0

Inflação deve acelerar em março e elevar expectativas para Selic

mercados

Inflação deve acelerar em março e elevar expectativas para Selic

Segundo o UBS, a desaceleração da inflação não deve começar antes de maio, acompanhando a queda nos custos de energia elétrica

Inflação deve acelerar em março e elevar expectativas para Selic
tcuser

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 7 de abril – Caso se confirmem as projeções e a inflação brasileira volte a acelerar em março, o Banco Central poderá ter de elevar os juros básicos, conhecidos como taxa Selic, além do previsto nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária.

Segundo o consenso Mover, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, considerado a inflação oficial, deve fechar março em alta sequencial de 1,3%, acima do 1,01% de fevereiro. Já na variação anual, o índice deve acelerar de 10,54% em fevereiro para 10,97% em março, acima do topo da meta do BC, de 5,00%.

O núcleo do índice, que exclui combustíveis e alimentos, deve ficar entre 11% e 12% em março, refletindo o espalhamento das pressões inflacionárias, afirmou hoje o Santander Brasil. Cerca de 74,8% dos itens que fazem parte do IPCA tiveram aumento de preços em fevereiro.

Os preços subjacentes industriais subiram 1,20% e os de serviços, 0,82% em fevereiro. O Goldman Sachs informou que espera que o núcleo de preços de serviços e industriais desacelere para 0,50% e 0,96% em março, respectivamente.

Para o UBS, a maior pressão sobre o índice de março deve vir da gasolina, que teve reajustes de quase 19% nas refinarias. O impacto do combustível deve ser de cerca de 6,0% na variação mensal, com um resíduo de 4,0% em abril.

Ainda segundo o UBS, a desaceleração da inflação não deve começar antes de maio, acompanhando a queda nos custos de energia elétrica. A instituição financeira trabalha com alta de 1,2% no IPCA mensal de abril e 11,0% em 12 meses.

A pressão nos próximos meses sobre a inflação pode ser contida pela queda do dólar para R$4,70, o recuo do petróleo para perto de US$100 o barril e a redução da bandeira tarifária da eletricidade para verde. Para a LCA Consultores, a energia elétrica pode ter um impacto negativo de 0,80% entre abril e junho.

O Banco Central trabalha com dois cenários para a inflação, a depender do preço do petróleo no mercado internacional. Caso o valor se acomode perto de US$100 por barril, a expectativa é de que a inflação feche 2022 em 6,3%. Com preços mais elevados, o BC vê o IPCA deste ano em 7,1%.

Se o IPCA vier acima do esperado, as expectativas de alta da Selic devem aumentar para além de 12,75%, patamar esperado para a decisão de juros de maio. O Itaú BBA espera que a Selic suba em junho e agosto, atingindo 13,75%, já que, “provavelmente veremos piora adicional até a próxima decisão”.

Texto: Angelo Pavini e Felipe Corleta
Edição: Gabriela Guedes
Imagem: Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.