0

Juros curtos recuam após vendas no varejo de abril abaixo do esperado

mercados

Juros curtos recuam após vendas no varejo de abril abaixo do esperado

Juros curtos recuam após vendas no varejo de abril abaixo do esperado
tcuser

Atualizado há quase 3 anos

Ícone de compartilhamento

Os contratos de juros futuros com vencimentos mais curtos recuavam no início desta quarta-feira após dados do volume de vendas do varejo se mostrarem abaixo do consenso – corroborando apostas de corte na taxa básica de juros até o final do ano.

 

O volume de vendas no varejo recuou 0,6% em abril frente a março,na série com ajuste sazonal, abaixo do consenso de alta de 0,10%. A média móvel trimestral variou -0,2%, eliminando o aumento registrado em março. Na base anual, o indicador registrou alta de 1,7%, frente ao consenso de 2,9%. O indicador acumulado nos últimos 12 meses desacelerou frente a março, para 3,5% em abril.

 

O contrato do DI para janeiro próximo recuava 1,5 ponto percentual para 6,16% às 09h35, movimento que precifica mais de um corte na taxa Selic antes do final dezembro. Já o contrato para janeiro de 2021 atingiu 6,15%. Os juros com vencimentos de médio e longo prazos operavam instáveis.

 

Para economistas, as perspectivas para o consumo privado e as vendas no varejo são moderadamente positivas caso a Reforma da Previdência e outros aspectos do pacote de ajuste fiscal sejam aprovados no Congresso. Parte da compressão na curva dos DIs reflete esse cenário. No futuro, o setor de varejo deve ser apoiado pelo ambiente de baixa inflação, melhora no emprego e nos fluxos de crédito, e limitado pelo hiato significativo no mercado de trabalho e pela recente queda na confiança do consumidor

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.