0

PNAD: Desemprego cai para 11,2%, menor patamar desde 2016

mercados

PNAD: Desemprego cai para 11,2%, menor patamar desde 2016

No trimestre móvel encerrado em janeiro, o desemprego atingiu 12 milhões de pessoas, queda de 6,6% na comparação trimestral

PNAD: Desemprego cai para 11,2%, menor patamar desde 2016
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há 2 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 18 de março – A taxa de desemprego no Brasil recuou no trimestre encerrado em janeiro, ficando abaixo do que esperava as projeções de mercado, diante do aumento de trabalhadores com carteira assinada, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

O desemprego no Brasil fechou janeiro em 11,2%, queda de 0,9 ponto percentual frente ao trimestre encerrado em outubro, sendo essa a menor taxa para o período desde 2016. A expectativa era para uma taxa levemente maior, em 11,4%.

A população desocupada atingiu 12 milhões de pessoas, queda de 6,6% na comparação trimestral, representando uma redução de 858 mil pessoas. Na comparação anual, a queda é ainda maior, de 18,3%, adicionando 2,7 milhões de pessoas no mercado de trabalho.

Em contraparte, 95,4 milhões de pessoas estavam ocupadas, alta de 1,6% na base trimestral, representando nível de ocupação de 55,3%, 0,7 ponto percentual acima do trimestre anterior.

Adriana Beringuy, coordenadora do IBGE, explica que a maior contribuição para a diminuição do desemprego veio do setor de comércio. “No trimestre de janeiro, a população ocupada no comércio já supera o período pré-pandemia”, diz.

Nesse sentido, o número de empregados com carteira assinada no setor privado cresceu 2%, atingindo 34,6 milhões de pessoas, mas os empregos sem carteira assinada subiram 3,6% no período, atingindo 12,4 milhões de pessoas.

O rendimento real também voltou a cair, em 1,1% no trimestre de janeiro e 9,7% na comparação anual, ficando em R$2.489 de média. Beringuy diz que o dado reflete a piora dos empregos no Brasil, apesar da criação de vagas. “A diminuição de rendimentos está disseminada tanto nas vagas formais quanto informais”, conclui.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Allan Ravagnani
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.