0

Conflito na Ucrânia é o “mais relevante desde o 11 de setembro”, diz SPX Capital

mercados

Conflito na Ucrânia é o “mais relevante desde o 11 de setembro”, diz SPX Capital

Em carta aos cotistas, sócio da gestora SPX Capital disse que enxerga consequências econômicas duradouras do conflito entre Rússia e Ucrânia

Conflito na Ucrânia é o “mais relevante desde o 11 de setembro”, diz SPX Capital
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há 2 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 11 de março –  O conflito entre Rússia e Ucrânia é o evento geopolítico “mais relevante desde o 11 de setembro”, com consequências sobre a inflação, atividade econômica e até na ruptura do protagonismo de potências Ocidentais na geopolítica mundial, afirmou hoje a SPX Capital em carta enviada a cotistas.

No documento, o sócio da gestora, Beny Parnes, explicou que, no cenário de crise prolongada, é esperada uma redução significativa na oferta de energia, alimentos, fertilizantes e metais, o que representa pressão persistente sobre a inflação global e na atividade econômica.

Para a gestora, o cenário prévio de inflação alta e persistente nas potências globais, iniciado pela injeção de capital para elevar a demanda “de forma demasiada” em meio ao deslocamento de cadeias de oferta, piorou o contexto da crise.

Parnes afirmou que o trabalho dos bancos centrais pelo mundo será ainda mais difícil, já que as autoridades monetárias precisarão elevar os juros para controlar a inflação, dosando o movimento para não causar recessão.

Ainda para ele, a exclusão da Rússia do sistema financeiro internacional, o Swift, pode ser o gatilho para um sistema alternativo em outras moedas de negociação, o que pode tirar poder do dólar americano.

Parnes finalizou a carta de fevereiro dizendo que, com a pandemia e agora o conflito no Leste Europeu, “o mundo ficou mais complexo, o que pode gerar mais deslocamentos nos preços dos ativos”.

Posições da SPX

No mês passado, o fundo multimercado SPX Nimitz apresentou alta de 3,05%, ante 0,75% do CDI e 0,89% do Ibovespa.

Para este mês, o relatório da SPX aponta para alocações compradas em dólar americano e em setores defensivos da bolsa americana.

Na Europa, a gestora investirá mais no setor de defesa e manterá posições compradas na bolsa chinesa.

No Brasil, a SPX deverá seguir com posições vendidas em fintechs e mineração. No setor de commodities, iniciou posição comprada em metais preciosos.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Gabriela Guedes
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.