0

Ovo de Páscoa fica cerca de 40% mais caro, mostram pesquisas

mercados

Ovo de Páscoa fica cerca de 40% mais caro, mostram pesquisas

Levantamentos mostraram ainda que diminuiu a procura pelas versões grandes do ovo de Páscoa e aumentou a busca por barras de chocolates

Ovo de Páscoa fica cerca de 40% mais caro, mostram pesquisas
stefanie-rigamonti

Atualizado há cerca de 1 mês

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 12 de abril – Os preços do ovo de Páscoa estão aproximadamente 40% mais caros em 2022 em relação ao mesmo período do ano passado, é o que mostram levantamentos realizados por entidades do varejo.

No estado de São Paulo, o ovo está até 40% mais caro neste ano em comparação com a Páscoa de 2021, segundo uma pesquisa realizada pela Associação Paulista de Supermercados realizada março.

Além disso, a Apas destacou que os estabelecimentos estão dando preferência pela venda de produtos menores, em quantidade também menor e aumentando as opções de chocolates em barra e bombons.

Um levantamento da plataforma internacional de dados do varejo Scanntech realizado 14 dias antes da Páscoa vai na mesma direção, mostrando que o produto está com preços 44% mais altos pelo Brasil, conforme publicação da jornalista Miriam Leitão. Com isso, diminuíram as vendas de ovos com mais de 81 quilos e aumentou a busca por chocolates em barra e caixas de bombons, ainda segundo o estudo.

Não poderia ser diferente! Uma pesquisa realizada pelo Procon de São Paulo mostrou que os preços médios das barras de chocolate estão aproximadamente três vezes mais baratos do que os do ovo de Páscoa, cujo preço médio do quilo nas versões mais simples custa R$214,96; no caso dos bombons, esse valor cai para R$124,81, e das barras de chocolate, para R$77,27.

Mesmo assim, essas alternativas ainda estão mais caras em relação aos preços praticados no ano passado. Conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de março, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o chocolate em barra e o bombom acumularam inflação de 10,91% nos últimos 12 meses.

Nesse cenário, a saída para quem quiser pagar menos caro no ovo de Páscoa e em outras versões de chocolates é pesquisar mais. Em levantamento realizado entre os dias 14 e 17 de março, o Procon encontrou diferenças de preços de até 144% para os mesmos produtos entre os estabelecimentos comerciais de São Paulo e de até 50% no Rio de Janeiro.

Texto: Stéfanie Rigamonti
Edição: Allan Ravagnani
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.