0

Prévia da inflação: IPCA-15 acelera a 1,73% em abril

mercados

Prévia da inflação: IPCA-15 acelera a 1,73% em abril

Mesmo assim, o IPCA-15 de abril, divulgado nesta quarta-feira pelo IBGE, ficou abaixo das expectativas do mercado, de 1,85%

Prévia da inflação: IPCA-15 acelera a 1,73% em abril
guilherme-maradei-dogo

Atualizado há 23 dias

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 27 de abril – Tido como prévia da inflação oficial, o IPCA-15, Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15, acelerou em abril na comparação mensal, seguindo a alta dos combustíveis e dos alimentos, mas ficou abaixo da expectativa do mercado, o que pode influenciar o Banco Central a considerar o fim do aperto da política monetária.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IPCA-15 de abril atingiu alta de 1,73%, ante 0,95% em março e os 1,85% esperados pelo mercado. Apesar de ficar abaixo da expectativa, essa foi a maior variação mensal para o IPCA-15 desde fevereiro de 2003 e a maior para o mês desde 1995.

No acumulado de 12 meses, o índice atingiu 12,03%, também abaixo da expectativa de 12,16%.

O dado foi lido como positivo pelo mercado e derrubou as taxas de juros futuros, que recuavam até 27 pontos-base por volta das 09h30

Para o fundador da Quantzed, Marcelo Oliveira, o IPCA-15 de abril ajuda a “acalmar os ânimos e dá espaço para o discurso do BC de um último aumento na taxa Selic em 1 ponto percentual”. Para ele, o dado também pode indicar que a inflação esteja no pico, como já aventou o presidente da autarquia, Roberto Campos Neto.

Setores que mais pesaram no IPCA-15

O maior peso veio do setor de transportes, com alta de 3,43%, e dos alimentos, que avançaram 2,25% no período. Os dois responderam por cerca de 70% da alta do IPCA-15, segundo o IBGE.

No primeiro grupo, a gasolina teve a maior influência, com alta de 7,51%, tendo o maior impacto individual no IPCA-15, refletindo o reajuste de preços nas refinarias. O óleo diesel também disparou, bem como o etanol, com altas de 13,11% e 6,60%, respectivamente.

As passagens aéreas, que tiveram deflação de 7,55% no IPCA-15 de março, agora subiram 9,43%.

No grupo de alimentos e bebidas, o maior peso veio de itens consumidos em domicílio, que avançaram 3,00%, refletindo especialmente o tomate, que subiu 26,17%, e o leite longa vida, 12,21%.

O grupo de habitação também apresentou avanço relevante, de 1,73%, refletindo a alta de 8,09% do botijão de gás e da energia elétrica, de 1,92%.

Com vários itens em alta, o índice de difusão do IPCA-15, calculado pelo TC Matrix, aumentou de 75,48% para 78,75%. Já os preços dos bens administrados aceleraram de 0,65% para 3,23% em abril.

Texto: Guilherme Dogo
Edição: Gabriela Guedes
Imagem: Vinicius Martins / Mover

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.