0

Guerra comercial tira holofotes de decisões de juros no EUA, Brasil

mercados

Guerra comercial tira holofotes de decisões de juros no EUA, Brasil

Guerra comercial tira holofotes de decisões de juros no EUA, Brasil
tcuser

Atualizado há quase 4 anos

Ícone de compartilhamento

O investidor deve ficar de olho na notícia de que o governo dos Estados Unidos estaria considerando impor tarifas de 25% sob US$200 bilhões em importações chinesas, 150% a mais do que o indicado inicialmente. O anúncio pode vir à tona ainda hoje, mas vários analistas e contribuidores TC destacaram que a estratégia poder ter o objetivo de forçar a China a negociar novos termos de intercâmbio comercial com os EUA. Os índices acionários da Ásia, da Europa e os futuros das bolsas americanas recuaram com temores de uma escalada na guerra comercial, mudando a tendência da semana para o território negativo.

A cautela com a disputa comercial se instalou em dia de decisão do FOMC, o comitê de política monetária do Federal Reserve, dos Estados Unidos, e do próprio Banco Central do Brasil. Apesar de o consenso esperar manutenção da taxa-alvo de juros na maior economia do mundo, o investidor deve focar nos sinais da extensão e duração do atual ciclo de alta, que podem ser indicadas no comunicado liberado a partir das 15h00, horário de Brasília. Em relação ao Copom, o equivalente do FOMC no Brasil e que também acontece hoje, se espera manutenção da Selic em 6,50% e mais clareza em relação ao balanço de riscos para a inflação deste e o ano seguinte. A decisão será a partir das 18h00. Amanhã ainda teremos a reunião do Banco da Inglaterra.

Hoje temos mais uma pesquisa mostrando que Geraldo Alckmin está crescendo nas intenções de voto: repetindo o que a XP/Ipespe mostrou ontem em São Paulo, o candidato pelo PSDB segue em trajetória ascendente pelo segundo mês consecutivo, agora com 9% da fatia dos eleitores, segundo uma pesquisa do DataPoder360. Em maio, ele tinha 7%. Apesar da variação pequena, os números indicam que o tucano pode estar finalmente engatando em uma trajetória ascendente. Quem também está crescendo, mas dessa vez na taxa de rejeição, é o candidato Jair Bolsonaro, do PSL. Apesar de liderar a corrida presidencial em cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 65% dos eleitores rejeitam o militar da reserva, enquanto Alckmin tem uma taxa de 62% de rejeição. Resta saber o quanto isso significa para a campanha dos dois candidatos nos próximos meses.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado em um minuto, segundo Contribuidores TradersClub

— Dólar: Deve seguir pressionado com aumento da cautela no exterior com a guerra comercial, à espera da decisão de juros dos Estados Unidos.

— Juros: Deve seguir câmbio, de olho em notícias sobre a corrida presidencial.

— Bolsa: Deve ficar pressionada com a cautela no exterior, acompanhando balanços corporativos abaixo do esperado.

Ações: Fique de olho em BRF, com refinanciamento de crédito junto ao Banco do Brasil; Suzano, com redução do financiamento para compra da Fibria; Gerdau, com conclusão de venda de hidrelétricas; Oi, após concluir reestruturação de dívida financeira; Smiles, com queda no lucro líquido e corte de preço-alvo pelo Credit Suisse; Cteep, com lucro líquido abaixo do consenso; Eletrobras, com greve dos funcionários de Furnas; BR Distribuidora, Cosan e Ultrapar, após serem alvo de operação policial; Setor imobiliário, após governo aumentar valor de imóvel financiado no SFH; Embraer, com queda de avião no México.

