de 52,9 GW, 19,9 GW e 10,3 GW no último ano, respectivamente.

A Alemanha ficou em quinto lugar, com crescimento de 4,7 GW, o Japão, em sexto, com 4,4 GW, a Coreia do Sul, em sétimo, com 3,5 GW, e a Holanda, em oitavo, com 3,2 GW. O ranking considera a potência operacional da fonte solar existente ao final do ano passado.

O Brasil acumula 15 GW de potência operacional da fonte solar, segundo a Absolar. O uso desta energia agrega cerca de R$78,5 bilhões em investimentos atualmente no país e já criou mais de 450 mil empregos desde 2012.

“É um número bastante impressionante”, disse o membro sênior do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos, IEEE, e sócio-diretor da Sun Mobi, Guilherme Susteras, que ressaltou, no entanto, que, apesar do crescimento expressivo, o país ainda ocupa o 13º lugar no ranking de capacidade acumulada solar fotovoltaica.

Entre os fatores responsáveis pelo atual desempenho em capacidade acumulada, Susteras afirmou à Mover que o mercado de energia solar no Brasil “cresceu 100% com base em capital privado, sem nenhum investimento público”, citando barreiras regulatórias, inseguranças jurídicas e dificuldades de distribuidoras.

Entre as empresas do setor que têm investido nesta fonte de energia renovável, a EDP Brasil (ENBR3) tem planos para injetar R$3 bilhões em energia solar até 2025. A Equatorial (EQTL3) e a Eneva (ENEV3) também estão investindo ou com planos de investir no setor por meio das recentemente adquiridas Echoenergia e Focus Energia. Já a Companhia Energética de Minas Gerais, Cemig (CMIG4), planeja construir usinas solares e parques eólicos.

Texto: Patrícia Vilas Boas
Edição: Letícia Matsuura e Gabriela Guedes
Imagem: Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.