0

Semana recheada de indicadores faz mercados globais operarem mistos

mercados

Semana recheada de indicadores faz mercados globais operarem mistos

Os mercados globais de renda variável operam mistos nesta manhã, refletindo as expectativas com a agenda econômica semanal

Semana recheada de indicadores faz mercados globais operarem mistos
corleta

Atualizado há 8 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 27 de setembro – Os mercados globais de renda variável operam mistos nesta manhã, refletindo expectativas com a agenda econômica semanal recheada de indicadores. Além disso, as falas dos membros do Federal Reserve e preocupações com a saúde da economia chinesa, que agora inclui uma crise de energia, estão no radar.

Nessa esteira, os futuros do S&P500 e do Nasdaq 100 recuavam, com ações de tecnologia penalizadas no pré-mercado pela alta nos rendimentos dos títulos do Tesouro americano. O mercado precifica o começo da retirada de estímulos na economia americana ainda este ano. Enquanto isso, Dow Jones e algumas bolsas emergentes operavam em alta, e o petróleo Brent estava nas máximas de três anos, próximo ao nível de US$80 por barril.

Em relação aos indicadores internacionais importantes para esta semana, haverá divulgação do PIB e a inflação do PCE nos Estados Unidos e os lucros e PMI industriais da China. Entre as falas dos diretores do Fed, destaque para a sabatina no Senado do presidente da autarquia, Jerome Powell, ao lado da secretária do Tesouro, Janet Yellen. No Brasil, além do Boletim Focus hoje, saem dados de inflação, arrecadação, atividade e emprego.

Temores com a crise de dívida da incorporadora chinesa Evergrande e a repressão regulatória estatal à iniciativa privada na China seguem no radar do mercado. Uma crise global de abastecimento de energia se somava às preocupações, com reverberações na Europa, na Ásia e nos preços do petróleo. O minério de ferro seguiu sua recuperação com salto de 7,17% em Qingdao.

Mercado local

O Ibovespa futuro deverá abrir em queda, seguindo o EWZ, que virou e perdia 0,40% no pré-mercado em Nova York. No entanto, as altas no minério de ferro e no petróleo sugeriam que os papéis de exportadoras podem segurar as quedas ou trazer dia positivo para o índice. E o ADR, recibo de ação, da Vale ganhava 1,04% antes da abertura em Nova York, enquanto o da Petrobras subia 0,97%.

Com relação ao câmbio, a julgar pelos melhores rendimentos da renda fixa americana e pelo desempenho de moedas emergentes, a tendência é de abertura em alta para o dólar futuro. Mas melhoria em questões políticas e fiscais locais podem reverter a tendência.

Os juros futuros deverão seguir o câmbio, de olho nos Treasury yields, que operavam em máximas desde junho, próximos a 1,50% ao ano.

Texto: Felipe Corleta
Edição: Lucia Boldrini e Stéfanie Rigamonti
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Fernando Haddad na TC Rádio, dívida pública, custo à construção: Calendário Econômico

Confiança do Consumidor recua para menor patamar desde abril, diz FGV

Sanita: Minerva (BEEF3) diminuirá assimetria com JBS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3)?

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.