0

Pequenas e médias empresas de serviços cresceram 13,5% em 2021, revela pesquisa

mercados

Pequenas e médias empresas de serviços cresceram 13,5% em 2021, revela pesquisa

As pequenas e médias empresas ligadas a atividades imobiliárias obtiveram os melhores resultados, mas alimentação ainda tenta se recuperar

Pequenas e médias empresas de serviços cresceram 13,5% em 2021, revela pesquisa
beatriz-cantadori

Atualizado há 2 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 17 de março – As pequenas e médias empresas brasileiras do setor de Serviços viram o mercado crescer 13,5% no ano passado, segundo o relatório “Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs”, da Omie, que trabalha com a gestão de companhias desse porte.

No setor de Serviços, que foi o mais afetado pela crise de Covid-19, as PMEs ligadas à atividades imobiliárias cresceram 54,3% na base anual, seguidas pelas que atuam na área de Transportes, que avançaram 22,6%.

As ligadas a atividades Financeiras, de Seguros e serviços relacionados também cresceram 21,8% e as do nicho de Educação, 20,5%.

Pequenas e médias empresas de Alimentação, Hospedagem, Cultura e Esporte, no entanto, ainda tentam se recuperar dos prejuízos sofridos com a pandemia.

A pesquisa monitorou o desempenho de companhias com faturamento anual de até R$50 milhões, de 622 atividades econômicas.

“O maior controle da crise sanitária, a partir do avanço da vacinação contra a Covid-19 no Brasil, deu uma injeção de ânimo em dois setores da economia: comércio e serviços, que apresentaram um expressivo aumento de 11,7% e 13,5%, respectivamente”, diz trecho do estudo da Omie.

Para 2022, a previsão de crescimento é de 1,2% para as pequenas e médias empresas no geral, considerando todos os principais setores analisados na pesquisa: agropecuário, comércio, indústria, infraestrutura e serviços.

Segundo o relatório da Omie, “o cenário tem como base, além da previsão de maior controle da inflação em relação ao registrado no ano anterior, a perspectiva de continuidade de retomada do mercado de trabalho, que vem sendo observada”.

A pesquisa destaca, ainda, alguns riscos diante do cenário atual de incertezas, como a possibilidade de surgirem novas variantes da Covid-19 e o ano eleitoral.

Segundo dados divulgados na quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, em janeiro o setor de Serviços acumulou alta de 12,2% em 12 meses.

Texto: Beatriz Lauerti
Edição: Gabriela Guedes
Arte: Vinícius Martins/ Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.