0

Lockdowns na China podem impactar construção civil no Brasil, diz Infinity Asset

mercados

Lockdowns na China podem impactar construção civil no Brasil, diz Infinity Asset

O setor de construção civil, parte de químicos e metais dependem de muitos componentes vindos da China, segundo Jason Vieira, da Infinity

Lockdowns na China podem impactar construção civil no Brasil, diz Infinity Asset
stefanie-rigamonti

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 8 de abril – O Brasil pode ser impactado pela contração da economia da China, especialmente o setor de construção civil, com os novos lockdowns anunciados pela potência asiática em meio à maior onda de coronavírus que afeta o país, disse hoje o economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira, em entrevista à TC Rádio.

“Nós compramos uma parcela significativa da China do que é produzido em nossa indústria. O setor de construção civil, parte de químicos, metais. Essa dependência tão grande de muitos componentes vindos da China traz um impacto generalizado e dificilmente se vê um alívio a curto prazo”, afirma.

As autoridades chinesas ampliaram os fechamentos em Xangai, maior centro comercial e financeiro da China, para abranger todos os 25 milhões de habitantes, na tentativa de conter um surto de covid-19 na cidade. A medida mais ampla veio depois de o país atingir mais de 73 mil infecções nesta última onda da doença, que começou em março.

Por outro lado, na análise de Vieira, o Brasil, de certa maneira, consegue encontrar parceiros comerciais com uma certa facilidade. “O que nós produzimos como commodities, nossa grande oferta, tem demanda, e conseguimos transferir parte da nossa produção para os Estados Unidos”.

Ainda comentando sobre os impactos das novas restrições na China, o economista da Infinity acredita que Xi Jinping está “enfraquecido”, diante desse cenário turbulento.

“De um lado, Xi Jinping depende da prosperidade econômica para se manter no poder, e, por outro lado, há lockdowns que estão impactando a atividade concretamente. Navios e barcos não conseguem descarregar produtos em Xangai, por exemplo”.

Confira aqui a entrevista completa com o economista-chefe da Infinity Asset, Jason Vieira.

Texto: Cintia Thomaz
Edição: Allan Ravagnani e Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.