0

Wall Street bate recordes apesar de ômicron; Ibovespa cai: Espresso

mercados

Wall Street bate recordes apesar de ômicron; Ibovespa cai: Espresso

Em meio à escassez de liquidez, o Ibovespa sofreu com aversão ao risco, enquanto o dólar refletiu as incertezas vindas de Brasília

Wall Street bate recordes apesar de ômicron; Ibovespa cai: Espresso
tcuser

Atualizado há 5 meses

Ícone de compartilhamento

São Paulo, 29 de dezembro – As bolsas americanas fecharam sem direção única, com nova queda das ações de tecnologia, mas renovando máximas históricas nos outros dois índices principais. Localmente, em meio à escassez de liquidez, o Ibovespa sofreu com aversão ao risco, enquanto os contratos de dólar futuro refletiram as incertezas fiscais originárias de Brasília.

Os mercados monitoram o noticiário misto sobre a pandemia: há aceleração das contaminações pelo mundo, mas também novas evidências de que a variante ômicron é mais branda que as antecessoras.

Mercado americano

Os índices de Nova York passaram o dia ponderando possíveis efeitos da ômicron sobre a retomada, mas uma alta de apenas 0,14% bastou para o S&P500 atingir o 70º recorde de fechamento no ano, aos 4.793 pontos.

O Dow Jones também renovou máxima de fechamento, subindo 0,25%, a 36.488 pontos. Na outra ponta, o índice tecnológico Nasdaq 100 recuou 0,10%, para 15.766 pontos, enquanto os rendimentos dos Treasuries de dez anos avançaram forte, para 1,558% ao ano.

Ibovespa

O índice Bovespa encerrou em queda de 0,75%, aos 104.080 pontos,com performance negativa de papéis ligados ao turismo em meio à disseminação global da variante ômicron da covid-19, que pode determinar adoção de restrições prejudiciais à retomada.

Os papéis da Petrobras (PETR3/PETR4) também recuaram, acompanhando decisão do Tribunal do Rio de Janeiro de suspender o reajuste de 50% nos preços de gás natural programado pela companhia.

Sobe e desce

Em dia de poucos papéis no azul, os ordinários da Via (VIIA3) lideraram o Ibovespa, subindo 1,41%, destoando das demais varejistas, todas no vermelho e refletidas no índice de Consumo, que caiu 1,35%.

Também subiram as ordinárias da Tim (TIMS3), 1,02%, e Minerva (BEEF3), 0,66%, com investidores em busca de ações defensivas.

Na ponta negativa, ficaram os papéis de empresas sensíveis à pandemia: as preferenciais da Azul (AZUL4) e da Gol (GOLL4) despencaram 7,34% e 6,72%, respectivamente, e as ordinárias da CVC (CVCB3) desabaram 7,33%.

Riscos fiscais

Em meio a incertezas fiscais envolvendo reajustes para o funcionalismo federal em 2022, os contratos de dólar futuro encerraram em alta de 1,30%, cotados a R$5,701. Na sessão, o real teve o segundo pior desempenho no dia contra a divisa americana em uma cesta de moedas observada pela Mover, atrás apenas da lira turca.

Mais cedo, o Banco Central reportou que o fluxo cambial do mês até o dia 24 de dezembro está negativo em US$7,12 bilhões.

Para conferir o Espresso na íntegra e outros conteúdos exclusivos, assine um dos planos do TC.

Texto: Mover
Edição: Stéfanie Rigamonti
Imagem: Mover

Nesta matéria

PETR3

PETROLEO BRASILEIRO S.A. ...

36,82

-0,85

-2,25%

Relacionadas

PETR4

PETROLEO BRASILEIRO S.A. ...

0,00

-0,56

-1,63%

VIIA3

VIA S.A

0,00

-0,07

-2,34%

TIMS3

TIM S.A.

13,35

-0,11

-0,79%

BEEF3

MINERVA S.A.

12,22

-0,36

-2,86%

AZUL4

AZUL S.A.

20,66

-0,96

-4,32%

GOLL4

GOL LINHAS AEREAS INTELIG...

14,52

-0,47

-3,07%

CVCB3

CVC BRASIL OPERADORA E AG...

13,08

-0,46

-3,52%

Powered by

Análise de Investimentos

relatorios
image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.