TC Mover
Mover

Diretora da Precisa diz que nunca ofertou Covaxin a US$10

Postado por: TC Mover em 14/07/2021 às 15:59
Diretora da Precisa negou oferta de Coxavin a US$10

São Paulo 14 de julho – A diretora da Precisa Medicamentos Emanuela Medrades afirmou em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as ações do governo na pandemia, a CPI da Covid, que a vacina Covaxin nunca foi oferecida a US$10 por dose ao Brasil.

Ela também disse que o Ministério da Saúde mentiu em uma ata de reunião ao dizer que o preço da dose seria esse. A Precisa Medicamentos atuou junto à pasta na negociação pela vacina indiana, fabricada pela farmacêutica indiana Bharat Biotech.

Diretora da Precisa afirmou que primeiro valor oferecido ao governo foi de US$15 por dose

Emanuela Medrades disse que em nenhum momento foi solicitado ao ministério o pagamento antecipado pelos imunizantes. A diretora da Precisa explicou ainda que o primeiro valor oferecido por dose da Covaxin ao governo foi de US$15, em 12 de janeiro de 2021.

O governo teria informado, em ata, após reunião com representantes da Precisa e da Bharat Biotech, que a vacina indiana custaria US$ 10. O texto informaria, ainda, a chance do preço baixar a depender da quantidade de doses comprada pelo Brasil.

Contudo, o acordo, fechado em 25 de fevereiro, previa o pagamento de US$15 a dose. O valor é o mais alto entre os seis imunizantes negociados até agora no Brasil. Segundo a diretora técnica, a rapidez na negociação com a Precisa se deu porque a empresa teria aceitado todas as condições propostas pelo Ministério da Saúde.

Reuniões para negociar a compra da Coxavin não contaram com a presença de Eduardo Pazuello

Depois de ficar em silêncio na última terça-feira, 13, na primeira tentativa de depoimento, a diretora da Precisa disse nesta quarta-feira, 14, que foi iniciativa sua buscar o departamento responsável pela imunização no Brasil. Segundo ela, o motivo foi que “tínhamos uma vacina com bastante potencial”.

Ela explicou que as tratativas de negociação com o Ministério da Saúde começaram no dia 20 de novembro, e que Franciele Fantinato, ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, estava presente.

Emanuela Medrades disse ainda que, durante as negociações, também se reuniu com o ex-diretor de logística Roberto Ferreira Dias e com o ex-secretário Élcio Franco. O general Eduardo Pazuello, porém, não participou das reuniões ou interferiu nas tratativas, segundo a depoente.

Novo depoimento da diretora da Precisa mudou calendário da CPI da Covid

Durante o depoimento da diretora da Precisa, o senador Omar Aziz anunciou que a CPI da Covid não vai conseguir ouvir hoje Francisco Emerson Maximiano, sócio-administrador da Precisa Medicamentos. O depoimento dele vai ficar para agosto, após o recesso parlamentar, em data ainda a ser divulgada.

O caso da Precisa foi o responsável pela abertura de inquérito pela Polícia federal na última segunda-feira, 12, para investigar o presidente Jair Bolsonaro pelo crime de prevaricação. O presidente admitiu no mesmo dia que foi alertado sobre pressões incomuns para adquirir a vacina indiana. O depoimento de Emanuela Medrades continua até o momento.

Texto: Cíntia Thomaz
Edição: Guilherme Dogo e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Mudanças na Reforma Tributária beneficiam setor imobiliário, diz BTG Pactual

Governo eleva previsão de PIB e inflação para 2021

Prévia do PIB de maio frustra expectativas e afunda DIs

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais