0

Na semana do primeiro turno, mercado opta por cautela apesar de Nafta

mercados

Na semana do primeiro turno, mercado opta por cautela apesar de Nafta

Na semana do primeiro turno, mercado opta por cautela apesar de Nafta
tcuser

Atualizado há mais de 3 anos

Ícone de compartilhamento

À meia-noite de domingo, foram divulgados os resultados da pesquisa presidencial FSB/BTG Pactual da última semana, poucos minutos após a conclusão do debate entre candidatos ao Planalto na TV Record. Os números confirmaram as tendências vistas em outras sondagens ao longo da semana passada: uma fadiga nas intenções de voto do líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro – refletindo a crescente oposição de grupos à sua plataforma política. Ao mesmo tempo, o avanço de Fernando Haddad, do PT, parece ter chego ao fim. O alvo dos ataques deve começar a ser Haddad, que até o momento se viu favorecido por ser o herdeiro do ex-presidente Luiz inácio Lula da Silva.

 

Os mercados devem refletir não somente a pesquisa FSB, que mostrou Haddad recortando a diferença ante Bolsonaro, mas as outras pesquisas que foram publicadas no fim de semana e as que serão divulgadas ao longo do dia. O clima confrontacional no país também pode pesar: entre sábado e domingo houve manifestações contra e a favor de Bolsonaro em todo o país – um tira-gosto da polarização que devemos ver ao longo do segundo turno. Câmbio, bolsa e juros podem também refletir as notícias relativamente positivas vindo do exterior: pouco depois da meia-noite, o Canadá anunciou que vai se juntar ao acordo de livre comércio da América do Norte renegociado em agosto entre os Estados Unidos e o México.

 

As bolsas asiáticas comemoraram o anúncio, mesmo em meio a volumes baixos por conta de feriados em Hong Kong e na China – cujos mercados financeiros ficarão fechados até domingo que vem. Os futuros das bolsas americanas subiam, enquanto o dólar canadense negociava perto do seu maior patamar em mais de duas semanas. Assim, duas forças contrárias devem se enfrentar: a cautela local por conta do cenário eleitoral cada vez mais quente, versus o clima mais propício à tomada de risco mundo afora.

A semana ainda deve ver a repercussão da decisão do juiz do STF, Luiz Fux, de barrar a entrevista de Lula à Folha de S.Paulo, além de reunião de ministros de Finanças da Zona do Euro, discussões no Reino Unido sobre o Brexit e a divulgação do IPCA de setembro, na sexta-feira.

 

Quer ser um investidor bem informado? Cadastre-se no TradersClub e siga nosso canal de notícias e comentários exclusivos.

 

Mercado em um minuto, segundo Contribuidores TradersClub

 

— Câmbio: deve oscilar fortemente refletindo impacto de maior polarização político-eleitoral, proximidade da eleição e bom humor externo com o Nafta.

 

— Juros: podem seguir o dólar futuro, refletindo o cenário eleitoral mais polarizado ou o exterior menos tenso. Fique de olho nos prazos mais longos dos DIs, que podem passar por forte ajuste para cima.

 

— Bolsa: deve refletir humor externo, sentindo a pressão de maior apoio ao PT nas últimas pesquisas.

 

— Ações: fique de olho em Petrobras, com potencial proximidade de acordo da cessão onerosa com a União; Vale, destaque de várias carteiras de analistas para o mês por exposição ao dólar; Qualicorp, que celebrou termos de não concorrência e lock-up com maior acionista; Eneva, que aprovou reestruturação operacional; GPA, com coluna do Globo dizendo que acionista controlador contratou Rothschild para vender participação na companhia; Eletrobras, com imbróglio sobre privatização de distribuidora no Amazona; Embraer, com possível fabricação do cargueiro KC-390 também nos EUA após fusão com a Boeing, segundo o Valor; BRF, com venda de ações pela Tarpon; Gafisa, com mudança de CEO pelo conselho; Itaú Unibanco, com mudanças na administração; Even, com aprovação de programa de recompra de ações; Ecorodovias, com renúncia de membros do conselho após investigação da PF; Cesp, com privatização parada na Justiça; concessionárias, com revisão de nota de crédito pela Moody’s.

