TC Mover
Mover

Bolsonaro tem rejeição elevada a 40% e perderia para Moro em 2022, diz XP

Postado por: TC Mover em 18/01/2021 às 15:58
Bolsonaro

São Paulo, 18 de janeiro – A parcela da população que avalia o governo Bolsonaro como “ruim ou péssimo” subiu de 30% para 40% entre dezembro e janeiro, percentual semelhante ao do início da pandemia, em abril de 2020, segundo pesquisa realizada pela XP/Ipespe. Na outra ponta, os que veem a gestão como “ótima ou boa” passaram de 38% para 32%.

Avaliação negativa supera positiva pela 1ª vez desde julho

É a primeira vez, desde maio do ano passado, em que há aumento no percentual dos críticos ao governo e redução no total de apoiadores, observa a XP, que entrevistou mil pessoas no país, entre 11 e 14 de janeiro. A margem de erro da enquete é de 3,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

É também a primeira vez, desde julho, em que a avaliação negativa supera a positiva. O movimento coincide com uma piora na percepção da atuação do presidente Jair Bolsonaro para enfrentar o coronavírus, avalia a XP. São 52% os que a consideram “ruim ou péssima”, 4 pontos a mais que em dezembro. A aprovação dos governadores da região Sudeste, por sua vez, passou de 23% em agosto para 32% agora.

Metade dos entrevistados defende novo auxílio emergencial

Já sobre as vacinas, 69% dos entrevistados disseram que tomarão o imunizante com certeza. Entretanto, entre os eleitores declarados de Bolsonaro em 2018, 58% afirmaram que irão se vacinar com certeza, enquanto 78% dos demais eleitores declararam tal intenção, uma diferença de 20 pontos percentuais.

Em relação ao auxílio emergencial pago pelo governo até dezembro, 50% defendem que o governo recrie um benefício semelhante por mais alguns meses, embora apenas 27% digam acreditar que o governo tomará essa decisão. Outros 47% acreditam que o governo não patrocinará uma nova rodada do pagamento.

Uma pesquisa da Exame/Idea publicada em janeiro indicou que 70% dos entrevistados, incluindo apoiadores de Bolsonaro, acreditavam na manutenção do auxílio emergencial.

Bolsonaro ainda lidera intenções de voto para o primeiro turno

O levantamento da XP/Ipespe questionou ainda sobre as eleições presidenciais de 2022 e mostra que Bolsonaro ainda lidera as intenções de voto no primeiro turno, mas perderia para o ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, em um provável segundo turno.

De acordo com a pesquisa, o atual presidente registrava 28% das intenções de voto, à frente de Sergio Moro, com 12%, Ciro Gomes, 11% e Fernando Haddad, 11%. Atrás deles, aparecem Luciano Huck, com 7% das intenções, Guilherme Boulos, 5%, João Doria, 4%, João Amoêdo, 3% e Luiz Henrique Mandetta, 3%.

 

Na pesquisa espontânea, quando não há apresentação de candidatos, Bolsonaro se mantém na liderança com 22%, diminuindo 2 pontos em relação a dezembro. De maneira pulverizada, a menção a outros candidatos passou de 15% em dezembro para 19% em janeiro.

Ex-ministro Sergio Moro ultrapassa Bolsonaro em intenção de votos no 2º turno

Jair Bolsonaro, que vencia numericamente Moro no segundo turno no levantamento anterior por 36% a 34%, agora foi ultrapassado numericamente pelo ex-ministro, que bateria o atual presidente por 36% a 33%.

Bolsonaro venceria numericamente em todos os outros cenários de segundo turno em que é testado. Bate Haddad por 42% a 37%, Ciro Gomes por 40% a 37%, Boulos por 44% a 31% e Huck por 38% a 34%. Perto das 15h40, o dólar futuro recuava 0,26% a R$5,279.

 

 

Texto: Bárbara Leite
Edição: Igor Sodré e João Pedro Malar
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais