IBOV

107.347,36 pts

-3,10%

SP500

4.542,02 pts

+0,13%

DJIA

35.548,75 pts

-0,17%

NASDAQ

15.473,60 pts

+0,55%

IFIX

2.727,27 pts

-0,40%

BRENT

US$ 84,69

-1,32%

IO62

¥ 672,50

-3,93%

TRAD3

R$ 6,87

-13,58%

ABEV3

R$ 15,07

-1,82%

AMER3

R$ 35,63

-10,22%

ASAI3

R$ 16,39

-2,26%

AZUL4

R$ 29,87

-2,25%

B3SA3

R$ 12,96

-1,14%

BIDI11

R$ 42,93

-10,84%

BBSE3

R$ 21,48

+0,70%

BRML3

R$ 7,65

-5,32%

BBDC3

R$ 18,05

-2,22%

BBDC4

R$ 21,30

-1,43%

BRAP4

R$ 50,20

-3,55%

BBAS3

R$ 29,84

-4,17%

BRKM5

R$ 56,95

-3,62%

BRFS3

R$ 22,71

-3,97%

BPAC11

R$ 23,44

-5,44%

CRFB3

R$ 16,85

-4,31%

CCRO3

R$ 11,96

-3,62%

CMIG4

R$ 13,73

-7,29%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,35

-2,49%

COGN3

R$ 2,76

-4,49%

CPLE6

R$ 6,36

-3,92%

CSAN3

R$ 21,16

-4,68%

CPFE3

R$ 25,37

-3,24%

CVCB3

R$ 17,55

-5,79%

CYRE3

R$ 15,55

-6,43%

ECOR3

R$ 8,93

-6,00%

ELET3

R$ 36,07

-4,67%

ELET6

R$ 35,87

-5,55%

EMBR3

R$ 24,16

-1,98%

ENBR3

R$ 19,20

-1,23%

ENGI11

R$ 42,61

-3,72%

ENEV3

R$ 14,39

-2,04%

EGIE3

R$ 38,48

-1,30%

EQTL3

R$ 23,78

-0,91%

EZTC3

R$ 20,67

-5,18%

FLRY3

R$ 19,95

-1,72%

GGBR4

R$ 26,25

-3,98%

GOAU4

R$ 11,94

-3,94%

GOLL4

R$ 17,63

-2,70%

NTCO3

R$ 39,49

-0,25%

HAPV3

R$ 11,59

-1,02%

HYPE3

R$ 28,45

-2,83%

IGTA3

R$ 29,56

-5,37%

GNDI3

R$ 65,29

-1,14%

IRBR3

R$ 5,08

-2,68%

ITSA4

R$ 10,82

-2,78%

ITUB4

R$ 24,53

-1,48%

JBSS3

R$ 37,05

-2,44%

JHSF3

R$ 5,60

-2,26%

KLBN11

R$ 22,49

+0,62%

RENT3

R$ 49,18

-5,02%

LCAM3

R$ 21,58

-5,26%

LWSA3

R$ 21,97

-2,26%

LAME4

R$ 5,66

-10,15%

LREN3

R$ 33,59

-3,86%

MGLU3

R$ 12,43

-6,18%

MRFG3

R$ 25,36

-1,24%

BEEF3

R$ 9,31

-3,92%

MRVE3

R$ 10,82

-5,99%

MULT3

R$ 18,23

-5,83%

PCAR3

R$ 27,60

-4,39%

PETR3

R$ 28,46

-3,09%

PETR4

R$ 27,43

-3,44%

BRDT3

R$ 22,01

-5,25%

PRIO3

R$ 26,47

-1,59%

QUAL3

R$ 17,76

-4,05%

RADL3

R$ 21,34

-1,52%

RAIL3

R$ 16,50

-3,45%

SBSP3

R$ 36,70

-2,85%

SANB11

R$ 35,51

-1,55%

CSNA3

R$ 24,76

-3,05%

SULA11

R$ 25,66

-2,13%

SUZB3

R$ 48,62

+0,45%

TAEE11

R$ 37,33

-0,95%

VIVT3

R$ 45,24

-1,65%

TIMS3

R$ 12,03

-2,74%

TOTS3

R$ 32,47

-2,84%

UGPA3

R$ 13,88

-5,96%

USIM5

R$ 14,11

-5,74%

VALE3

R$ 74,07

-3,06%

VIIA3

R$ 6,99

-6,80%

WEGE3

R$ 39,13

-2,44%

YDUQ3

R$ 24,17

-2,93%

IBOV

107.347,36 pts

-3,10%

SP500

4.542,02 pts

+0,13%

DJIA

35.548,75 pts

-0,17%

NASDAQ

15.473,60 pts

+0,55%

IFIX

2.727,27 pts

-0,40%

BRENT

US$ 84,69

-1,32%

IO62

¥ 672,50

-3,93%

TRAD3

R$ 6,87

-13,58%

ABEV3

R$ 15,07

-1,82%

AMER3

R$ 35,63

-10,22%

ASAI3

R$ 16,39

-2,26%

AZUL4

R$ 29,87

-2,25%

B3SA3

R$ 12,96

