0

Falta de diesel acende alerta sobre risco de desabastecimento no Brasil

mercados

Falta de diesel acende alerta sobre risco de desabastecimento no Brasil

O problema era só com postos bandeira branca, agora, a falta de diesel atinge também os bandeirados, disse presidente da Fetramig

Falta de diesel acende alerta sobre risco de desabastecimento no Brasil
tcuser

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

Brasília/São Paulo, 14 de abril – A falta de diesel em postos de combustíveis começa a aparecer de forma mais evidente pelo interior do país e chega a atingir até postos bandeirados, em mais um sinal de alerta sobre o risco de desabastecimento no país, o que pode piorar a inflação e o clima de insatisfação social.

Segundo empresários e associações do setor de transporte de combustível, a escassez é maior nas regiões urbanas de Minas Gerais e Distrito Federal, enquanto estabelecimentos localizados em estradas, onde há mais postos bandeirados e com volume maior de comercialização, ainda não indicam tantos problemas. A situação de oferta do combustível piorou desde a invasão russa à Ucrânia, em fevereiro.

Para o presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes, Paulo Miranda Soares, o cenário é de escassez seletiva e sem previsão de quanto tempo vai durar. Mesmo que a guerra na Ucrânia acabasse hoje, “as sanções impostas na Rússia vão manter a demanda maior dos outros exportadores”, disse.

Atualmente, dos 41 mil postos de combustíveis no Brasil, 52% são de grandes bandeiras e 48% são de bandeira branca, abastecidas por distribuidoras regionais. “As três grandes conseguem fazer uma média ponderada do preço que compram diesel da Petrobras com o valor que importam, que está mais alto. As pequenas não conseguem e ficam no prejuízo, sem competitividade”, disse o presidente da Fecombustíveis.

Duas fontes ligadas a grandes distribuidoras de combustíveis, consultadas pelo Scoop by Mover, garantem que os contratos estão sendo cumpridos. Por outro lado, elas reconhecem que não há mais sobra no mercado brasileiro, e que alguns grupos com menor capacidade de planejamento possam ter tido dificuldades para encontrar produto no chamado “mercado spot”, quando o combustível é comprado na hora e pago à vista.

“Se esse comprador tem a habitualidade de comprar 100 mil litros por mês, nós conseguimos suprir. O problema é que não está mais sobrando em todos os lugares, e muitos vem pedindo duas ou três vezes mais. O produto está escasso”, afirmou uma das fontes.

Falta de diesel

Wagner Jones, empresário do setor de transporte de combustíveis e presidente da Federação dos Transportadores Autônomos de Minas Gerais, Fetramig, alertou que, se antes, o problema era só com postos bandeira branca, agora, a falta de diesel atinge também os bandeirados.

“Eu estou com caminhão em Belo Horizonte desde ontem para carregar na Petrobras e levar para cliente da bandeira em Juiz de Fora e não carregou ainda. Estão limitando o volume também, tem casos de entrega de um terço do pedido”, revelou.

No Distrito Federal, segundo o presidente do Sindicombustíveis, Paulo Tavares, se o volume disponível atende 75% em média, porque varia conforme a região – no DF a refinaria de Paulínia atende 76% do mercado – as empresas preferem deixar esses 25% que não conseguem suprir para as regiões urbanas. Por isso, nas estradas o problema é menor, por enquanto”, explicou.

A Agência Nacional do Petróleo afirmou que monitora o abastecimento nacional de combustíveis de forma sistemática, por meio do acompanhamento dos fluxos logísticos em todo o território brasileiro. “Na presente data, o abastecimento aos consumidores se mantém regular”, informou.

O Instituto Brasileiro do Petróleo, que representa as grandes distribuidoras, disse que acompanha as reuniões de monitoramento do abastecimento do diesel com o Ministério de Minas e Energia e não há indícios de falta do produto, “As associadas do IBP não registram falta de diesel e estão importando o produto que não conseguem no mercado local”, afirmou.

A Brasilcom, associação que representa 50 distribuidoras regionais, disse que “está preocupada com o cenário e espera que o governo tome medidas para corrigir as distorções”.

Procurada, a Petrobras informou ao Scoop que não há cortes no fornecimento de diesel. “Como no fim de 2021, os pedidos de diesel para abril foram atípicos e superiores ao esperado. O volume aceito foi inferior aos pedidos, mas de acordo com as obrigações contratuais”. A estatal ainda ressaltou que há mais atores na cadeia para atender às demandas adicionais.

*Esta reportagem foi publicada antes para os assinantes. Quer receber notícias e furos em primeira mão? Então, assine um dos planos do TC.

*Texto atualizado com posicionamento da Petrobras

Texto: Simone Kafruni e Machado da Costa
Edição: Allan Ravagnani e Letícia Matsuura
Imagem: Divulgação

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.