0

IEA prevê volatilidade longa do petróleo e propõe corte de consumo

mercados

IEA prevê volatilidade longa do petróleo e propõe corte de consumo

As cotações do petróleo no mercado internacional chegaram a tocar a máxima desde 2008, de US$139 por barril no início deste mês

IEA prevê volatilidade longa do petróleo e propõe corte de consumo
luciano-costa-de-paula

Atualizado há 2 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 18 de março – A Agência Internacional de Energia divulgou hoje plano com dez sugestões para reduzir o consumo de petróleo em economias desenvolvidas, argumentando que essas iniciativas poderiam reduzir impactos da disparada dos preços da commodity e projetando um período prolongado de volatilidade no mercado.

As cotações do petróleo no mercado internacional chegaram a tocar a máxima desde 2008, de US$139 por barril no início deste mês, devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia, que provocou sanções contra a economia russa.

“Mais da metade das exportações de petróleo da Rússia vão para a Europa e cerca de 20% vão para a China, mas o mercado é global, o que significa que mudanças na oferta e preços afetam todos”, disse a agência, conhecida como IEA, apontando que os preços dos combustíveis nos postos “estão no maior nível já visto em alguns países”.

Nações desenvolvidas respondem por cerca de 45% da demanda global de petróleo e a IEA avalia que seu plano poderia cortar a demanda em 2,7 milhões de barris por dia nos próximos quatro meses.

Propostas

Entre as medidas sugeridas pela IEA estão redução nos limites de velocidade de estradas em ao menos 10 km/h, o que poderia economizar 290 mil barris por dia em petróleo apenas considerados carros e motos, e mais 140 mil barris por dia, ou bpd, levando em conta também caminhões.

A agência também propõe que os países mais ricos incentivem o trabalho remoto até três vezes por semana, criem “domingos sem carros” em grandes cidades e reduzam o custo de transporte público, apoiando ainda medidas de micro-mobilidade, como uso de bicicletas.

Rodízios de veículos, compartilhamento de carros, uso de trens em vez de aviões quando possível, e até redução em viagens aéreas corporativas também estão na lista de propostas da IEA, assim como o reforço na adoção de veículos elétricos e mais eficientes.

Segundo a IEA, há potencial de que o conflito na Rússia leve a uma redução de 2,5 milhões de barris por dia nas exportações russas de petróleo a partir de abril, sendo que as perdas podem “aumentar com restrições e a condenação pública à Rússia escalando”.

Antes, a agência internacional, com sede em Paris, já havia divulgado um plano com sugestões para que a Europa reduza sua dependência do gás da Rússia.

Texto: Luciano Costa
Edição: Angelo Pavini
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.