-1,14%

BIDI11

R$ 42,93

-10,84%

BBSE3

R$ 21,48

+0,70%

BRML3

R$ 7,65

-5,32%

BBDC3

R$ 18,05

-2,22%

BBDC4

R$ 21,30

-1,43%

BRAP4

R$ 50,20

-3,55%

BBAS3

R$ 29,84

-4,17%

BRKM5

R$ 56,95

-3,62%

BRFS3

R$ 22,71

-3,97%

BPAC11

R$ 23,44

-5,44%

CRFB3

R$ 16,85

-4,31%

CCRO3

R$ 11,96

-3,62%

CMIG4

R$ 13,73

-7,29%

HGTX3

R$ 37,51

+0,00%

CIEL3

R$ 2,35

-2,49%

COGN3

R$ 2,76

-4,49%

CPLE6

R$ 6,36

-3,92%

CSAN3

R$ 21,16

-4,68%

CPFE3

R$ 25,37

-3,24%

CVCB3

R$ 17,55

-5,79%

CYRE3

R$ 15,55

-6,43%

ECOR3

R$ 8,93

-6,00%

ELET3

R$ 36,07

-4,67%

ELET6

R$ 35,87

-5,55%

EMBR3

R$ 24,16

-1,98%

ENBR3

R$ 19,20

-1,23%

ENGI11

R$ 42,61

-3,72%

ENEV3

R$ 14,39

-2,04%

EGIE3

R$ 38,48

-1,30%

EQTL3

R$ 23,78

-0,91%

EZTC3

R$ 20,67

-5,18%

FLRY3

R$ 19,95

-1,72%

GGBR4

R$ 26,25

-3,98%

GOAU4

R$ 11,94

-3,94%

GOLL4

R$ 17,63

-2,70%

NTCO3

R$ 39,49

-0,25%

HAPV3

R$ 11,59

-1,02%

HYPE3

R$ 28,45

-2,83%

IGTA3

R$ 29,56

-5,37%

GNDI3

R$ 65,29

-1,14%

IRBR3

R$ 5,08

-2,68%

ITSA4

R$ 10,82

-2,78%

ITUB4

R$ 24,53

-1,48%

JBSS3

R$ 37,05

-2,44%

JHSF3

R$ 5,60

-2,26%

KLBN11

R$ 22,49

+0,62%

RENT3

R$ 49,18

-5,02%

LCAM3

R$ 21,58

-5,26%

LWSA3

R$ 21,97

-2,26%

LAME4

R$ 5,66

-10,15%

LREN3

R$ 33,59

-3,86%

MGLU3

R$ 12,43

-6,18%

MRFG3

R$ 25,36

-1,24%

BEEF3

R$ 9,31

-3,92%

MRVE3

R$ 10,82

-5,99%

MULT3

R$ 18,23

-5,83%

PCAR3

R$ 27,60

-4,39%

PETR3

R$ 28,46

-3,09%

PETR4

R$ 27,43

-3,44%

BRDT3

R$ 22,01

-5,25%

PRIO3

R$ 26,47

-1,59%

QUAL3

R$ 17,76

-4,05%

RADL3

R$ 21,34

-1,52%

RAIL3

R$ 16,50

-3,45%

SBSP3

R$ 36,70

-2,85%

SANB11

R$ 35,51

-1,55%

CSNA3

R$ 24,76

-3,05%

SULA11

R$ 25,66

-2,13%

SUZB3

R$ 48,62

+0,45%

TAEE11

R$ 37,33

-0,95%

VIVT3

R$ 45,24

-1,65%

TIMS3

R$ 12,03

-2,74%

TOTS3

R$ 32,47

-2,84%

UGPA3

R$ 13,88

-5,96%

USIM5

R$ 14,11

-5,74%

VALE3

R$ 74,07

-3,06%

VIIA3

R$ 6,99

-6,80%

WEGE3

R$ 39,13

-2,44%

YDUQ3

R$ 24,17

-2,93%

Atualizado há mais de 2 anos

Ícone de compartilhamento

Por: Editores TC News

 

O presidente Jair Bolsonaro deve entrar mais ativamente na articulação pela reforma da Previdência à medida que a tramitação da pauta ganhar mais velocidade no Congresso, disse ontem o ministro da Economia, Paulo Guedes, em entrevista à Globo News, sinalizando que a coordenação política do governo está melhorando e que as críticas quanto a postura do presidente com o projeto não têm cabimento.

 

Bolsonaro “vai entrar com mais na medida em que a velocidade da coisa aumente”, disse Guedes, se refendo à tramitação. Na entrevista, Guedes tentou passar uma mensagem de tranquilidade quanto à eventual aprovação da reforma, dizendo que o Congresso, aos poucos, está se tornando ciente da “inevitabilidade” do projeto.

 

