0

IPCA: Inflação avança e tem maior variação para outubro em 19 anos

mercados

IPCA: Inflação avança e tem maior variação para outubro em 19 anos

O IPCA acelerou 1,25% em outubro, 0,09 ponto percentual acima do mês anterior, e maior do que o consenso TC, que era de 1,05%

IPCA: Inflação avança e tem maior variação para outubro em 19 anos
stefanie-rigamonti

Atualizado há 6 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 10 de novembro –  O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA, registrou em outubro seu maior avanço para o mês desde 2002, vindo bem acima do que esperava o consenso do mercado.

Considerado a inflação oficial do Brasil, o indicador é pressionado principalmente pela alta dos combustíveis, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O IPCA acelerou 1,25% em outubro, 0,09 ponto percentual acima do mês anterior, e maior do que o consenso TC, que era de 1,05%. No ano, a inflação acumula alta de 8,24% e, nos últimos 12 meses, de 10,67%, acima da taxa observada nos 12 meses anteriores, de 10,25%.

Todos os grupos de produtos e serviços avaliados pela pesquisa tiveram alta em outubro, com destaque para o setor de transportes, com aceleração de 1,82% frente a setembro. A alta nesse grupo se dá sobretudo pela pressão dos preços dos combustíveis, principalmente a gasolina, que subiu 3,10% e teve o maior impacto individual sobre o índice do mês. Os combustíveis acumulam alta de 38,29% no ano, e de 42,72% nos últimos 12 meses.

A segunda maior variação no IPCA foi de vestuário, que subiu 1,80%. O destaque ficou por conta das roupas femininas, que representaram 2,26% de elevação nesse grupo, e roupas infantis, com 2,01%.

Em seguida, alimentação e bebidas também tiveram grande impacto, com avanço de 1,17%. A alimentação no domicílio foi o que mais pesou, nesse sentindo, especialmente por causa dos preços do tomate, que aumentou 26,01%, e da batata-inglesa, com 16,01% de variação. Na alimentação fora do domicílio, que teve leve alta de setembro para outubro, o que mais pesou foi o lanche. A refeição, por sua vez, desacelerou.

Energia elétrica

O grupo de habitação, que em setembro representou a maior alta do IPCA, justificada pelo aumento de 6,47% da energia elétrica, desta vez ficou em quarto lugar, com elevação de 1,04%. Isso mesmo com a manutenção da bandeira Escassez Hídrica, que acrescenta R$ 14,20 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos.

Segundo dados do TC Matrix, o índice de difusão da inflação subiu de 64,99% para 66,84% em outubro, o que sugere que a elevação de preços está mais focada em mais itens do que no mês anterior.

Texto: Stéfanie Rigamonti
Edição: Cintia Thomaz
Arte: Vinícius Martins/ Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.