0

Desemprego recua no quarto trimestre, em linha com consenso

mercados

Desemprego recua no quarto trimestre, em linha com consenso

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,9% de outubro a dezembro, percentual menor do que no trimestre imediatamente anterior

Desemprego recua no quarto trimestre, em linha com consenso
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há cerca de 1 ano

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 26 de fevereiro – A taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,9% de outubro a dezembro, percentual menor do que os 14,6% registrados no trimestre imediatamente anterior, de acordo com a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua, Pnad Contínua. O dado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, veio exatamente como previa o consenso do TC. “O recuo da taxa no fim do ano é um comportamento sazonal por conta do tradicional aumento das contratações temporárias e aumento das vendas do comércio. É interessante notar que mesmo num ano de pandemia, o mercado de trabalho mostrou essa reação.”, afirma a analista da pesquisa, Adriana Beringuy.

 

Taxa de desemprego em 2020 é a maior da história

Já a taxa média de desemprego anual aumentou de 11,9%, em 2019, para 13,5%, em 2020, a maior da série iniciada em 2012. Apesar do recuo, os dados mostram a dificuldade do mercado de trabalho engatar força com o recrudescimento da pandemia.

Ao todo, a população desocupada totalizava 13,9 milhões de pessoas, sem crescimento em comparação ao trimestre anterior, quando foram contabilizadas 14,1 milhões de pessoas. Na média anual, porém, o desemprego atingiu 13,4 milhões pessoas, o maior da série anual, aumento de 6,7% em relação a 2019.

Já a população ocupada cresceu 4,5% em relação ao trimestre anterior, mas a média anual ficou 7,9% abaixo de 2019. O único grupo que apresentou crescimento de 2019 para 2020 foi o de administração pública, com crescimento de 1%, especialmente nas áreas de saúde e educação. Estas duas áreas tiveram muita demanda durante a pandemia, conforme IBGE. Já as perdas foram maiores nos setores de construção e indústria. A taxa de desemprego nesses setores subiu 12,50% e 8,00%, respectivamente, em 2020.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Bárbara Leite e Letícia Matsuura
Imagem: Divulgação


Leia também

Vale (VALE3) reverte prejuízo com rali do minério, mas provisões por Brumadinho limitam lucro

Alta dos yields assombra fechamento de mês; no radar, vírus no Brasil: Espresso

Calendário Econômico: Desemprego, Setor Público, PCE

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.