Mesmo assim, ele admitiu que recuar em vários pontos do projeto – como o benefício de prestação continuada, a idade de aposentadoria das mulheres ou a aposentadoria rural – podem enfraquecer a potência da reforma. “Estamos preparados para ceder em algumas coisas”, disse.

 

O ministro também disse que as estimativas do mercado de que a reforma da Previdência aprovada gerará economia entre R$600 bilhões e R$700 bilhões estão “erradas” e confia que ela será “substancialmente maior” que as projeções.

 

A equipe de Guedes está “absolutamente tranquila” quanto aos riscos de desidratação da proposta – que pode ser ferida em alguns pontos relevantes na semana que vem, quando for apreciada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Ele quis responder às críticas de que há uma dependência excessiva da reforma da Previdência como solução aos problemas de crescimento do país e prometeu anunciar em breve uma série de medidas “extraordinariamente fortes e positivas”, como choque de energia barata e pacto federativo.

 

Na entrevista, o ministro da Economia, Paulo Guedes, quis passar uma mensagem menos sombria do que a mídia relata em relação às ações e articulação política do governo Jair Bolsonaro. O mercado deve repercutir a entrevista – que durou mais de 1 hora e meia – de forma positiva, reforçada pela mensagem de que aos trancos e barrancos, o governo novato vai engrossando a pele, ganhando experiência e encontrando uma fórmula de articulação eficiente. Candura? Pode ser. Exagero? Talvez.

 

O ponto é que Guedes prometeu foco total na aprovação da reforma da Previdência e pediu paciência ao cidadão. O mercado, que queria ouvir isso do ministro mais uma vez, hoje deve repetir: “Guedes, eu confio em vós”.

 

O que achamos da entrevista

Que coisas da entrevista gostaríamos de destacar? Que Guedes mostrou lealdade ao cargo; que explicou de forma brilhante porque a alternativa liberal democrata abraçada por Bolsonaro é a única que pode tirar o país do marasmo econômico dos últimos 30 anos; que reiterou que o governo se manterá avesso ao toma lá dá cá que caracterizou as relações políticas desde a redemocratização.

 

Um último ponto, não sem ser muito relevante: em suas falas, Guedes destacou o papel positivo que tem jogado o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na condução da pauta econômica no Congresso. Maia e Bolsonaro tiveram fortes desencontros no mês passado.

image

Receba todas as novidades do TC

Deixe o seu contato com a gente e saiba mais sobre nossas novidades, eventos e facilidades.