0

Commodities puxam Ibovespa; no radar, PCE, ata do FOMC, PIB dos EUA, PEC dos Precatórios: Espresso

mercados

Commodities puxam Ibovespa; no radar, PCE, ata do FOMC, PIB dos EUA, PEC dos Precatórios: Espresso

O discurso de relator da PEC dos Precatórios e as ações de commodities impulsionaram Ibovespa, que voltou a superar os 103 mil pontos

Commodities puxam Ibovespa; no radar, PCE, ata do FOMC, PIB dos EUA, PEC dos Precatórios: Espresso
tcuser

Atualizado há 6 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 23 de novembro– O Índice Bovespa teve mais um dia de forte volatilidade, zerando as perdas da manhã e fechando em alta. O Ibovespa foi embalado pelas ações de commodities e bancos e pela expectativa de o texto da PEC dos Precatórios no Senado não definir um valor para o Auxílio Brasil. O juro e o dólar recuaram.

O Ibovespa fechou em alta de 1,50% a 103.653 pontos nesta terça-feira, apoiado na valorização das commodities no mercado internacional e com certo alívio após o relator da PEC dos Precatórios, Fernando Bezerra, indicar que não fixará um valor para o Auxílio Brasil no texto do projeto e com notícia do Scoop by Mover de que senadores tentam estratégia para alterar matéria sem precisar retornar à Câmara, o que aliviou o câmbio. O dólar futuro fechou em queda de 0,28%, a R$5,576 e a curva de juros acompanho o movimento, desidratando o prêmio em até 25 pontos-base.

Commodities sustentam Ibovespa

No dia, lideraram o Ibovespa os papéis mais sensíveis à alta nos preços internacionais do petróleo. As ações preferenciais classe A da Braskem ficaram no topo, subindo 6,68%. Já a preferencial da Petrobras avançou 5,46%, enquanto as ordinárias da PetroRio se valorizaram 5,29%. Entre as vilãs, os papéis das tecnológicas, influenciados pelas previsões de mais alta nos juros. As ordinárias da Méliuz caíram 5,43%, e as da Totvs perderam 4,98%. Os papéis ordinários da Petz cederam 4,02%, com forte fluxo institucional de vendas, segundo traders.

Em Nova York, os índices de ações oscilaram, com os papéis de tecnologia pesando no Nasdaq após os juros longos acelerarem, acompanhando o petróleo, que disparou mesmo com a liberação de reservas americanas. Dow Jones e S&P500 subiram com empresas de energia e bancos.

Nasdaq destoa dos outros índices acionários americanos

As bolsas americanas melhoraram o desempenho no fim do pregão, mesmo com os rendimentos dos Treasuries americanos subindo 5 pontos-base e atingindo 1,68% para dez anos, com o setor financeiro e de energia fornecendo suporte. O Dow Jones avançou 0,55% e o S&P500, 0,17%, enquanto o Nasdaq 100 recuou 0,45%, devido à pressão sobre as ações de tecnologia, sensíveis ao aumento dos juros longos.

O petróleo teve um dia positivo, após análise de que o plano de alguns países liderados pelos EUA de liberar reservas estratégicas do insumo para conter a inflação tem alcance limitado. O Brent avançou 3,27% e o WTI, 2,28%.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: Mover
Edição: Letícia Matsuura
Arte: Vinícius Martins/ Mover

Nesta matéria

PETR4

PETROLEO BRASILEIRO S.A. ...

0,00

-0,56

-1,63%

Relacionadas

BRKM5

BRASKEM S.A.

41,85

-1,56

-3,53%

PRIO3

PETRO RIO S.A.

27,07

-1,34

-5,05%

PETZ3

PET CENTER COMERCIO E PA...

13,33

-0,34

-2,46%

Powered by

Análise de Investimentos

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.