0

Copom pondera Selic, orientação em dia de exterior ameno; no radar, Vale: Espresso

mercados

Copom pondera Selic, orientação em dia de exterior ameno; no radar, Vale: Espresso

O Copom, que tem a missão de decidir o nível dos juros básicos no país, encerra hoje a última reunião do ano para definir a taxa Selic.

Copom pondera Selic, orientação em dia de exterior ameno; no radar, Vale: Espresso
tcuser

Atualizado há mais de 1 ano

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 9 de dezembro – O Comitê de Política Monetária, Copom, órgão do Banco Central com a missão de decidir o nível dos juros básicos no país, encerra hoje a última reunião do ano para definir a taxa Selic.

A reunião, que dura dois dias, continuará durante a tarde desta quarta-feira, com o comunicado da decisão sendo divulgado por volta das 18h30. A expectativa unânime entre economistas, gestores e membros do TC que entrevistamos é que, apesar da recente elevação da inflação, a Selic se mantenha inalterada em 2,00% ao ano.

O comitê pode, inclusive, ajustar levemente a linguagem da chamada orientação futura no comunicado da decisão, disseram alguns deles. A orientação futura é um exercício de comunicação explicitado pelo comitê desde agosto, no qual se compromete condicionalmente a não elevar a Selic a menos que as projeções e expectativas de inflação fiquem suficientemente próximas da meta.

Para que essa orientação siga de pé, o Copom afirma que é necessário que a pauta de ajuste fiscal, representada pela aprovação de pautas de contenção das despesas públicas e as privatizações, seja também mantida.

Reunião do Copom e política fiscal estão no radar

Na ata da mais recente reunião do Copom, o Banco Central reiterou que essas condições seguem satisfeitas, mas destacou que “alterações de política fiscal que afetem a trajetória da dívida pública ou comprometam a âncora fiscal motivariam uma reavaliação”, mesmo que o Teto dos Gastos ainda esteja nominalmente mantido.

Há sem dúvida tentativas por parte do governo do presidente Jair Bolsonaro e sua base de apoio no Congresso de afrouxar ou diluir aspectos desse dispositivo constitucional, mas elas não conseguiram prosperar. Assim, câmbio e juros continuarão de olho no noticiário fiscal, por um lado, e no que o comunicado da decisão de hoje pode trazer, por outro.

Nossa prévia, que soltamos ontem, também diz que o Copom deve ajustar para cima as expectativas de inflação e de crescimento do Produto Interno Bruto para esse ano. Fique de olho se o BC manterá trecho no comunicado sinalizando que o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, “deve ser pequeno”. A não retirada desse trecho tem sido vista por investidores como uma sinalização de porta ainda aberta para eventual corte na Selic.

Texto: TC Mover
Edição: Letícia Matsuura
Imagem: Vinícius Martins/TC

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.