 

— Destaques das recomendações: BB Investimentos inclui IRB Brasil ON ($IRBR3) na carteira fundamentalista de outubro por cumprimento de metas e perfil defensivo. Mantém preço-alvo de R$77 e recomendação outperform.

 

Principais notícias para começar o dia bem informado

 

Trading News

— Dólar americano atinge maior patamar em duas semanas com Nafta renegociado

— Em primeiro bloco de debate, Haddad faz aceno a medidas fiscais que substituam as de Temer

— No segundo bloco do debate, primam as correções entre os candidatos

— EUA, Canadá estão perto de um acordo sobre o Nafta, mesmo com prazo da meia-noite em cima, diz WSJ

— Bolsonaro minimiza desgaste com equipe e ataca rivais em entrevista

 

Valor Econômico

— Embraer e Boeing querem fabricar cargueiro nos EUA

— PSDB deve ficar neutro se o 2º turno for entre PT e PSL

— Volta de leilões rende R$ 28 bi à União

— Servidores em licença são 25 mil

 

O Estado de S.Paulo

— Centro sinaliza união em debate e ataca ‘radicalismo’ de Haddad e Bolsonaro

— Sob ataque de rivais, Bolsonaro recebe apoio de líderes evangélicos

— Fake news preocupam campanhas de candidatos na reta final
— Fundo Eleitoral banca deputado-presidiário

 

Folha de S. Paulo

— Rivais sobem tom contra Bolsonaro e Haddad em debate na TV

— Estudantes de Sobral, berço de Ciro, relatam pressão para fraudar provas

— Candidatos réus no STF já ganharam R$ 24 mi para eleição

— Ordem de censura à imprensa pelo STF é preocupante, afirma Abraji sobre decisão de Fux

 

Globo/G1

— Aos 30 anos, Sistema Único de Saúde precisa de eficiência e renovação

— Candidatos a presidente apelam contra polarização em debate na televisão

— Bolsonaro diz que não teria ‘nada para fazer’ em caso de derrota

— ‘Ministério Público virou uma polícia política’, afirma José Dirceu

Agenda do dia

 

Indicadores nacionais
— 08h00: IPC-S – FGV
— 08h00: Confiança empresarial – FGV
— 08h20: Pesquisa Focus – BC
— 10h00: PMI Industrial Markit – anterior 51,1
— 15h00: Balança comercial de setembro – MDIC

 

Indicadores internacionais

— 05h00: PMI Manufatura da Zona do Euro em setembro; consenso 53,3

— 05h30: PMI Manufatura do Reino Unido em setembro; consenso 52,5

— 06h00: Taxa de desemprego da Zona do Euro em agosto; consenso 8,2%

— 10h45: PMI Manufatura Markit dos EUA em setembro; consenso 55,6

— 11hoo: Gastos com construção nos EUA em agosto; consenso 0,5%

— 11h00: PMI Manufatura ISM dos EUA em setembro; consenso 60,4

 

Eventos
— 10h00: Discurso de Raphael Bostic, membro do Federal Reserve
— 13h15: Discurso de Evan Rosengren, membro do Federal Reserve

— 15h30: Ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, tem reunião com Decio Oddone, presidente da ANP
— N.D.: Previsão de divulgação de pesquisa eleitoral CNT/MDA
— N.D.: Previsão de divulgação de pesquisa eleitoral TV Globo/Ibope

 

DISCLAIMER: Este newsletter não tem o objetivo de promover a venda de títulos e valores mobiliários específicos, e sim, de informar correta e oportunamente a quem o recebe.

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.