0

Ibovespa vira e passa a cair com exterior azedo

mercados

Ibovespa vira e passa a cair com exterior azedo

Ibovespa segue bolsas americanas, que aprofundaram queda nesta tarde, refletindo os temores com a alta de juros pelo banco central americano

Ibovespa vira e passa a cair com exterior azedo
heriberto-junior

Atualizado há 4 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 18 de janeiro –  Após operar próximo às máximas do dia, o Ibovespa virou, passou a cair e perdeu o patamar dos 106 mil pontos nesta tarde, com a piora do cenário no mercado exterior, que tem dia de aversão a risco.

Por volta das 15h, o Ibovespa caía 0,43%, a 105.917 pontos, em linha com o clima azedo das bolsas americanas, que registravam quedas de até 2,34%, com os temores de alta de juros pelo banco central americano, refletido no avanço dos Treasury yields.

O mercado exterior também pode estar reagindo a falas da porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, e do coordenador de Implementação de Infraestrutura dos Estados Unidos, Mitch Landrieu, sobre a crise da Ucrânia. Eles classificaram o conflito na região como “extremamente perigoso” e disseram que a Rússia pode lançar ataque a qualquer momento.

A curva de juros no Brasil que operava mista passou a subir até 7,5 pontos-base. O dólar futuro acelerou alta para 1,08%, cotado a R$5,592. O petróleo do tipo Brent, que chegou a atingir a máxima de sete anos, passou a arrefecer alta e perdeu o patamar dos US$87, subindo 0,52%, a R$86,97, por volta do mesmo horário.

O temor com a inflação global prejudica grande parte dos mercados, mas por outro lado, tende a beneficiar empresas ligadas a commodities, que oferecem exposição a mercadorias e ativos reais. Com isso, blue chips brasileiras, como Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4/PETR3), acumulam altas em pontos no índice e evitam uma queda maior do Ibovespa.

Assim como as exportadoras de commodities, ações de grandes bancos também têm peso elevado na composição do índice e são consideradas defensivas para o cenário de altas na taxa Selic. As altas em Itaú (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3), portanto, também ajudavam no desempenho positivo do índice em relação às bolsas americanas hoje.

Entre as altas percentuais do Ibovespa, destaque para as educacionais, com as ordinárias da Yduqs (YDUQ3), que registravam alta de 3,88%, depois de a gestora Alaska passar a deter 15,23% das ações de outra educacional, a Cogna (COGN3). Fora do índice, ordinárias da Oi (OIBR3) disparavam 10,39%, a maior alta registrada em 18 meses.

No radar

Mercado está de olho nos riscos fiscais que podem decorrer das manifestações de servidores públicos por aumentos salariais. Além disso, há expectativa por falas do pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista agendada para amanhã às 10h30.

Texto: Heriberto Teixeira e Stéfanie Rigamonti
Edição: Artur Horta
Imagem: Mover

Nesta matéria

VALE3

VALE S.A.

79,91

2,13

+2,73%

Relacionadas

PETR3

PETROLEO BRASILEIRO S.A. ...

37,24

0,40

+1,08%

PETR4

PETROLEO BRASILEIRO S.A. ...

34,24

0,64

+1,90%

ITUB4

ITAU UNIBANCO HOLDING S.A...

24,92

0,02

+0,08%

BBDC4

BCO BRADESCO S.A.

19,44

-0,12

-0,61%

BBAS3

BCO BRASIL S.A.

35,65

-0,26

-0,72%

COGN3

COGNA EDUCA��O S.A.

2,60

-0,05

-1,88%

YDUQ3

YDUQS PARTICIPACOES S.A.

17,91

0,33

+1,87%

OIBR3

OI S.A.

0,67

0,01

+1,51%

Powered by

Análise de Investimentos

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.