 

Principais notícias para começar o dia bem informado

 

Trading News

— Guerra comercial volta a assombrar ativos, em dia de FOMC

— Ibovespa fecha julho no azul, à espera de mais volatilidade em agosto

— PSL volta a considerar general Mourão como vice de Bolsonaro, diz colun

Pesquisa XP/Ipespe mostra Bolsonaro, Alckmin e Lula praticamente empatados em SP

 

Valor Econômico

— Governo solta amarras do crédito imobiliário

— Klabin planeja fábrica de US$ 2 bi no PR

— Governo espera R$ 10 bi de fundo fechado

— Estados e municípios abrem mão de empréstimos

 

O Estado de S.Paulo

— Condenado é inelegível, diz Fux

— Americanos reduzem investimentos no Brasil

— Uso do FGTS valerá para imóveis de até R$ 1,5 milhão

— Avião cai no México e todos se salvam

 

Folha de S. Paulo

— Desemprego cai, mas total de pessoas que não trabalham nem procuram vaga é recorde

— Teto para comprar imóvel com FGTS sobe para R$ 1,5 milhão

— USP tem 4 suicídios em 2 meses e cria escritório de saúde mental para alunos

— Mesmo com forte seca, ‘novo’ Cantareira tem água para mais de 1 ano

 

Globo/G1

— Após expansão de leitos para Olimpíada, crise leva treze hotéis a fechar as portas no Rio

— Estado quer investir R$ 200 milhões para reativar trens turísticos no interior

— País gasta R$ 13,5 bilhões com subsídio, mas diesel está mais caro

— Governo eleva valor do imóvel comprado com o FGTS para R$ 1,5 milhão

 

TC Recomendações: Oi

 

$OIBR3: A queda expressiva do papel ON da Oi de ontem reflete venda maciça por parte de detentores de dívida que querem maximizar o valor de recuperação da companhia, disse o BTG Pactual. As vendas de participações devem maneirar no futuro próximo, pois a preços menores do papel, a taxa de recuperação tende a cair, diz a equipe.

 

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais:

— 08h00: IPC-S – FGV

— 10h00: PMI industrial Markit; anterior 49,8

— 12h30: Fluxo cambial estrangeiro

— 15h00: Balança comercial de julho, anterior US$5,88 bi

 

Indicadores internacionais:

— 04h55: PMI industrial da Alemanha em julho; consenso 57,3

— 05h00: PMI industrial da Zona do Euro em julho; consenso 55,1

— 05h30: PMI industrial Reino Unido em julho; consenso 54,2

— 09h15: Variação de empregos privados ADP  nos EUA em julho; consenso 186 mil

— 10h45: PMI industrial dos EUA de julho; consenso 55,5

— 11h00: Gastos de construção nos EUA em junho; consenso +0,3%

— 11h00: PMI industrial ISM nos EUA em julho; consenso 59,4

— 11h30: Estoque de petróleo bruto nos EUA; consenso -2,794 mi barris
— 17h00: Receita tributária da Argentina; anterior ARS$298,85 bilhões


Eventos:
— 06h00: Decisão da taxa de juros da Índia; anterior 6,25%
— 09h00: Audiência pública sobre Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações realizada pela Anatel
— 11h30: Leilão de até 4.800 contratos de swap cambial para rolagem – BC

— 14h00: Convenção nacional PC do B para discutir candidatura de Manuela D’Avila

— 14h30: Ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, tem reunião com o presidente do JPMorgan Brasil, José Berenguer

— 15h00: Decisão da taxa-alvo de juros dos EUA; consenso manutenção entre 1,75% e 2,0%

— 17h00: Presidente Michel Temer tem reunião com autoridades do setor de alimentos e bebidas, saúde e indústria
— 18h00: Decisão do Copom sobre taxa de juros; consenso manutenção em 6,5%

 

Resultados corporativos:

Antes da abertura: Arezzo
Depois do fechamento: BR Distribuidora, Ultrapar, Duratex e TOTVS

 

Teleconferências:
— 10h00: Porto Seguro, Smiles, Cteep
— 11h00: Banco Inter

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.