0

Pressões regulatórias na China e incertezas sobre os precatórios estão no radar dos investidores

mercados

Pressões regulatórias na China e incertezas sobre os precatórios estão no radar dos investidores

O investidor começa o dia com um olho no mercado externo, que espera dados econômicos nos EUA e monitora pressões regulatórias na China

Pressões regulatórias na China e incertezas sobre os precatórios estão no radar dos investidores
corleta

Atualizado há 8 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 16 de setembro – O investidor começa o dia com um olho no mercado externo misto, que espera dados econômicos nos Estados Unidos e monitora pressões regulatórias na China. E outro na cena local, que busca uma solução para o problema fiscal dos precatórios e o financiamento do Bolsa Família.

Os futuros americanos têm viés de baixa, junto com o petróleo Brent, em meio a altas nas ações da Europa e quedas em bolsas de países emergentes. Às 9h30, saem os dados sobre pedidos semanais de seguro-desemprego e as vendas no varejo de agosto nos EUA. Os resultados podem trazer pistas sobre o plano de retirada de estímulos do Federal Reserve, banco central americano. E o alvo da vez dos assaltos regulatórios na China são os cassinos em Macau, cujo setor despenca no pré-mercado em Nova York.

Por aqui, a véspera de vencimento de opções das séries I e U inspira cautela para as ações. Isso se soma às incertezas sobre fontes de recursos para aumentar o novo Auxílio Brasil e manutenção das contas dos precatórios dentro do Teto de Gastos. O IGP-10 de setembro confirmou deflação. Mas a preocupação com um cenário de estagflação – inflação acelerada com crescimento econômico lento – segue no radar na semana que antecede a reunião do Copom, o comitê do Banco Central que decide juros.

O que tem no calendário de hoje

Na agenda, além dos dados americanos, a Secretaria de Política Econômica publicará novas estimativas de projeções macroeconômicas às 9h30. O presidente da Câmara, Arthur Lira, dará entrevista à Necton às 10h. Na cena corporativa, destaque para as ações da Log-In, após a estrangeira MSC anunciar que fez proposta por 67% das ações da companhia. Veja mais informações de empresas no Panorama Corporativo.

Incertezas com a abertura do mercado

O Ibovespa futuro tem abertura incerta, com o EWZ subindo 0,14% no pré-mercado americano. Os certificados de ações emitidos por bancos americanos, ADRs, da Vale recuam 0,68% na esteira das seguidas quedas do minério de ferro na China. As de Itaú, Gerdau e Bradesco avançam.

O Índice Dólar DXY avança e quase todas as outras moedas recuam nesta manhã, com cautela à espera da reunião do FOMC, comitê decisório do Federal Reserve, na próxima quarta. O dólar futuro pode, portanto, abrir em alta, de olho em novidades sobre riscos fiscais e no cenário político.

Os DIs poderão seguir o câmbio, ponderando a queda do IGP-10, ainda que menor do que previa o consenso, e mirando a estratégia do Copom para a taxa Selic, na próxima quarta. O mercado projetava alta entre 1,25 ou 1,50 ponto percentual até o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sinalizar que poderá manter o ritmo de aumento, hoje de 1%, em um ciclo mais prolongado de alta. A fala aconteceu em um evento do BTG Pactual.

Texto: Felipe Corleta
Edição: Lucia Boldrini e Stéfanie Rigamonti
Arte: Mover


Leia também

Risco político-fiscal e fluxo negativo vão pressionar o real, diz Bank of America

Senado vai se concentrar em reformas, Correios e eleições, diz Rodrigo Pacheco

SpaceX lança voo orbital com tripulação totalmente civil pela primeira vez

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.