0

Emirados Árabes incentivarão Opep a aumentar produção de petróleo, diz Financial Times

mercados

Emirados Árabes incentivarão Opep a aumentar produção de petróleo, diz Financial Times

Os Emirados Árabes são o primeiro membro da Opep a solicitarem o aumento da produção de petróleo desde o início da invasão russa à Ucrânia

Emirados Árabes incentivarão Opep a aumentar produção de petróleo, diz Financial Times
gabriel-pontes

Atualizado há 3 meses

Ícone de compartilhamento

Brasília, 9 de março – Os Emirados Árabes Unidos vão incentivar membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, Opep+, a elevarem os níveis de produção de petróleo, segundo o Financial Times, em meio à escalada de preços da commodity pelo conflito entre Rússia e Ucrânia.

O embaixador dos Emirados Árabes Unidos em Washington, Yousef al-Otaiba, afirmou em comunicado ao Financial Times que a nação é favorável à elevação da produção de petróleo, encorajando a Opep a considerar maiores níveis de produção.

De acordo com o Financial Times, os Emirados Árabes são o primeiro membro da Opep a solicitarem que a organização aumente a produção de petróleo desde que a Rússia invadiu a Ucrânia.

“Os Emirados Árabes são um fornecedor confiável e responsável de energia aos mercados globais há mais de 50 anos e acreditam que a estabilidade nos mercados de energia é fundamental para a economia mundial”, afirmou al-Otaiba no documento.

A fala ocorre após semanas de pressão do governo norte-americano para que os produtores de petróleo aumentem a produção, visando reduzir a cotação da commodity, em meio às sanções econômicas à Rússia. Ontem, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou o banimento da importação de petróleo russo, além do gás natural e energia.

Apesar disso, até o momento, a aliança da Opep+, que inclui a Rússia, recusou-se a ir além da elevação de produção já acordada de 400 mil barris por dia a cada mês a partir de abril.

O Financial Times nota, entretanto, que os Emirados Árabes são um aliado próximo da Arábia Saudita, líder da Opep, que até o momento tem resistido aos pedidos dos EUA para aumentar a produção.

Por volta das 14h15, o contrato de petróleo Brent para maio de 2022 tinha queda de 6,14%, cotado a US$120,12. Já o petróleo dos EUA para abril de 2022, o WTI, tinha queda de 5,82%, cotado a US$116,50.

Texto: Gabriel Ponte
Edição: Guilherme Dogo
Imagem: Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.