0

Investidores veem real despontando, Ibovespa acima de 130 mil e Teto flexibilizado, diz BofA

mercados

Investidores veem real despontando, Ibovespa acima de 130 mil e Teto flexibilizado, diz BofA

Levantamento do BofA mostra expectativa dos investidores de valorização do real em seis meses, alta do Ibovespa e mudança no Teto de Gastos

Investidores veem real despontando, Ibovespa acima de 130 mil e Teto flexibilizado, diz BofA
tcuser

Atualizado há mais de 1 ano

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 20 de janeiro – O real será a moeda que mais vai valorizar nos próximos seis meses, de acordo com o levantamento “LatAm Fund Manager Survey”, do Bank of America, conhecido como BofA, para a América Latina, com investidores e clientes institucionais.

Investidores veem real como moeda com maior potencial de valorização

A maior parcela dos entrevistados, 44%, deu à moeda brasileira o maior potencial de valorização, seguida do peso mexicano, com 33% dos votos. Por outro lado, menos entrevistados, 59% ante 69% na sondagem anterior, veem o dólar abaixo de R$5,10 no fim de 2021.

Também se viu menos apostas dos investidores de que a cotação terminará o ano entre R$4,51 e R$4,80, e mais estimativas de que a divisa encerrará mais cara em dezembro, entre R$5,11 e R$5,30. Além disso, a pesquisa colheu previsões de que o dólar poderá fechar o ano acima de R$6,20, o que não ocorreu na pesquisa de dezembro.

Expectativa é que Ibovespa chegue aos 130 mil pontos

A sondagem do BofA mostra que 72% dos investidores esperam um bom desempenho da bolsa brasileira nos próximos seis meses, em linha com o levantamento anterior. Também uma fatia maior, de 71% ante 54% em dezembro, acreditam que o Índice da Bolsa de Valores, Ibovespa, possa fechar o ano acima dos 130 mil pontos.

Taxa Selic deve ficar abaixo dos 3,5% ao ano, dizem entrevistados

Sobre a taxa básica de juros, a taxa Selic, os investidores entrevistados entendem que haverá alta em 2021, apostando que o juro básico se iguale e fique abaixo dos 3,5%, 150 pontos-base acima do patamar atual, que é de 2% ao ano.

Já uma fatia de 53% dos investidores espera alguma flexibilização do Teto de Gastos neste ano, menos que os 66% da pesquisa anterior, enquanto caiu de 73% para 54% aqueles que ainda acreditam que o Brasil vai recuperar o grau de investimento, o chamado selo de bom pagador, em algum momento. Trata-se do percentual mais baixo desde o início da série, iniciada em janeiro de 2019.

Texto: Bárbara Leite
Edição: Melina Flynn e João Pedro Malar
Arte: TC Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.