Mover

Embate entre Guedes e Campos eleva tensão política sobre agenda fiscal

Postado por: TC Mover em 26/11/2020 às 10:12

São Paulo, 26 de novembro – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou ontem que o Brasil precisa ganhar credibilidade a partir de reformas e de um plano que mostre que o país está preocupado com a dívida pública. Para ele, “credibilidade” geraria mais crescimento econômico que eventual prorrogação de medidas contra a pandemia. 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, por sua vez, rebateu Campos Neto dizendo que ele sabe qual é o plano e que seria melhor a imprensa perguntar ao presidente do BC se há um melhor.

Responsabilidade fiscal de Guedes

Paulo Guedes disse a investidores do Grupo Voto, que o governo manterá a responsabilidade fiscal e que a recuperação econômica tende a ser melhor que o estimado, segundo o Globo. 

Guedes afirmou que o Palácio do Planalto segue com a agenda das reformas durante a pandemia e incluiu, após a aprovação do Marco do Saneamento, os marcos do gás, cabotagem, setor elétrico e da mineração no radar da equipe econômica. De acordo com o ministro, as propostas têm potencial de investimento de R$50 bilhões a R$60 bilhões nos próximos três anos.

O ministro da Economia também prometeu lançar, no começo do ano que vem, o programa “Minha Primeira Empresa”, para incentivar o empreendedorismo, reportou o jornal. O ministro responsabilizou o excesso de gasto público pela corrupção da democracia e pela estagnação da economia. 

Já a CEO do Grupo Voto, Karim Miskulin, defendeu união independente de partidos, religião, raças ou ideologia “com o único objetivo de avançar”. O ministro da Economia foi acompanhado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Kariny Leal e Letícia Matsuura
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais