0

Escalada de tensão entre Rússia e Ucrânia azeda mercados globais

mercados

Escalada de tensão entre Rússia e Ucrânia azeda mercados globais

Ao longo desta madrugada, foram noticiados bombardeios no leste da Ucrânia, onde a Rússia detém mais influência, o que mexeu com os mercados

Escalada de tensão entre Rússia e Ucrânia azeda mercados globais
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há 3 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 17 de fevereiro – Os futuros dos índices acionários dos mercados americanos caem nesta quinta-feira, refletindo temores com os desdobramentos do conflito diplomático entre Rússia e Ucrânia.

Ao longo da noite, foram noticiados bombardeios no leste da Ucrânia, onde a Rússia detém mais influência. Além de duvidar sobre a busca russa por uma solução pacífica, investidores temem que o incidente da madrugada possa ser usado como pretexto para uma guerra.

A Organização de Segurança e Cooperação na Europa confirmou os bombardeios no leste ucraniano. Rebeldes separatistas da região, alinhados à Rússia, acusam a Ucrânia de perpetrar os ataques. Ontem, os Estados Unidos calcularam em 7 mil o aumento das tropas russas na fronteira com a Ucrânia.

Depois das notícias, os futuros dos índices Dow Jones, S&P500 e Nasdaq 100 passaram a cair mais de 0,5% e o contrato futuro do ouro passou a subir mais de 1%, sugerindo busca por proteção. As bolsas europeias operavam mistas. Os índices asiáticos fecharam em alta leve, com exceção da bolsa de Tóquio.

Os contratos de petróleo Brent e WTI caem cerca de 2%, monitorando o andamento do acordo nuclear com o Irã – que poderia aumentar a oferta da commodity.

A agenda tem como destaque os pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, às 10h30. Mais tarde, às 13h, o presidente do Federal Reserve, banco central americano, de St. Louis, James Bullard, fala em evento, após divulgação da ata da última reunião de juros no país. No Brasil, o investidor local monitora as falas do presidente Jair Bolsonaro na Hungria pela manhã e a entrevista do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a uma rádio do Ceará, ao meio dia. O Conselho Monetário Nacional se reúne hoje, às 15h.

No âmbito corporativo, Aeris, Neoenergia e Rumo reportam resultados trimestrais após o fechamento do mercado. Às 11h, Weg e Totvs fazem teleconferência de resultados.

Bolsa brasileira

O futuro do Ibovespa deve abrir em leve baixa, seguindo a maior aversão ao risco no mercado global.

Câmbio e juros

O dólar deve abrir com leve viés de queda, com a continuação do forte fluxo estrangeiro. O índice Dólar DXY rondava a estabilidade. Os juros devem seguir o câmbio.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Gustavo Bonato e Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.