TC Mover
Mover

Anvisa deve autorizar uso de plantas veterinárias para vacina da Covid, diz fonte

Postado por: TC Mover em 16/04/2021 às 16:49

Brasília, 16 de abril – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, deve considerar satisfatória a autenticação das plantas industriais para produção de vacina contra a Covid-19 feita pelo Ministério da Agricultura, disse uma fonte próxima da negociação. O ato seria um sinal de que o governo está preocupado em acelerar a oferta de imunizantes na esteira de uma disparada dos casos do novo coronavírus.


Presidente da Anvisa fez reunião com ministra da Agricultura sobre o tema, afirmou fonte

De acordo com a fonte, que pediu anonimato para falar livremente sobre o assunto, o presidente da agência, Antônio Barra Torres, se reuniu na quinta-feira com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para discutir o assunto.

Oficialmente, a Anvisa declara que na reunião foram abordadas questões sobre a possibilidade de adaptação das estruturas da indústria veterinária para a produção de medicamentos e vacinas contra a Covid-19.


Três empresas que produzem vacinas para animais estão dispostas a fazer adaptações

Em busca de garantir valor de mercado, pelo menos três empresas de laboratórios produtoras de vacinas para animais estão dispostas a fazer adaptações para produzir os imunizantes, disse a fonte.

O MDS Saúde Animal, pertencente à Merck, a Ceva Brasil, e a Ouro Fino. Nenhuma delas comentou a informação. O presidente da Anvisa, em audiência no Senado, disse que a adaptação e utilização dos laboratórios “é factível”.

Segundo uma outra fonte ligada às empresas, qualquer ação vai depender da transferência tecnológica. “A Sinovac precisa transferir a molécula a partir da qual é feita a CoronaVac. Mas existem outras vacinas, não é preciso se limitar ao imunizante que hoje é produzido pelo Instituto Butantan”, afirmou a mesma fonte.


Tema ainda está em análise e não é possível prever capacidade produtiva, segundo a Anvisa

O movimento, se concretizado, acontece paralelo ao esforço tardio de importar vacinas estrangeiras. Porém, mesmo que o governo aprovasse a produção de imunizantes 100% brasileiros, a iniciativa de autenticar e adequar plantas industriais veterinárias pela Anvisa para esse fim pode enfrentar a falta de matérias primas e aumentar a dependência do país em insumos importados.

O senador Wellington Fagundes, que articula a produção de vacinas, disse que, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal, os laboratórios podem, em 90 dias, produzir cerca de 400 milhões de doses. Elas viriam a se somar às demais já contratadas pelo Ministério da Saúde. A agência trabalha com prazo de 120 a 180 dias.

Apesar disso, a Anvisa disse que “o tema ainda está em análise e que, até o momento, não é possível fazer projeções sobre capacidade produtiva ou antecipar decisões”, e que “o interesse na adaptação, produção e investimentos depende de cada empresa”.


Desempenho das ações da Ouro Fino (OFSA3)

Perto das 16h45, o papel da Ouro Fino (OFSA3) caía 0,97%, cotado a R$32,58. A ação acumula queda de 13,81% no ano. No mesmo horário, o Ibovespa operava em alta de 0,23%, aos 120,9 mil pontos.


Anvisa


Para acompanhar o desempenho das ações da Ouro Fino e de outras empresas, basta acessar o TC Matrix, ferramenta gratuita do TC.

Texto: Simone Kafruni
Edição: Karine Sena e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

Governo de São Paulo autoriza reabertura do comércio e ações sobem

Sanita: Lojas Marisa vem rompendo canal de baixa de meses

Especial: Decisão do STF sobre Lula esquenta clima para corrida eleitoral

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais