0

Ibovespa futuro abre em baixa com exterior, enquanto dólar sobe

mercados

Ibovespa futuro abre em baixa com exterior, enquanto dólar sobe

Decisões de importantes bancos centrais nos últimos dias pesam no exterior e refletem no mercado local, com Ibovespa futuro abrindo em queda

Ibovespa futuro abre em baixa com exterior, enquanto dólar sobe
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há 5 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 17 de dezembro – A abertura do mercado futuro brasileiro é negativa, sentindo o peso do exterior mais cauteloso, que coloca na ponta do lápis as decisões dos bancos centrais e o avanço da variante ômicron, especialmente na Europa.

Perto das 9h15, o Ibovespa futuro caia 0,63%, aos 109.430 pontos, enquanto o dólar futuro abriu em alta de 0,20%, a R$5,716. Já a curva de juros opera em queda, com movimento de ajuste após duas sessões de altas após comunicados mais severos do Banco Central do Brasil.

No exterior, os índices futuros americanos operam todos em baixa, com cautela sobre o vencimento quádruplo hoje e pesando a decisão do Federal Reserve, banco central americano, de encerrar o programa de estímulos em março e abrir espaço para altas de juros ainda no primeiro semestre do ano que vem. Esse movimento pesa especialmente sobre as empresas de tecnologia, majoritárias no S&P500 e no Nasdaq.

Na Europa, as bolsas operam em queda com o peso do avanço da variante ômicron da covid-19. O Reino Unido voltou a registrar recorde de casos diários, com 90 mil novos diagnósticos, enquanto França e Portugal reforçaram os bloqueios nas fronteiras para viajantes britânicos. Com isso, o petróleo Brent, referência para a Petrobras, opera em queda de mais de 1%.

Mercado local

Na agenda local, os investidores aguardam as falas do ministro da Economia, Paulo Guedes, em coletiva de imprensa às 14h30, e od presidente Jair Bolsonaro, em evento do Mercosul às 10h. Vencimento de opções sobre ações também estão no radar.

Do lado positivo, o minério de ferro subiu 3,05% no porto de Qingdao, aproximando-se do patamar dos US$120, o que pode dar fôlego para as mineradoras e siderúrgicas no pregão à vista.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Allan Ravagnani
Imagem: Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.