Mover

Câmara retira MP do auxílio emergencial da pauta de hoje

Postado por: TC Mover em 18/12/2020 às 14:37

Brasília, 18 de dezembro – A Mesa da Câmara dos Deputados confirmou a retirada da medida provisória, MP, que prorroga o auxílio emergencial e prevê décima terceira parcela ao Bolsa Família da pauta de hoje. 

O presidente dos trabalhos, deputado Kim Kataguiri, informou durante a sessão que os deputados encerrarão a agenda desta sexta-feira com a MP que insere o Brasil no consórcio global para acesso a vacinas contra a Covid-19. 

Os deputados aprovaram também a redação final do projeto que libera cerca de R$177,7 bilhões de fundos públicos para cobrir depesas com a pandemia. O texto vai ao Senado, mas não deve ser concluído este ano devido ao recesso.

Maia cobrou pedido oficial do governo para retirada da MP do auxílio da pauta

Mais cedo, uma fonte informou à TC Mover que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, iria retirar a MP do auxílio da pauta. Em discurso na sessão da Casa no começo da tarde, Maia afirmou que poderia manter a MP na agenda, apesar do governo ser contrário, e que se tivesse pautado a proposta faltando uma semana para as eleições, “todos saberiam o resultado”, dando a entender que seria aprovada a prorrogação ou aumento da ajuda. 

O parlamentar ressaltou que o centro liberal, que ele representa, diverge da oposição em relação ao tema. Outra fonte, próxima à liderança do governo na Casa, confirmou que Maia foi convencido a pelo menos não votar hoje.

Ainda hoje mais cedo, Maia cobrou, nas redes sociais, que o Palácio do Planalto pedisse oficialmente a ele para retirar a matéria. Também no plenário, o líder do governo na Casa, Ricardo Barros, informou que a MP não foi votada antes por problemas em seu relatório. O parecer original do senador Randolfe Rodrigues apresentou um abono natalino no Benefício de Prestação Continuada, pago a idosos e deficientes, que não tinha espaço orçamentário para o gasto.

Bolsonaro acusou Maia de ser responsável pelo não pagamento de parcela do Bolsa Família

Em transmissão online ontem, o presidente Jair Bolsonaro acusou Maia de ser o responsável pelo não pagamento de uma décima terceira parcela do Bolsa Família, que provocou a reação de pautar a MP nesta sexta-feira. Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou, em entrevista hoje, que o pagamento da parcela seria crime de responsabilidade. 

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Kariny Leal e Letícia Matsuura
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais